Meu Vizinho Lobo - 10 Capitulo

sexta-feira, 11 de abril de 2014
                                            
                  

                        10 Capítulo:
      Mila não sabia o que fazer. Ela não tinha nenhuma ideia, mas o que se esperar de um homem com provavelmente mais de 500 anos? Logico que ele não ia ligar de entrar de cabeça num relacionamento serio. Ele já pegou o mundo, fez o que quis, lutou e abusou de sua vida, humanos ao seus 30 anos já estão prontos para qualquer coisa! Lucius logicamente não se encaixava nos padrões humanos e tinha as coisas em seu próprio tempo.

  
   Quanto anos um Lycan deve ter para se achar pronto para um casamento? Quinhentos ? Mil anos? Mila não tinha ideia.

   Ela nem sequer dormiu direito pensando naquilo, um jantar com seus pais. Se ela os conhecia bem ia acontecer uma desgraça. Seus pais não só eram maníacos religiosos como ela estava certa de que eles á veriam como uma espécie de amante do mal ou algo parecido. Lucius nem sequer parecia preocupado na hora de dormir. Ele acabou pegando no sono nos braços de Mila enquanto ela ainda estava apenas enrolada numa toalha.

   Tão bonito. Tão inocente e mesmo assim conseguia tirar o sono de Mila. Nem mesmo o cheiro de Lucius ou seu calor eram o suficiente para lhe acalmar os nervos.

   Quando amanheceu Lucius  foi tomar banho ( com a porta aberta novamente) e Mila viu que ele preferiu ficar de molho na banheira por bastante tempo, então ela desviou o olhar do banheiro para não ser pega e abriu a porta do quarto quando ouviu uma batida. Quando o fez, Lucas estava parado em sua frente.

  Seu cabelo estava perfeito e os óculos escuros não escondiam o brilho âmbar de seus olhos. Ela não queria admitir, mas aquilo era assustador.

Como minha paciente está? Perguntou ele com um sorriso amigável.

   Lucas tinha dentes brancos e bonitos, mas quando sorria ele aparentava como se seu sorriso fosse se abrir e não parar mais até que tudo que restasse em seu rosto fosse o sorriso. Talvez aquilo fosse algo da espécie dele, ela não tinha ideia, ou talvez fosse sua imaginação que estaria meio perturbada.

Se eu disser que não estou bem, você pode fazer Lucius desistir de jantar com meus pais? Perguntou Mila e Lucas balançou a cabeça num não.

Por mais perturbador que isso pareça, Lucius nunca muda de ideia. Disse ele com cenho franzido. Lucius fica até meio insuportável quando quer alguma coisa. Disse por fim desanimando-a.

Mila colocou suas mãos na cintura em protesto.

Eles são insanos! Maníacos religiosos ! Disse ela olhando para a porta para dar uma olhada em Lucius. A cortina que havia em volta da banheira estava fechada e não dava para ouvir nenhum som. Vai ser uma tragédia !

Você está com vergonha de Lucius? Perguntou Lucas se sentindo desconfortável. Ele se mexeu um pouco e se encostou no batente da porta. Ele era um tanto mais alto do que Lucius .

Mila negou com a cabeça.

Eu nunca teria vergonha dele, pelo contrario . Disse ela se sentindo desanimada. Meus pais vão fazer uma noite que é para ser legal para a primeira vez que uma garota leva seu namorado para conhecer seus pais, numa noite do terror. Qualquer coisa para eles é motivo para por Deus e o mundo no meio. Além do mais... Nem sequer perguntaram por mim desde que cheguei aqui.

   Lucas concordou com a cabeça e deu um sorriso gentil, sem nem sequer mostrar os dentes. O que ela agradecia.

Não se importe com isso, só.. aproveite o momento. Lucas deu um aceno de cabeça. Vejo que você está ótima, amanhã virei dar mais uma olhada em você . Antes que Mila pudesse dizer mais alguma coisa ele já tinha ido.

   Como Lucius não se manifestava de uma vez, Mila chegou a pensar que ele havia dormido na banheira e provavelmente estava morto nesse exato momento. Ela se encaminhou para o banheiro com o coração no pescoço e abriu a cortina com tudo. Lucius estava de pé com a mão pronta para ligar o chuveiro naquele momento. Ele a olhou e sorriu de um jeito pervertido.

