Selinho de Ano Novo !


                                     


          Esse selinho é o primeiro e único que ganhei de ano novo e amei ele de paixão ! quem o fez foram as lindas da  Alice_ e Josy  . Agradecida por se lembrarem de mim ! Bjus e feliz Ano Novo a todos !!!
xoxo 




image

Quero ler - O Perfume !

    Esses Tempos eu e uma amiga estávamos fofocando sobre nada mais , nada menos que livros, bem...papo vai , papo vem e pow !!!!  Esse livro aparece no meio e lembrei de uma conversa que tive com minha tia sobre um filme baseado nesse livro ( embora eu não saiba se o livro foi baseado no filme ou vice e versa ) bem... eu pesquisei e achei o livro pra download.               


                  Patrick Süskind 

  O Perfume - A Historia de um assassino


                               
               


    Em Paris, no ano de 1738, nasceu Jean Baptiste Grenouille. Filho de uma feirante, ele veio ao mundo em uma barraca de peixe na cidade mais suja e mal cheirosa do mundo ocidental no século XVII. Após a morte de sua mãe, sobrevive a doenças e pestes em diversos lares miseráveis. Contra todos os prognósticos, Grenouille acaba desenvolvendo duas características que mudariam sua vida - ao mesmo tempo em que não tinha nenhum cheiro, ele era dotado de um olfato apuradíssimo. Este último talento permite que deixe para trás a pobreza para brilhar na indústria da perfumaria. Mas Grenouille, um personagem amoral, não ambiciona a fama ou a fortuna que sua habilidade poderia lhe proporcionar, mas um poder maior sobre as pessoas, baseado na sedução dos odores sobre a alma humana. Assim, Grenouille dedica-se obsessivamente, e sem recuar diante do crime, à preparação de um perfume irresistível, que permitisse conquistar e dominar qualquer ser humano.
   

Como Funciona a Coisa : Resumidamente como diz acima.. Bem o cara foi jogado ainda pequena ou algo assim numa peixaria e em tantos fedores e cacas da vida ele percebe que tem um dom de cheirar, cheiros ruins e bons. Até que ele vira um boticário ( cara que faz perfumes ) e faz as fragrâncias mais disputadas pelas damas de época ;  e sabe da onde ele tira isso ???? Do corpo  de suas vitimas (mulheres), não sei como , mas ele tira a essência do corpo delas para fazer perfumes de seus corpos mortos e mutilados. Ai ! veio na minha cabeça " Maioria virgem né?!" , mas é obvio ! Um maluco não é maluco se não por virgens no meio.

      Voltando ao assunto ... ele é doido e esta a procura do cheiro perfeito, se ele encontrou ou vai encontrar eu não sei , mas se quiserem saber antes que eu termine a leitura aproveitem ! o link ta ai embaixo. bjus 


                                




        image


                                        






Ataques Zumbis !

  É  gente, as coisas não andam boas do lado de lá  e não vai demorar muito tempo pra todos nós estarmos no The Walking Dead da vida real. Essa matéria tirei do site http://www.failwars.com.br/ que sempre visito e adoro os posts de lá, deem uma olhada lá também .


Polícia de Miami atira em homem nu que comia o rosto de outra pessoa… O APOCALIPSE ZUMBI COMEÇOU!






O que mais me preocupa nesta história toda é que a vítima foi levada para o hospital e em pouco tempo vai acordar e infectar outros… (Fonte: Extra Globo)



Homem ameaça devorar dois policiais em Miami.



 



 


Ele tentou morder um agente quando estavam medindo sua pressão arterial.

Episódio acontece uma semana após caso do 'canibal de Miami'.


Um jovem sem-teto de Miami (Flórida, sudeste dos EUA) ameaçou no fim de semana passado morder e devorar dois policiais que comiam em um restaurante. O episódio acontece uma semana depois de outro homem comer o rosto de um mendigo, informou a polícia.
Brandon De Léon, um jovem de 21 anos que vive na rua, foi detido no sábado passado quando entrou em um restaurante e insultou dois policiais que estavam no local, que decidiram prendê-lo por má conduta, informou um comunicado da polícia de North MiamiBeach.
"Quando era levado à delegacia de polícia, Brandon começou a bater sua cabeça várias vezes contra o vidro do veículo enquanto gritava 'vou comer vocês'", segundo o comunicado.
De acordo com os oficiais, De León tentou morder outro agente da delegacia quando estavam medindo sua pressão arterial.
O homem estava irado e "grunhia, abria e fechava a boca", às vezes soava como um animal, descreveu o documento policial.
A polícia emitiu nesta quarta-feira (6) um comunicado no qual relaciona este caso com o de Ruby Eugene, o homem que devorou as orelhas, bochecas, nariz e olhos do mendigo Ronald Poppo, na conhecida ponte de McArthur, que conecta o centro de Miami com as praias de Miami Beach.
A polícia achou traços de uma droga sintéticas chamada "Cloud 9" (Mefedrona) no sangue de Brandon, segundo o "Daily Mail".

