Meu Vizinho Lobo - 6 Capitulo

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014
                                          
                  

                        6 Capítulo:
 Ela podia sentir a atmosfera do ambiente mudar. Podia sentir os batimentos cardíacos de cada pessoa presente e cada traço de seus atuais humores. E  ela não tinha gostado disso. Uma das principais coisas que a deixavam passando mal era isso, sentir tudo demais. Como se uma pessoa fizesse um boneco vudu de sua pessoa e estivesse espetando com alfinetes baratos. Sem ter aviso prévio , Mila começou a se sentir indisposta e louca para que a festa terminasse. Horas se passavam e um baile começou com um monte de pessoas se juntando ao centro do salão para dançar e Lucius a puxou pela cintura para que ela o acompanhasse. Ela queria desesperadamente sentir como ele estava se sentindo, animada e feliz, aproveitando a festa. Ao invés disso ela parecia uma boneca de trapos sendo guiada nos braços do alfa Lycan para uma dança. O fato dele ser forte no momento era reconfortante. Ela pensava que se talvez acompanhasse o ritmo de Lucius ninguém perceberia que ela estava a beira de um colapso.


     Ao Lucius fazê-la rodopiar, ela teve um deslumbre de uma mulher que a olhava com ódio mortal e ela se perguntava do por quê daquela cara. O que estava na cara que era por que Lucius estava dançando com ela e não com a tal mulher. Que estava num vestido com estampa de animal tão curto que parecia milagre ela não estar com suas coisas a mostra.

A determinação de Mila foi tão grande que qualquer traço de mal estar havia desaparecido e ela aproveitou para jogar seus braços descaradamente envolta de Lucius, numa atitude que dizia : Ele é meu.

 Lucius pareceu perceber que Mila estava mais atirada, mas não fez caso e sim aproveitou para tirar umas casquinha discreta. Deixando seu corpo roçar ao dela e para ajudar Mila estava começando a sentir um certo calor e todos a sua volta pareciam estar se dando conta disso. Ela encarou Lucius que estava com os olhos brilhando de excitação e com uma pontada de nervosismo. Ao olhar em sua volta ela viu vários de seus homens cravarem seus olhares selvagens nela e Lucius ficou em alerta, mal sabia ele que o perigo estava usando um vestido estampado de cobra.

Está trocando sua raça por uma humana Luc?! Disse a mulher com nojo e Mila sentiu repulsa pelo jeito da mulher.

  Lucius tentou se recompor e não deixou aparecer que ele estava chocado com a falta de noção da moça, já que a festa estava cheia de repórteres e pessoas do governo, a ultima coisa que ele precisava era de um vexame.

Normalmente eu diria que não, mas tenho que admitir ... Disse feliz puxando Mila em seus braços numa atitude carinhosa. Está aqui me deixa insano.

 A mulher abriu a boca num O e um dos homens de Lucius se aproximou dela para tentar tira-la dali antes que acontecesse uma tragédia, mas ela despachou a mão do rapaz como se estivesse com uma substancia venenosa .

Sou a ultima descendente de uma raça antiga Lucius. Eu deveria ser aquela que você deveria dar atenção.

Mila parou de dançar e tentou entender o que estava acontecendo e tudo que veio em sua mente era que a tal mulher deveria ser prometida  de Lucius. Afinal... já que ela dizia que era de uma raça antiga ela deveria ser uma Lycan ou algo do tipo. Ela tentou fingir que tudo estava bem , mas estava chocada. Ela estava se sentindo uma espécie de amante barata, embora nunca tivesse tocado Lucius de qualquer maneira do qual a mulher pudesse reclamar, mesmo assim... ela não podia deixar de se sentir envergonhada e Lucius percebeu isso em seu rosto.

                                              ******

Lucius não estava só indignado, mas estava a ponto de bater pela primeira vez numa mulher. Quando ele olhou para Mila, ele podia ver em seus olhos o que ela estava sentindo. Se sentindo magoada, usada, como se fosse uma qualquer, mas não era. Lucius sempre foi mandão, nunca gostava realmente de dizer o que estava gostando ou não para as pessoas a sua volta, muito menos para aqueles que ele considerava seus amigos leais. Ele era um homem feito, se ele não estava feliz com algo, ele não reclamava, apenas resolvia sem mais delongas. Ele era o Alfa afinal, não tinha que ficar reclamando ou mostrando suas fraquezas aos outros, mas com Mila...ele não sabia o que estava acontecendo. Ele gostava de faze-la conversar e talvez obriga-la a dar uma resposta afiada. Não ligava de ser chamado de lobo pervertido ou outras coisas, pois ele gostava de ficar ao lado dela, não havia pressão em nenhum dos lados. Era algo fácil como respirar.