Quer se juntar á mim ? Perguntou á ela com toda sua gloria e a nudez de seu corpo.

Mila precisou de todas suas forças para não dar uma espiadinha. Ela apenas sorriu e disse do jeito mais calmo e gentil o possível.

Ah não, obrigada. Pensei que você havia dormido e morrido na banheira. Fiquei preocupada.

Ela fechou a cortina com as mãos tremulas e com o rosto queimando de vergonha. Mila apenas se encaminhou para a cama e se sentou chocada. Era a primeira vez que ela havia visto um homem nu ao vivo e a cores e ela nem sequer pôde prestar atenção. Ela suspirou enquanto se olhava num espelho que estava sobre a cômoda.
Aquele rubor...ficaria em seu rosto pelo resto dos dias, junto com a imagem de Lucius com o corpo cheio de sabão e nu, debaixo do chuveiro.

                                                       *****

Mila havia ficado tão chocada em ver Lucius nu que o próprio não sabia o que dizer a moça. Para não criar uma situação onde Mila tentaria ficar longe dele pelo constrangimento ele decidiu dar seu melhor sorriso de conquistador e dizer:

Quer se juntar á mim ? Perguntou com um pouco de esperanças, mas ele tinha que ser bonzinho, afinal, provavelmente ele era o primeiro e ele queria ser do tipo que ia com calma. Assim tudo sairia bem e perfeito para ela.
  
   Lucius podia dizer que ela foi a única com quem ele se importou em ir devagar, se fosse outra, ele não o faria. E se ele fosse pensar bem, nenhuma agia como Mila. Todas agiam como se tivessem anos e anos de experiência e pratica, com Mila tudo era novo. Ela parecia...delicada, amorosa. As outras só pareciam desesperadas para agarrar um lobo quando nem mesmo um homem elas conseguiam segurar.
    Isso era culpa dos livros e filmes de romance, onde um homem demoníaco e sexual se apaixona pela mocinha e eles vivem felizes pra sempre. Eles não tinha ideia do que era ser demoníaco.
  
   Lucius saiu do banho e se encaminhou para a janela. A lua de sangue estava próxima e as pessoas deveriam se cuidar. Ele não podia nem controlar a si mesmo neste dia, quanto mais a seus homens. Ele começou a se preocupar... quando o dia chegasse, ele gostaria que Mila estivesse num lugar seguro até que tudo acabasse. Nunca se perdoaria caso acontecesse algo com ela, mas nessa situação... Lucius não podia esquecer que Mila agora também era uma sobrenatural. Ela também seria afetada pela lua de sangue. Na melhor das hipóteses, talvez nada acontecesse. Ou talvez tudo.

   Seja como for, a lua estaria em sua Ascensão daqui três dias e ele precisava tomar providencias com seus homens.
   Ele se vestiu e passou pelo quarto dando uma piscadinha sem vergonha á Mila como indicio que ele não estava bravo pela invasão, e sim o contrario. Putz. Ele estava até meio excitado !

  Seu rosto estava enrubescido e ele não podia deixar de notar o quanto aquilo era adorável. Em seguida ele saiu e se encaminhou para o consultório de Lucas.

A porta estava fechada mas dava para ouvido teclando em seu computador. Lucius deu duas batidas na porta e o esperou.

  Mal Lucas havia aberto a porta e Lucius já estava matracando.

Falta três dias. Disse ele e Lucas não parecia surpreso em nada.

Não dá para esquecer esse evento. Respondeu dando espaço para Lucius passar e entrar.

Dá para acomodar todos os nossos aqui. Lucius disse. E fiz uma sala especial para você .

Lucas sorriu e enfiou a mão debaixo dos óculos para poder coçar seus olhos. Ele parecia cansado, o que não era de se surpreender já que a espécie dele era mais sensível e selvagem á Lua de sangue. Dragões... eram complicados. Ainda mais dragões da água. Talvez por isso existissem poucos.

Muita consideração sua . Mas vou ficar solto nesse dia.

 Ele não conseguiu conter o horror que passou por seus pensamentos. Um dragão solto pela cidade na lua de sangue. Ainda mais Lucas... Não que ele fosse um homem ruim, mas ele era conhecido por não gostar muito de humanos. Com todos os motivos até onde Lucius sabia.

O quê espera ganhar com isso? Ele perguntou irritado. Você sabe como é.  Lucius apontou um dedo ao seu companheiro. Lua de Sangue é como um apocalipse, a terra vira um inferno!