Na terça-feira (5), os membros da Comissão do Condado Miami-Dade aprovaram de forma preliminar a proibição da maconha sintética, um produto semelhante ao incenso cuja venda a menores é ilegal.
Se quiserem ver os demais post entrem nesses dois links abaixo:
Reservem as armas people ! 
                            Já vou começar a juntar as minhas....

Every Other Day - Capítulo 23




   Eu não sei o que eu esperava ver no laboratório da casa de Paul Davis, mas o que eu vi foi ... nada. As paredes eram feitas de cromo. O chão era cor de telha. O som dos meus passos ecoavam pela sala, e eu podia ver as cores de minhas roupas refletidas nas paredes-com formas borradas, formas indecifráveis.
    Skylar e Bethany entraram no quarto atrás de mim. Além de nós três, as únicas coisas neste quarto inteiro eram um monitor de computador embutido na parede e pilhas e pilhas de discos rígidos, que revestem o chão como Legos.

"Tem mais senhas?" Bethany disse, apontando para o computador.

"Tem um teclado?" Eu voltei.
   Demorou cinco minutos para encontrá-lo escondido debaixo de um painel na parede. Eu corri com todas as senhas que eu tinha visto colado na Mesa do Dr. Davis e estava vazio.

Em uníssono, Bethany e eu viramos para Skylar.

"Eu não tenho nada", disse ela.

   Eu resisti à vontade de enviar o meu punho no cromo brilhante das
paredes. Se eu me deixasse bater em alguma coisa, me deixar querer ...
Eu podia sentir a necessidade crescente dentro de mim, só que desta vez, não era caça-luxúria. Era uma dor, um vazio.

Sangue.

    O pensamento era esmagador que tudo consome, e de repente, eu podia sentir o cheiro dos perfumes da sala de forma tão clara.

Eu podia sentir o cheiro Bethany-Skylar.

Eu podia sentir o sangue delas.

"O que?" Bethany disse defensivamente. "Tem alguma coisa na minha cara? ".

   Eu tirei meus olhos de seu pescoço, mas eu ainda podia ouvir
a batida de seu coração.

Sede. Sede. Sede.

   De repente o aviso de Zev sobre a necessidade de se alimentar quando eu caçadva parecia muito mais razoável. Em retrospecto,
empurrando minha capacidade de cura ao limite e, em seguida, me bloqueando em uma pequena sala com duas bolsas de sangue em minha frente provavelmente não foi a minha melhor ideia de sempre.

   Pare com isso, pensei firmemente. Elas são minhas amigas.

   A palavra pode não ter significado nada para o irracional parasita sem sentido dentro de mim, mas era algo importante para
mim.

"O que você está fazendo?" Bethany perguntou.

  Eu estou tentando não arrancar sua jugular, pensei em resposta. Quando eu lhe disse que não sabia o que era, é possível que eu não estava sendo 100 por cento honesta.

   Então eu percebi que não tinha me dirigido ao comentário mordaz de Bethany  para mim. Ela estava conversando com Skylar, que
Estava de baixo em todos os fours, investigando os discos rígidos.

"Estou à procura de uma porta USB," ela disse como se fosse a coisa mais óbvia do mundo. "Mova seu pé." Bethany não se moveu.

"Por que você está à procura de uma porta USB? "

"Porque eu pensei que poderia irritá-la", Skylar respondeu: a imagem de inocência. "E também porque Darryl me deu isso. "

Ela levantou uma drive USB.

"Darryl?" Bethany repetiu, completamente perdida. "Quem é Darryl?"

"Cara grande? Senta-se comigo no almoço? "Skylar continuou passando as mãos sobre as várias unidades, procurando uma porta.  "Isso soa familiar?".

"Mudo?" Bethany disse finalmente. "Você está rastejando em todo o
chão por causa de algo que você tem de Silêncio? "

Se a multidão popular chamava Darryl "Mudo", eu realmente não queria saber como  eles chamavam o resto de nós.

"Darryl  fala", Skylar disse. "Se você ouvir. E FYI, eu tenho um sentimento muito forte de que ele vai ser o próximo Bill Gates, de modo que você pode querer ser um pouco mais agradável com ele. "

"Eu tenho um sentimento muito forte", brincou Bethany, "Que, se você não me disser que o é está na unidade USB, eu vou acabar com
você. "

"Aha!" Skylar brandiu o disco rígido como se estivesse se preparando para embarcar em uma saudação de três tiros. Sem responder a pergunta de Bethany, ela ligou, e a tela em branco no monitor deu lugar a uma matriz de letras e números  girando através da tela em várias direções.

"Códigos como Darryl", Skylar explicou. "Algumas semanas atrás, perguntei a ele o que alguém poderia hipoteticamente precisar
para quebrar um supercomputador. Ele me fez hipoteticamente
isso ".