   Era muita arrogância para uma simples Lycan decidir que ele tinha a obrigação de dar atenção somente a ela.

Eu sou seu líder. Não tenho obrigação em nada com você, há não ser proteger os meus como sempre fiz. Se coloque em seu lugar. Lucius disse fechando seu semblante e parecendo que estava prestes a se transformar e dar uma lição na loba.

   Ele olhou para Mila do qual a cor tinha fugido de seu corpo e sentiu o suor frio que saia dela.

Você está bem? Perguntou mudando o tom de sua voz.

Ela mexeu um pouco a cabeça, mas parecia a ponto de desmaiar, então ela a segurou perto do seu peito.

Só preciso me sentar um pouco.

Lucius a carregou no colo e a colocou numa de suas cadeiras preferidas localizada num canto distante de todas aquelas pessoas. Ele nem sequer se preocupou se Jane ia continuar o escândalo. Sua preocupação com sua humana era maior e mais poderoso do que qualquer coisa...humanos, são tão frágeis.

Você está doente? Perguntou ele. Ele não tocou em assunto de médicos, pois qualquer coisa, ele tinha homens de mais de 3 mil anos de experiência nesse assunto, fora que ele mesmo era um ótimo medico e nada traria maior satisfação para ele do que cuidar dela. O que era um fato surpreendente já que ele nunca se preocupou tão facilmente com alguém antes.

  Mila apoiou sua cabeça no braço da cadeira e encolheu seu corpo parecendo uma criança medrosa. Ele podia ver seus membros tremendo. Ela não estava bem.

Eu não sei . Disse a ponto de cair em lagrimas. Eles não sabem o que eu tenho, nem sequer existe nome para isso. Dizem que deve ser uma doença rara, mas não descobrem o quê é ou se tem cura.

Lucius segurou seu rosto em suas mãos.

Antes eu pensava que podia morrer a qualquer momento. As vezes só dura algumas horas ou minutos, mas já passei dias assim.

   Ele a carregou novamente e a levou para o terceiro andar dando ordens expressas que ninguém fora ele devia subir naquele andar enquanto a festa não terminasse. E que dissesse que ela passou mal por conta do estresse e que quando se sentisse melhor ela iria descer. Qualquer coisa que impedisse bisbilhoteiros de se aproximar era de grande ajuda.

Lucius chamou um colega especializado em genética e doenças e não demorou muito para ele atender ao seu pedido. Lucas logo estava lá com seus óculos escuros(embora fosse noite) e seu jaleco branco. Lucas era uma das anomalias mais assombrante e maravilhosa que o mundo sobrenatural poderia ter. Seus olhos poderiam enxergar cada célula de uma pessoa sem usar nenhum aparelho inventado pelo homem ou por qualquer outra pessoa ou espécie. Por isso ele usava óculos incrivelmente escuros, pois a luz e outras formas de luminosidade irritavam seus olhos.

    Ele sempre foi uma criatura estranha embora chamasse muita atenção das fêmeas, mas ele não parecia se importar com nada disso.

  Mila foi deitada numa mesa de aço e Lucas retirou um pouco do sangue dela e olhou atentamente a amostra.

O que ela sentiu Mestre? Lucas perguntou sem olhar para ele.

  Embora Lucius tivesse dito diversas vezes que ele não era mestre de Lucas, ele não perdia essa mania de chama-lo assim. Lucius havia encontrado Lucas a beira da morte no meio de um deserto, seus olhos eram apenas dois buracos negros aquele tempo. Seus olhos haviam sido derretidos por humanos e ele foi deixado para morrer ao sol. Lucius então o salvou ao anoitecer e cuidou dele, não demorou mais que umas horas de escuridão para Lucas voltar ao normal. Ele mesmo poderia ter saído daquela situação sozinho, mas...ele não deixava de agradecer e mostrar agradecimento a ele. Embora ele não fosse um Lycan, Lucius nunca perguntou qual era sua raça, mas se Lucas fosse do tipo violento, nem mesmo Lucius o venceria numa briga. Ele se regenerava em questão de segundos e sua força era maior do que qualquer criatura sobrenatural que ele tenha conhecido. Desde que seus olhos não fizessem contato com sol ou nada luminoso demais, Lucas era o homem mais forte que ele podia ter conhecido. Era mesmo uma sorte Lucas ser tão leal a ele.

Não sei exatamente, senti uma queda de temperatura e pressão, mas seus batimentos cardíacos continuavam iguais e seu cheiro não mudou . Disse ele se lembrando que pessoas doentes tinham um cheiro diferente de pessoas saudáveis. Eram assim que eles escolhiam suas presas.

Lucius ficou curioso e se aproximou de Lucas. Quando o fez , Lucius percebeu a cara de surpresa de seu amigo.

Descobriu algo?