  Lucius levou suas mãos á cabeça em frustração e Lucas o respondeu com um dar de ombros.

Não vou te explicar os motivos. Eu só sinto que preciso ficar solto nesse dia.

Ele tentou não argumentar. Lucas costumava ser tão cabeça dura como ele e se insistissem muito naquilo os dois sairiam na briga até um , provavelmente o próprio Lucius sair morto.

Não vou discutir com você. Respondeu embora ainda estivesse frustrado. Ele ainda tinha que achar um lugar seguro para Mila e ficar brigando com seu amigo não ia ajudar.

Obrigado. Lucas respondeu e se voltou ao seu computador.

Antes que Lucius saísse ele tinha que fazer apenas uma pergunta.

Por quê ?

Lucas o olhou de relance e Lucius pôde ver o brilho de seus olhos.

Por que você vai precisar de um soldado lá fora . Respondeu. E vou encontrar alguém importante.

  Lucius saiu sem entender muito o que ele havia dito, mas uma coisa era certa. Lucas nunca havia errado em suas decisões.
   
   O resto do dia foi apenas conversa com seus homens e os alertando sobre o evento. Humanos poderiam simplesmente ficar de fora, eles não precisavam saber. Pelo menos ele pensou que era melhor assim, a ultima coisa que eles precisavam era de um motivo para os humanos declararem uma guerra aos sobrenaturais. E se houvesse... eles revidariam e Lucius não sentiria nenhuma gota de remorso . Ele era um guerreiro, um sobrevivente. Ele cresceu nessa vida e não tinha intenção de morrer pelas mãos de humanos, que estragaram seu próprio mundo com suas sujeiras . A parte onde ele se socializaria á eles era apenas por educação e boa convivência. Se alguma raça quisesse se opor... não havia nada que ele pudesse fazer há não ser lutar.

  Quando foi a hora do almoço ele preparou algo para Mila que estaria trancada no quarto e ele deu graças a deus por isso. Seus guardas provavelmente já sabiam o que Mila era e ele não queria ninguém fora ele e Lucas, perto daquele quarto. Depois de se ocupar disso ele almoçou e telefonou para a casa dos pais de Mila.

    No exato momento em que o homem do outro lado da linha ouviu a voz profunda de Lucius , ele invocou seu deus e sussurrou algo como demônio , para sua mulher. Era bom saber que Lucius era reconhecido, embora ser chamado de demônio seria um insulto! Uma vez que eles são feios, não tem alma e nem sequer forma humana. Sem mencionar o cheiro....

Não bastou converter minha filha numa de suas prostitutas demoníacas? O que mais você quer?

Lucius tentava ser educado, o mais educado o possível, mas era difícil. Ele não gostou de ouvir aquelas palavras, Lucius nunca precisou de prostitutas, nem converteu Mila em algo parecido. Embora ele quisesse muito que ela fizesse sexo com ele... A parte do demoníaca nem sequer era parte dele! Castas seguem a linhagem sanguínea mais forte. Um daqueles dois malucos tinha que ser pelo menos um sobrenatural, há não ser que ela fosse adotada.

Tomei sua filha como minha esposa, seria agradável para ela ter um jantar formal com seus pais antes de nos casar.

  O homem pigarreou no telefone e Lucius podia sentir uma serie de blasfêmias com sua pessoa, mas no jantar ele deixaria claro algumas coisas...

Minha filha está morta e sua alma salva com nosso senhor.

Lucius cerrou a mandíbula e fez uma força sobrenatural para não ir lá e arrancar a cabeça do homem.

Bem... parece que vocês vão jantar com ela mesmo que não queiram hoje á noite. 

E... ah de vocês se ela parecer infeliz.

Isso é uma ameaça?!

Quando for, o senhor irá saber. Lucius disse e pensou na cena.

Ele iria saber assim que visse seu coração fora do peito.
                                         
              *****

   Ao anoitecer Mila e Lucius estavam prontos e foram caminhando até a casa dos seus futuros sogros. Chegando lá, logicamente não foi recebido com um sorriso no rosto, muito menos Mila foi recebida assim, o que deixou Lucius zangado.

    Boa noite. Disse ela como se não os tivesse visto há anos. Eles deram um aceno de cabeça , mas não a responderam.