   De repente, as paredes ao redor de nós deu lugar a imagens.
Aparentemente, o monitor não estava embutido na parede. O
monitor era a parede.
   Olhando para Beth e Skylar fora do lado dos meus olhos, eu
movi para o teclado e, em seguida cliquei na primeira pasta que eu vi. Era protegida por senha, mas o programa de Darryl havia feito picadinho dessa proteção, e alguns segundos depois, nós três estavam olhando para rabiscos.

Jargão científico.

    Havia arquivos do Excel, cheios de números e de colunas de dados
 e as datas que eram mais ou menos grego para mim.
Então havia documentos, cada um marcado com uma série número.

HB-42. los-129. MC-407.

   Algo sobre esse último enviou um sentimento mesquinho em
meu cérebro. Abri-lo, e uma única palavra chamou minha atenção.
Draco.

   Eu não era a melhor aluna do mundo, e eu nunca tinha sido particularmente apaixonada pela ciência, por razões óbvias. Mas eu
Sabia o suficiente para reconhecer o gênero de quase qualquer
criatura sobrenatural.

Gênero Draco referido dragões.

   Ao ler o documento, que foi atado com referências a nucleotídeos
e alelos e knockout oxitocina e  ratos-Eu peguei um pouco dos outros termos  e eu reconheci.

Termos como Equus água mysticalis e yeti Pan gigantea.

   Houve também uma figura, com um grupo de milímetro de comprimento com barras nele.
"Isso parece uma daquelas coisas de DNA para mais alguém? "Skylar perguntou.

Bethany balançou a cabeça. "Parece que um teste de gravidez
em crack. "

"Não", Skylar disse lentamente. "Eu pulei um ano na ciência, assim
Estou levando bio este ano. Isso é definitivamente uma daquelas
coisas. "

  Como as duas brigavam frente e para trás, eu encarei as palavras na tela, desejando fazer sentido e em seguida, disposta a não fazer isso, porque se eu estava lendo esta corretamente, Skylar estava certo.

  Isso foi um gel de seqüenciamento de DNA.

Nucleotídeos.
Alelos.
DNA.

   Antes eu era velha o suficiente para andar e falar, e ciência moderna já tinha descoberto o segredo para clonagem.

   Todo o genoma humano haviam sido catalogados. E
investigadores descobriram que as criaturas sobrenaturais
teve DNA de hélice tripla. Pan yeti gigantea. Equus água mysticalis.   
  Aqueles eram as classificações científicas para o yeti, também conhecido como o boneco e abominável , kelpies, também conhecido como uma dor na minha bunda.

   Era como o início de uma piada, uma terrível kelpie, um yeti, e um dragão cuspidor de fogo entrando em um bar, mas eu já conhecia a piada.

Kelpies pode literalmente desaparecer na água.

Homem Yetis estavam comendo-primatas com uma afinidade para gelo.

O que você ganha se você misturar um kelpie, um yeti, e um
dragão?

"Essa coisa da pista de patinação", eu disse. "O gelo , dragão ".

    Vinte e quatro horas antes,os  sentidos psíquicos de Skylar
nos levaram direto para a pista de gelo e da mulher a quem
parecia estar chamando os tiros da Chimera,  tinha aparecido
uma vez que o furor havia começado a diminuir. Na época, minha mente estava uma bagunça confusa, e eu não tinha sido capaz de colocar as peças no lugar.
    Eu não tinha sido capaz de pensar.

   E desde que eu tinha mudado, eu não tinha poupado mais do que um pensamento ou dois para o dragão, por isso não me ocorreu que a Quimera  podem ter os seus dedos, em mais de um vaso,
-Que o chupacabra pode não ser a única criatura que estavam estudando. Alterando. Experimentando.
   Eu me senti mal, tão mal que eu trouxe a minha mão direita para a minha boca, com medo de que eu poderia vomitar.

   Havia 39 variedades de criaturas sobrenatural . Eles haviam sido documentados, estudados, protegido por lei. Alguns viviam em locais tão remotos que eu nunca tinha realmente visto um; alguns seres humanos os caçava direto no meu quintal. Eu provavelmente nunca seria capaz de matar todos para cada monstro que eu
Quisesse matar, haveria sempre um novo para tomar o seu lugar-
mas ainda havia algum conforto em saber que houve um limite do quão ruim as coisas poderiam ficar.

   Trinta e nove espécies, algumas delas ameaçadas de extinção.
Trinta e nove era um fato.

"Eles estão fazendo mais." As palavras saíram em um sussurro, e por um segundo, eu pensei que eu poderia realmente começar a chorar.
   Eu fiz o que fiz porque eu tinha que fazer. Eu lutei toda noite que eu podia e me odiava as noites que eu não conseguia. Ele não iria nunca parar, e eles estavam fazendo mais.

Mais monstros. Os mais fortes. Os não naturais.