Não sei. Respondeu ele  levando uma de suas mãos a cabeça. Estava normal até você se aproximar.

Lucius ficou surpreso e arregalou os olhos, quando abriu a boca para pedir mais detalhes Lucas fez sinal de silencio.

Lucius se afaste um momento para ver se volta ao normal. E assim o fez. Lucas fez um sinal positivo com a cabeça e o chamou com um aceno de mão.

Certo. Disse ele como se tivesse feito uma descoberta incrível. O sangue dela reage a sua presença. A ponto de haver uma alteração em seu Dna. Uma mutação. 
Quando você se aproxima esse dna sofre uma mutação quase a ponto de ser comparado com o seu. Como se seu corpo estivesse se moldando para... você.

  Lucius arregalou os olhos e olhou para Mila deitada na mesa. Ela ainda não parecia bem.

Não explica por que ela passou mal.

  Lucas meneou com a cabeça e pensou um pouco.

O que aconteceu ? Me conte tudo, qualquer detalhe mesmo que seja insignificante.

 E Lucius o fez. Ele contou sobre a dança, depois sobre o ataque de Jane e depois o mal estar de Mila.

Lucas deu um sorriso irônico e disse.

Traga Jane aqui . Quero ver a reação do sangue dessa mulher quando Jane passar pela porta.

 Lucius queria discutir mas assim o fez. Ele obrigou um de seus guardas trazer a mulher a força para a sala em que estavam e assim que ela passou pela porta xingando Lucas assobiou . Não para Jane e sim, para a amostra de sangue.

Pode mandar ela ir embora, já tenho meu ponto.

Jane saiu como louca e deve ter batido em alguém ao descer, pois Lucas e Lucius ouviram um estrondo vindo do andar de baixo, nada que ele precisasse se preocupar no momento.

Lucius encarou Lucas e ele sorriu.

Mutação. Não de um Lycan em forma humana. Lycan puro. Puro sangue. Seja lá o que seja essa garota. Ela quer você com todo o poder de seu sangue  e poder é algo que esta sobrando nela.

  Ele sem entender sentou ao lado de Lucas e tentou falar o mais baixo o possível.

Ela é humana. Como isso é possível.

Lucas se ajeitou na cadeira e cruzou as pernas como sempre fazia em seus momentos de reflexão.

Pessoas sempre estão em mutação, umas tem mais facilidades e fazer coisas melhores que outras pessoas. Mila tem a facilidade de mudar seu dna. Isso me fez lembrar daquela raça antiga.. Disse fazendo algo se despertar dentro dele. No fundo ele sabia das chances desde o começo. Era difícil uma pessoa tão comum prender a atenção dele e mais de todos os seus homens com apenas o cheiro.

Se ela for... temos que ter cuidado, pois ela pode ser a única.

Lucas fez que não com a cabeça.

Na verdade. Se ela é uma da raça... Qualquer mulher ou homem que divide o sangue dela pode ser também, mas isso ninguém tem certeza.

 Algo ativou os sentidos de Lucius. Ele tinha o desejo enorme de pegar todos os parentes de Mila e deixa-los em um lugar seguro, mas isso ia soar como perseguição e chamaria a atenção de todos e não demoraria muito para todos descobrirem que aquela raça estava de volta.

Sabe o que isso quer dizer mestre?! Disse ele apoiando sua mão no ombro de Lucius. Além de você achar uma em um milhão, ela pode continuar com a raça. Levar o seu sangue adiante. Lhe dar herdeiros poderosos. Coisa que nenhuma raça além dessa pode fazer .

Lucius sorriu olhando Mila novamente. Ele não podia deixar de pensar que mesmo que ela não fosse de raça, ele ainda gostaria de ficar com ela. Ele já tinha perdido as esperanças em ter filhos e ter agora seria muito imprudente de sua parte. Ainda mais agora se Jane descobrisse...Ela tentaria algo sem duvida.. Raramente alguém consegue nascer puro e sobreviver as transformações de sua mãe enquanto esta em seu ventre. A sorte de jane era que sua mãe não era uma mulher qualquer. Era uma da raça... e mesmo assim. Quando Jane cresceu ela foi a primeira a liderar um grupo de ódio contra a raça antiga por se sentir ameaçada. Isso se espalhou entre as mulheres de outras raças que começaram a fazer o mesmo se livrando de uma raça antiga e poderosa.

  Mesmo que ela fosse filha de uma da raça. Não tinha garantias que ela tivesse os genes. Como o pai de Jane era lobo, era normal que a mutação dele se sobressaísse. E femeas que não são da raça não geram filhos. Talvez por isso ela tenha se tornado uma pessoa mesquinha de sangue ruim.

O mal estar é por que... Lucas continuou.