Eles deveriam estar bravos. Ela pensou já conhecendo o tipo de sua família. Não que fosse culpa dela que seus pais eram preconceituosos, mas ela não podia deixar de se sentir envergonhada pela modo que seus pais estavam agindo.

Entrem. Disse o pai dela e eles o fizeram.

Na hora de jantar Lucius se sentou na mesa, mas a mãe de Mila insistia em ficar os encarando com ar superior.

Vocês deveriam lavar as mãos. Disse ela praticamente os repreendendo. Vai saber onde vocês estiveram. Mila fingiu que nem sequer havia ouvido e subiu os degraus segurando a mão de Lucius. Não havia sido proposital, quando ela se deu conta já estava colada nele.

Lucius entrou no banheiro e puxou ela junto sem sequer pensar duas vezes e lavou suas mãos junto com as delas.

Eles são... diferentes.

Mila revirou os olhos e sorriu sem graça.

Eles são preconceituosos. Disse ela.

Lucius olhou para seus sapatos caros e os encarou. Mila podia perceber que ele se sentia culpado e tentou amenizar as coisas.

Deixe eles e vamos só... tentar salvar nossa noite. Ela agarrou sua mão e o abraçou, sentindo calor, o cheiro dele...era tudo que ela precisava para se sentir bem. Era engraçado perceber que coisas simples podem te manter de pé num dia difícil.

 Lucius começou a beijar o topo de sua cabeça e ela imaginou onde aquilo ia dar, com suas mãos percorrendo a linha de suas costas, mandando arrepios por todo o seu corpo. Em seguida, sua boca foi de encontro com a sua e eles se beijaram de um jeito apaixonado, sem nenhuma pressa. Como se não houvesse mundo, como se não houvesse mais ninguém no mundo.

  Eles começaram lentamente e foram aumentando seu ritmo, sua necessidade e quando foram se dar conta, já estavam dando uns amassos no banheiro, se esquecendo do jantar e que eles apenas entraram ali para lavar as mãos....
   O pai de Mila bateu na porta com violência e com o susto que Lucius levou ao voltar para a realidade, seu calcanhar foi de encontro com a parte de baixo do sanitário do qual quebrou uma parte e começou a vazar água. Não demorou nem sequer alguns segundos antes do banheiro começar a alagar e ouvir maldições do outro lado da porta, vindo de seu pai.

Lucius olhou seus sapatos que estavam encharcados e resmungou um merda seguido de uma careta.

Ele tentou achar o registro para fecha-lo, mas não o encontrou. Lucius não teve escolha há não ser ter que avisar aos pais de Mila sobre o acontecido e ela só ficou encarando e imaginando as próximas horas.

   A família inteira secou o banheiro e tentou dar um “jeito” mais rápido que resolvesse a situação provisoriamente . Em seguida desceram para jantar, mas a comida já estava fria.

  Lucius não se importou já que ele já havia comido de tudo que é jeito nessa vida. Eles poderiam dar um bife cru a Lucius que ele não ligaria a mínima. O sangue da carne dava um gosto bom...- Pensando nisso. Lucius prometeu a si mesmo que nunca diria algo parecido em voz alta, principalmente em frente a Mila.

   Mila não se sentia com fome e desconfiava que seus pais poderiam ter posto algo na comida. Ela não sabia o que podia ser, mas desconfiava de algumas coisas, alho, água benta...provavelmente os talheres eram de prata. Tudo para ver se Lucius começaria a arder em chamas ou se transformaria num monstro. Ela mal pode conter a vontade de revirar os olhos.

  Esse era sem duvida o dia mais terrível de todas as suas vidas.

O pai de Mila encarou sua mulher e tentou puxar uma conversa.

Soube que muitas moças estão sumindo na cidade. Disse ele e sua esposa concordou .

Ah sim. Talvez as tenham pego para serem esposas... Disse ela olhando de canto de olho a Lucius, do qual se sentia desconfortável com os insultos.

  Nenhuma mulher era prisioneira. E muitas delas haviam gostado do jeito Lycan... de fazer as coisas. Ele não tinha ouvido nenhuma reclamação delas sobre seus homens. As que não queriam um compromisso serio com eles, podia simplesmente se retirar.

Eles são ótimos! Disse Mila dando um sorriso educado. E bonitos. Tenho certeza que elas estão felizes fazendo a dança do acasalamento.