   Essa foi a palavra que Zev tinha usado para descrever o dragão
na pista de gelo, e eu podia vê-lo agora. Tão horrível como o resto
do mundo sobrenatural era, houve alguma objetivo ou razão para isso. Havia limites. Mas isso?

   Não poderia ser de um milhar de mim, e ele ainda não pode ser
o suficiente para combatê-los de volta se Chimera teria muito mais
sucessos, se esses sucessos saisse para a população da forma como o dragão tinha. Sem querer, eu pensei em todas as bestasque  eu lutei nas últimas semanas. O hellhounds eram apenas hellhounds. Os zumbis de retirada trabalhando como uma equipe, eram apenas zumbis. E o basilisco ...

Maior.Mais forte. Mais difícil de matar.

   Desta vez, eu realmente soquei a parede.

   Ao meu lado, Skylar percorreu mais arquivos no computador. Eu não conseguia nem olhar para elas, eu não queria saber, até que ela veio em cima do arquivo para chupacabras.

Até que eu vi a foto de Zev.

    Seu cabelo era ônix mais escuro do que o meu e tão negro que era
quase reflexivo. Sua pele era pálida, e eu me perguntava no fato de que em minha mente, eu sempre o vi tingido nas sombras.
    Ao meu lado, Skylar pareceu perceber que a foto tinha me chamado a atenção e por quê. Ela abriu a boca para dizer alguma coisa, e então seus olhos foram para a classificação científica  de Zev.

classificação. Homo Vampirus.




            

Cabeçalhos góticos feitos por mim !







Gente quem quiser usar pode , mas não pode tirar meu nome por que fui eu que fiz ok?! e me avisem se pegar assim posso saber se voces gostaram ou não . bjus


        

                                       

Mais um Nacional tomando conta !

   Despertar - Helena Andrade
                                         Despertar


“Mergulhei, senti a sensação em todo meu corpo. Emergi, olhei na direção onde o deixei. Ele continuava no mesmo lugar, me olhando. Estendi minhas mãos e o convidei a vir comigo.” Lívia não podia imaginar as mudanças que aconteceriam em sua vida. Mudanças que a despertariam para uma nova perspectiva profissional, para uma nova visão de mundo... e para um grande amor. Acompanhe esta trajetória emocionante em Despertar!

 


logo Skoob






            


                               

Ganhei neste Mês !



         Bem ... Mês de dezembro esta terminando e eu como uma boa leitora e ( escritora , modesta né?! rsrsrs)  sempre participo de promoções e veio pra minha estante mais dois livros nacionais que infelizmente estou sem tempo de ler e nem muita vontade ( foi mal ) não é que seja culpa dos livros, é problemas de família mesmo . Enfim...  estou triste e com raiva demais para ler ou escrever algo que não seja totalmente terror e bizarro . Não que isso me ajude a melhorar as coisas, mas não estou afim de ficar chorando pelos cantos ou ficar emocionada com as coisas que leio, então vou ler essas maravilhas chamados de livros quando estiver melhor e dar a devida atenção que eles merecem.

      OLivros :

  Ordem e Progresso - P.P.F Simões

                                 Ordem e Progresso

     Samantha Albuquerque com veemente esforço conquista o sonhado diploma de pós-graduação e finalmente surge a oportunidade tão esperada para trabalhar em sua área, assim que é contratada a ingressar no IMCSP (Imigrantes da cidade de São Paulo). Não obstante, todos os países do mundo começam a sofrer fenômenos naturais e sobrenaturais causando um grande alvoroço na mídia escrita e virtual, nas conversas pelos corredores de multinacionais e nos bares de esquina. Com exceção ao único país que parece ser isento desta estapafúrdia, sendo a nossa pátria amada. E sem se dar conta, seja a própria personagem ou o governo brasileiro, Samantha terá que se virar sozinha numa repartição pública sem nenhum recurso, esbarrando na burocracia constantemente, ficando impotente em ajudar os novos imigrantes que em nosso país não cessam em chegar, que atravessam as fronteiras com o único objetivo de sobrevivência. Entrementes, a história é narrada por uma terceira pessoa apaixonada por Samantha, demonstrando seus histéricos surtos de ciúmes no decorrer do relato até o momento em que a personagem é pedida em casamento pelo então noivo Albertino. O narrador quer a todo o momento convencer o leitor com argumentos retóricos, acusando o noivo de traição e racismo, de que ambos não podem ficar juntos. Augusto Comte escrevera: "O Amor por princípio e a Ordem por base; o Progresso por fim". Esse pensamento positivista é, de maneira inusitada, o lema nacional de nossa pátria amada, estampada como símbolo na bandeira do Brasil e conhecido por todos. A protagonista Samantha Albuquerque tenta desvencilhar-se em meio a clichês sociais, questões contemporâneas brasileiras e uma sociedade dominada pelos seus próprios mitos, para obter sua ordem, seu progresso e seu amor, num relacionamento que poderia muito bem ser convencional.  