Provavelmente por que quando ela ficou doente, era por que o véu estava ficando fraco. Ela podia sentir o sobrenatural e não podia tocar. Aquela raça e estritamente feita para seres sobrenaturais. É como deixar um viciado sem sua droga. Quando ela ficou perto de você, deve ter  sentido uma melhora quase milagrosa. Quando se sentiu ameaçada por uma outra raça feminina, seu corpo sofreu mutação e como isso é estranho ela passou mal. Seu corpo humano deve estar resistindo a uma mutação violenta. Ainda mais se for para mudar para Lycan. 
   Lobisomens sofrem mutação corporal instantânea. Sua estrutura muda. Seus ossos, sua musculatura. Ela terá que viver isso pouco a pouco até que seu corpo se acostume.

Lucius levantou e quase deu um abraço no homem.

Vamos deixar em segredo por favor.

Lucas concordou.

Não deixe Jane ficar perto dela. Essa garota... tem algo realmente selvagem dentro dela. Jane é forte e já matou varias dessa raça. Essa garota tem realmente o dom de se adaptar a uma raça. Acho até que a própria raça para defender sua existência, deve ter sofrido uma mutação muito rigorosa a sua anterior. Mas não arisque. O sangue de Mila a obrigará a se transformar a força para se defender de um perigo e o corpo humano dela não vai resistir a uma transformação repentina.

Não vai acontecer. Mesmo que eu mesmo tenha que dar um jeito em Jane para isso.

Lucas sorriu e balançou a cabeça.

É tão importante para você essa garota aponto de você se livrar de um dos seus, por mais irritante que seja Jane. Lucas disse, mas não parecia irritado. Ele parecia divertido, como o jeito de Lucius agir atualmente fosse uma novidade. Mesmo que fosse realmente.

Não sei se é por ela ser daquela raça, mas ela mexe comigo. Não sou eu mesmo quando estou com ela. Eu sou como um cãozinho. Fico feliz só de ela me olhar e sorrir para mim.

Lucas gargalhou. Em todos esses anos dificilmente Lucius conseguiu o ver sorrir quanto mais gargalhar.

Isso é amor seu idiota. Lucius tentou não ligar por tê-lo o chamado de idiota, mas na verdade isso era um milagre. Lucas sempre foi reservado e culto. Apenas por Mila estar por perto ele se permitiu rir e chamar seu mestre de idiota. Isso era felicidade e uma coisa chamada esperança.   

    Embora Lucas nunca tenha dito, Lucius percebeu que o desejo de constituir uma família e ter filhos não era apenas o desejo dele. Ele via o olhar que Lucas dava quando ele via famílias humanas felizes brincando com seus frutos. Ele tinha o mesmo desejo de Lucius.

   Lucius o cutucou com o cotovelo e sorriu.

Acho que ela deve ter uma prima, o que você acha disso?! Lucas se recompôs e ajeitou seu jaleco.

Você acha mesmo? Perguntou esperançoso. Será que você pode perguntar para ela?

Lucius gargalhou e concordou com a cabeça.

Pode deixar Lucas. Assim que se resolver esses problemas com a mídia e os ataques de humanos idiotas, podemos trazer uma da raça para você.

Lucas sorriu e saiu da sala quando viu que Mila havia despertado.

 Mila encarou Lucius e revirou os olhos.

Me diz... quanto tempo eu tenho. Isso é serio não é?!

Lucius não conseguiu se conter e pegou suas mãos e sorriu para ela para tentar reconfortá-la.

O doutor disse que você tem algo serio.

Mila arregalou os olhos e olhou para o outro lado.

Não me poupe de nada, pode dizer.

Lucius mal conteve sua risada.

Você está com uma doença chamada louca por mim, que causa um descontrole emocional chamado ciúme.

Mila deu a ele um olhar mortal.

Deus do céu você esta brincando comigo.

Lucius deixou sua expressão seria e fez que não com a cabeça, apenas para deixa-la mais irritada.

Ele também disse que você não ia assumir seu amor por mim e que eu teria que cuidar da sua “doença” com muito carinho, beijou e abraços, mas eu me sacrifico por você . Disse se divertindo as custas dela. No começo ele pensou que ela ia dar lhe umas bolachas, mas ela levou a mão a boca e tentou tapar uma gargalhada.

Você é impossível.


E você não consegue ficar brava comigo.

 E essa era a parte mais divertida.


             
                                         


4 comentários :

  1. Gente amei kkkkkkkkkkkkkkkkkkk. doida para chegar logo o proximo capitulo

    ResponderExcluir
  2. Amei!!!!! Continuação por favor!!!!!!!!!!!!! kkkkkk
    Beijos!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir

* . Comente aqui o que você achou da postagem , se gostar vire seguidor do blog. * sua presença é muito importante.