 

                                                                logo Skoob


           Esse aqui em baixo chegou hoje ! considerei presente de natal rsrsrs


A Filha da Minha Mãe e Eu – Maria Fernanda Guerreiro

       Mesmo quem nos ama às vezes não consegue ver quem realmente somos.


                                      A Filha da Minha Mãe e Eu


   Sensível e tão real a ponto de fazer você se sentir parte da família, A filha da minha mãe e eu conta a história do difícil relacionamento entre Helena e sua filha, Mariana. A história começa quando Mariana descobre que está grávida e se dá conta de que, antes de se tornar mãe, é preciso rever seu papel como filha, tentar compreender o de Helena e, principalmente, perdoar a ambas. Inicia-se, então, uma revisão do passado – processo doloroso, mas imensamente revelador, pautado por situações comoventes, personagens complexos e pequenas verdades que contêm a história de cada um. 

 




                                                                      logo Skoob




        


Natal Infernal




  Natal Infernal

   

             Prologo:
 O   Natal é uma data para se comemorar  e passar o tempo pensando mais nos outros do que em sí mesmo, aproveitar o tempo e a família que se reúne nesta data tão importante, mas nem sempre coisas boas acontecem em datas especiais. Existem pessoas.... que não podem dizer ou fazer o mesmo. A vida não é boa com todos e as vezes eles decidem resolver isso com as próprias mãos, tomando o que a vida lhe negou.

                                              Parte 1:

                                           
    Papai Noel não Existe:

Desde pequena quis saber do por que Deus havia me feito assim, me deixado assim neste estado deplorável . E chegou o dia em que me perdi em pensamentos e pensei que talvez a culpa não fosse dele... que a culpa era do mal. Alguém tão ruim que colocou uma criança que não pediu para nascer, na rua, sozinha, dependendo de sua mutação para sobreviver. Isso ai ! Eu sou uma metamorfa e dava graças e pelo menos ter isso para sobreviver. Não sei quem são meus pais e por que me deixaram na rua. Tudo que conseguia lembrar era de estar frio a muitos anos atrás. A neve caia sobre mim e o mal podia sentir meus próprios dedos, eles estavam duros e de uma cor acinzentada . Não sabia meu nome ou simplesmente ninguém teve a preocupação de me dar um, por que pessoas só classificam aquilo que eles tem um certo apreço . Como quando você dá um nome a um animal. Ele não faz muita coisa para merecer um nome , mas mesmo assim você dá por que simplesmente o amor no segundo em que colocou os olhos nele.
      Eu queria ser um animal. Pelo menos teria comida e não precisaria ser algo, ou alguém que eu não era.

      Havia andado horas ou talvez dias até um senhor me encontrar enterrada pela neve quase morta e cuidar de mim. Num momento de ilusão pensei que o mundo ainda tinha uma chance mesmo que remota de ser bom, mas havia me enganado infelizmente. Sim, ele cuidou de mim, mas era mais pelo bem de seus desejos do que pela minha saúde. Era engraçado pensar que mesmo pequena e burra eu conseguia ter facilidade de reconhecer o perigo logo de cara, mesmo sem ter vivido muito, ou ter interagido com pessoas. Eu não gostava das pessoas. Elas eram estranhas, nunca seguiam um padrão, sempre faziam coisas diferentes com pessoas diferentes. Falavam em tantas línguas, jeitos e de expressões diferentes que não dava para saber o que era verdade ou mentira ali. Monstros como eu, embora nunca tenha encontrado com outro ser igual a mim, seguiam um padrão , eu seguia. Me escondia, ficava invisível aos olhos dos outros e quando me dava ao luxo me transformava neles para tirar algo que me fosse útil de suas casas. Como comida.
     
   Na noite em que comecei a melhorar e meus dedos voltaram a um tom parecido a normal o velho veio me procurar. Não sei quantos anos eu tinha ou ao menos quantos tenho agora, mas sabia que não era uma idade apropriada para um senhor daquela idade fazer coisas com alguém da minha.

- Agora que você esta melhor posso ver o quanto tenho uma menina especial.- Ele disse num sussurro embora não precisasse pois ele morava sozinho. Ele tinha um olhar estranho no rosto, quase como se estivesse faminto.

    Eu olhei para os lados tentando ver alguma saída próxima e ele havia percebido. Naquele tempo eu não sabia o que ele ia fazer , mas tinha um forte sentimento que gritava dentro de mim para sair de lá o mais depressa o possível. Que algo ruim iria acontecer... mesmo que não ocorresse como ele queria.

- É natal . Você não vai querer deixar um velho sozinho que te ajudou numa data tão especial, não  é ?! – Disse passando a mão pelo meu ombro e descendo levemente. Entrei em pânico e corri para a porta, mas ela estava trancada, pensei em sair pela janela mas ele me agarrou antes de conseguir ter uma chance de sair. Ele agarrou meu braço tão forte que tive que chutar seus joelhos para que me soltasse, Como ele já tinha uma idade avançada não resistiu e caiu sobre uma arvore cheia de luzes. Ele se levantou de novo enquanto eu destravava o trinco da porta e me pegou . Eu não lembro muito do resto, mas lembro das partes marcantes que era o importante para minha vida atualmente. Comecei a passar mal, minha pele parecia gelatina e meus dentes doíam tanto que tive que morder algo, bem forte. A escolha logicamente não foi de proposito , eu queria morder algo resistente e ao mesmo tempo macio, então mordi o velho. Depois tudo ficou nublado e quando acordei ele estava morto e eu coberta de sangue. Fui ao banheiro me lavar e me horrorizei com o que tinha visto no espelho.
      Eu havia me transformado no velho, com bochechas , a pele flácida e coberta com rugas e um cheiro estranho de morte pairando no ar. Fiz o que qualquer criança faria na minha situação , eu chorei e pedi perdão a um ser que naquele tempo eu não sabia nem sequer o nome. Quando consegui me acalmar voltei ao normal e sai da casa levando umas coisas que me seriam uteis como roupas e alimentos. Depois daquele dia comecei a odiar o natal e as pessoas. Com os passar dos anos aprendi a me transformar e a voltar ao normal e decidi que era hora de ter uma nova forma e quis ter a forma então de um homem forte e de boa aparência. Que naquele tempo era um homem alto com cabelos e olhos castanhos de um porte físico perfeito. Não era minha preferencia, eu gostava de ser e parecer como uma moça, mas corria risco demais na minha forma natural. Um tarado não pensaria duas vezes antes de pegar uma garota sozinha e indefesa num beco escuro, já um homem.... era menos do que provável.

      Hoje já não sou enganada pela humanidade, na verdade é justamente o contrario. Estou sim na rua, mas já tenho meus planos e tinha a vitima perfeita. Tinha cansado de ser a garota metamorfa de rua, eu queria ter uma casa, uma família que me parecesse segura e que não fosse perigo nenhum para mim e depois de semanas havia encontrado a garota que ia substituir.

   Alysha B.MacGuire . Uma garota que tem tudo. Uma mãe, um pai que a amam, uma casa segura, um carro, dinheiro, tudo que era considerado um paraíso para qualquer garota de rua. Mas ela não dava valor. Ela gritava, xingava e sempre queria mais, mais dinheiro, mais namorados, mais tudo. E ia por um fim nisso , fazer todo mundo feliz. Eu teria um lar e os pais dela teriam A filha que eles desejavam. Uma filha que daria valor pelo suor que eles davam em troca das coisas materiais e tudo aconteceria exatamente agora !
   
        Entrei no beco onde ela estava fumando meio doida e sorrateiramente amarrei uma corda em sua jugular e apertei. No inicio ela não teve reação, provavelmente pelo alto uso de drogas, mas depois ela começou a se debater e tive que bater nela, com força. Eu não queria me sujar , mas com minha força sobre humana era impossível e minhas calças novas foram manchadas. Por sorte a dela ainda estava em bom estado então as peguei antes de por fogo ao corpo. Eu não era má, pelo menos era o que eu queria acreditar. Tudo que eu queria era ter um lugar seguro onde ninguém tentaria me matar, abusar de mim enquanto durmo. Eu queria estar segura, nunca mais precisar lutar , roubar ou fazer qualquer coisa do tipo, queria ser só uma garota que deixa os pais cuidarem dela, estudar, ter um emprego e uma família, tudo que o mundo havia me negado e eu estava pegando de volta. Tomando o controle. Ninguém desconfiaria . Ela seria apenas um acidente, ninguém daria falta já que no seu lugar teria uma mais nova e melhorada versão de si mesma. Não haveria Alysha desaparecida. Haveria Eu no seu lugar e finalmente eu poderia odiar menos o natal e o tal do Papai Noel que faz com que crianças sentem emseu colo enquanto ele promete brinquedos que nunca virão por suas mãos. Eu não acreditava nele, ele era uma farsa e arrancaria seu coração caso o encontrasse, por fazer crianças sonharem com algo que não existe.

      Cheguei a acreditar nele uma vez. Pedi uma família e um lugar para estar segura e isso nunca chegou , agora eu estava tomando isso de alguém que não merece. Era injusto eu sei , mas o mundo não é justo . Uns tem demais e outros de menos. Se o mundo fosse justo eu não precisaria fazer o que estou fazendo. Eu teria um lar e a verdadeira Alysha estaria num lugar apropriado para seus costumes, algum buraco do qual podia manter seus vícios.

      Depois do corpo estar irreconhecível eu segui em frente seguindo o caminho da minha nova casa.

- Não posso deixar minha família esperando... é natal.


                                                                                                     
                    Continua....

              

                                   

Every Other Day - Capítulo 22


  

       Elliot era de fato a única pessoa presente que pensava que nós
deveriamos chamar a polícia. Skylar fechou os olhos, e cantarolou por um momento, e declarou que ela não achava que era uma boa idéia. Bethany foi positiva e disse que seu telefone e o telefone fixo estavam grampeados e que a Chimera saberia no segundo que fizessem a chamada.  E Vaughn  tinha uma diferente sugestão.

"Chame o Reid." Skylar fez uma careta, e mesmo que Elliot não tivesse admitido, ele fez o mesmo.

"Quem é Reid", eu perguntei.

"O irmão que eu teria que promover se Elliot não
parasse de me tratar como se eu fosse criança ", Skylar disse. "Ele é ... difícil."

"E com isso, ela quer dizer que ele é um cara durão". Elliot
recostou-se contra a parede. "Preto-e-branco em código moral,
ninguém mais se mede ".

   Eu me virei para Vaughn, esperando ele falar, mas ele só
encolheu os ombros.

 "Ele é um Federal". Direto. Porque a única coisa que poderia fazer esta situação melhor era o envolvimento do governo federal. Por que eu não poderia só fazer um outdoor voluntariando para deixar exército se juntar ao jogo de quem Disseca a Kali para se divertir?

"Se pedirmos ao Reid ele não vai contar, ele não vai", Skylar disse.

"Você é uma garota, Kali. Reid morreria antes de machucar uma criança. "

   Vaughn levou a declaração de Skylar como um selo de aprovação e
Sem dizer uma palavra, ele saiu da sala, a pescou seu telefone do bolso quando ele foi.

"Então, Reid virá e se livrará da carnificina de zumbis?" Bethany perguntou. "E depois? Ele vai iniciar uma investigação sobre a  Chimera por baixo dos panos? " Elliot assentiu.

 "Algo assim. Se o seu pai não fazer nada com sua mãe, ou Nathan. "

"Nathan?" Eu repeti, olhando para Skylar. "Não foi o irmão, que lhe ensinou a fazer ligação direta em carros? " Skylar encolheu os ombros. "Quando ele não está roubando carros, ele é um
advogado. "

   Eu estava começando a pensar que não havia bases da família  Hayden que não estivesse coberta, mas nada disso mudava a minha situação. Quimera ainda tinha Zev, e mesmo se Reid pudesse me manter fora da investigação, não havia garantia que a operação da  Quimera seria fechada, ou se Zev não seriam absorvido em algum laboratório do governo uma vez que fosse.

"Exatamente", Skylar disse, acenando com a cabeça para enfatizar
o ponto, embora eu não acho que nenhum de nós estava inteiramente certo do que ela estava dizendo exatamente.

 "A boa notícia é que Reid vai lidar com isso. A má notícia é que Reid vai lidar com isso. Ele não vai querer nossa ajuda. Ele não vai aceitar a nossa ajuda, e se ele pensar, nem por um segundo, que qualquer um de nós pode estar pensando a envolver-se em ajudar de qualquer maneira, ele terá que nos enviar para um convento na Suíça. "

"Ela não estava falando sério sobre a coisa do convento", disse Elliot
com um rolo desses gelados, olhos claros. "E, além disso, mãe e
Meu pai nunca iria deixá-lo. "

"Ele é Reid", Skylar retrucou. "Mamãe e papai não vai mesmo
perceber que ele está falando delas para ele. Eu vou acabar tomando chá com as freiras, e você vai estar caindo e dando alguns brocadas de um Sargento na escola militar. Kali e Beth provavelmente vão acabar em conventos, também, e ele nem as conhece. "

"Não me chame de Beth."

     Antes de Bethany e Skylar pudesse chegar a esse ponto, eu intervi.

"Se o seu irmão quer que você fique de fora," eu disse, "talvez
você deva. "Fiz uma pausa, deixando a sugestão antes de
acrescentar a ressalva. "Isso não é uma opção para mim."

Você não tem que fazer isso, Zev me disse. Você
não deveria.

"Eu tenho que fazer isso", eu disse a metade, alto para o benefício Zev e metade para a deles. "Eu não espero que o resto de vocês me ajudem."

"Claro que não", respondeu Bethany. "Porque você é a heroína , e nós somos os únicos que andam longe. "

   Eu não sabia como responder a isso, porque ela estava certa. Eu não esperava que eles me seguissem. Eles não me deviam em nada. Nós mal nos conheciam. \Qual  motivo eu poderia dar-lhes para ficar?
"Se nós vamos quebrar o laboratório do pai de Bethany, " Skylar
interveio, sem  qualquer motivo, "Nós provavelmente deveríamos
fazê-lo antes de Reid chegar aqui para limpeza de zumbi ".

"Ou," Elliot sugeriu, "não conseguiremos."

   Ele atravessou a sala, de modo que ele estava de pé ao lado de
mim. Bethany rastreou seu progresso com os olhos, mas a expressão em seu rosto nunca mudou.

"Eu fico querendo saber o que você é, de onde você vem , "Elliot disse-me, com a voz ainda doce. "Querer ajudar alguém que não pode ajudar a si mesmo. Mas isso é grande, Kali, e você pode se machucar. "Ele fez uma pausa. " 17 horas a partir de agora, você pode morrer. "

   Dezesseis horas e 59 minutos, eu corrigi silenciosamente, mas eu não disse as palavras em voz alta.

    Eu queria dizer a Elliot que esta era mais ou menos a minha vida.
A vida que eu tinha conhecido desde o tempo que eu tinha doze anos que eu caçava-monstros e que a única coisa diferente desta vez era que os monstros eram humanos. Mas o que saiu da minha boca foi outra coisa.

"Você não entende. Você nunca vai conseguir, Elliot, porque você tem uma família. Você tem amigos, e você tem um futuro -Você não precisa se preocupar que amanhã ou daqui a um ano ou cinco anos, alguém vai descobrir o que você é. Você não tem que acordar todas as manhãs se perguntando por que, você não tem que ir através dos movimentos, fingindo que um dia isso irá parar, porque ele nunca vai parar. "

Nunca, nunca, nunca.

"Eu não posso simplesmente ir embora e esquecer isso, eu sou isso,
e a única pessoa no mundo que poderia "ficar", apenas uma pessoa que pode realmente entender ou, Deus me livre, tem alguma pessoa  que tem as respostas, que é o que você quer que eu ande longe ".

   Eu nasci  para proteger as outras pessoas . Eu tinha que acreditar, acreditar que eu tinha um propósito, porque caso contrário, eu era apenas uma assassina. Eu estava nas bordas afiadas e violênta e fazendo-me sangrar. Ou eu fazia isso para fazer o mundo um lugar mais seguro, ou eu realmente era um monstro, menos humana do que eu estava disposta a acreditar.

"Eu estou fazendo isso", disse, descartando o toque de Elliot antes de
Eu mesma perceber que ele levantou sua mão do meu ombro. "Eu não vou pedir sua ajuda, e eu certamente não estou pedindo permissão ."

"Eu não sei o código." Bethany disse as palavras quando ela
tinha não apenas me interrompido, como se ela realmente não pudesse ter se importado menos com o que eu estava dizendo. "Eu não tenho idéia de como abrir a porta para o laboratório do meu pai, mas eu posso mostrar onde está. Talvez a "psíquica" possa intuir um poucos números para você. "

    Bethany fez um bom trabalho na última frase com sarcasmo e fingindo que não se importava, mas eu tinha que dominar uma arte particular, desde quando eu tinha nove anos, e eu via diretamente por ele. Se Bethany  conhecesse o código, ela teria dado a mim.

"Eu não tenho certeza sobre os números", Skylar disse brilhantemente, "Mas eu posso tentar."

"Pela última vez, Skylar," Elliot interrompeu. "Você não é psíquica. "

"E  Kali não é a super garota", Skylar arrulhou de volta. "Sua sabedoria fraternal talvez tenha sido absorvida. Em uma nota relacionada, seu trabalho é distrair Reid. "

   Sem esperar por uma resposta, Skylar disparou em todo o
quarto, me agarrou pelo braço e me arrastou para fora.
Betânia nos seguiu em nossos calcanhares.

"Por que você está fazendo isso?" Eu perguntei a ela. Poucas horas
antes, ela se recusou a nos deixar em qualquer lugar perto do laboratório.

"Kali, uma horda de zumbis atacaram a minha casa. Vaughn
disse que eles estavam usando algum tipo de alta tecnologia em colares, e Tenho certeza de que os zumbis normais não deveriam
coordenar os seus esforços de comer carne. Eu posso não ser o
mais nítida delineador na caixa, mas mesmo eu posso ler entre
essas linhas. "Ela fez uma pausa. "Além disso, estou ficando muito cansada de você ser a herói. Quando as pessoas me mordem, eu mordo de volta. "

"Irmãzinha o seu Namorado está no quarto", lembrou Skylar a ela. "Se você pudesse evitar falar de morder as pessoas, eu realmente
apreciária. " Bethany revirou os olhos.

"Não há." Ela trouxe-nos para baixo num conjunto extra de passos e apontou para uma porta de espessura do metal. "Se você pode decifrar o código, seja minha convidada. " Skylar assentiu e mordeu o lábio inferior, mas antes que ela pudesse colocar as mãos na porta, eu cheguei e a detive.

"Deixe-me tentar algo primeiro."

    Skylar pode ser um pouco vidente, mas eu passei o furto de manhã através da mesa  da Dr. Davis. Eu quase esqueci que seu celular não era a única coisa que me afastava da minha pequena viagem de reconhecimento.

Eu também havia memorizado as senhas gravadas do fundo de sua mesa.