Mila!!! Gritaram em uníssono repreendendo sua filha. Ou ex-filha. Nunca se sabe.

Lucius tentou disfarçar um sorriso perante a ousadia de Mila. Ela tinha algo que ele não, poder de se expressar na frente de humanos sem ser apontada como monstro.

Ele respeitava as atitudes dela. Sempre que alguém tentava faze-la ficar desconfortável por estar perto de sua raça, ela os defendia e até mesmo os desafiava. Ele... se sentia orgulhoso e alguma coisa a mais. Ele não sabia explicar. Ele sentia algo no coração. Talvez fosse amor ou alguma doença. Eventualmente ele ia descobrir.

 Mila fez um gesto para que eles parassem.

Não estou mentindo. Respondeu do jeito mais calmo o possível e depravado. Tudo para irritar seus pais. Eu tentei resistir, mas tinha...aquele calor, músculos, aquela voz sexy no meio da escuridão. .. Simplesmente, me rendi.

  Seus pais pareciam chocados, como se tivesse crescido chifres no topo da cabeça de sua filha e Lucius tentava não cair no riso e ficar excitado. Ver Mila daquele jeito descontraído mexia com ele.

Ela sorriu, um sorriso genuíno. Lucius podia ver os olhos dela brilhando e isso era um forte indicio que ela havia dito a verdade.

É impossível controlar isso. Disse ela.

  Foi algo rápido, inocente. Os olhos dela brilharam com uma cor branca e pálida como a lua rapidamente por causa do humor e seus pais fizeram o sinal da cruz e se levantaram de sua mesa.

Acho que a noite terminou por aqui. Disse seu pai enquanto sua mãe abria a porta, praticamente dizendo para eles se retirarem e eles o fizeram de bom grado. Quando saíram eles bateram a porta na cara deles e Mila e Lucius foram caminhando até o quartel onde os Lycans viviam. Era perto, uns dez minutos e eles chegavam lá. Praticamente vizinhos de seus pais .

   Eles caminharam lentamente enquanto olhavam a noite. A lua estava completamente cheia e tinha sua borda avermelhada. Mila apontou para o céu e olhou para Lucius.

Isso nunca aconteceu antes. Disse ela. Não desde que nasci pelo menos.

Lucius tentou desviar do assunto, mas curioso do jeito que era, ela ia dar um jeito. Então ele achou que seria melhor se ele contasse parte da historia.

A lua de sangue está chegando. Disse ele entrelaçando seus dedos com os dela.  É um evento onde as criaturas sobrenaturais ficam mais fortes e... se libertam.

Mila arqueou uma sobrancelha o questionando .

Libertar né? Disse ela e ele tentou fazer uma comparação com algo que ela podia estar familiarizada.

Como... “aqueles dias” para as humanas.

Mila riu, alto e chocou seu corpo com o dele.

Você vai menstruar ou o quê? Perguntou zombeteira e Lucius sorriu sem se conter em ver um sorriso naquele rosto. Ele gostava mais dela assim, feliz , e não incomodada por causa de seus pais e suas coisas religiosas..

Sem menstruação, mas...ficamos irritados, sensíveis as coisas a nossa volta, podemos ficar violentos ou excitados dependendo do nosso dia. Digamos que ficamos insanos na lua de sangue  e podemos... não ser bons nesse dia para as pessoas a nossa volta.

Mila fez um “O” com a boca e fez cara de ofendida fingida.

Esta comparando uma tpm com insanidade sobrenatural?! Bem coisa de homens mesmo. Disse revirando os olhos, mas ela não parecia irritada. Aliviada era o termo certo.

 Lucius encarou o céu, em seguida olhou Mila.

Passamos por aquilo e nem sequer tivemos a aprovação deles. Disse ele e ela deu de ombros.

Eu sou de maior. A única aprovação que conta é a minha. Além do mais...  
Disse tentando esconder que estava ficando triste. Eles ficaram estranhos depois que eu disse aquelas coisas e tenho certeza que meus olhos brilharam.
Lucius fingiu-se de desentendido.

Por quê?

Eu estava com uma colher de prata super polida na mão. Tenho certeza que eu vi um brilho ali e em seguida eles fizeram o sinal da cruz! Disse ela. Como se eu fosse pegar fogo ou dizer gloria a satã ou coisa parecida.

Ela bufou de raiva e soltou sua mão da de Lucius e ele a pegou de volta, a puxando para ele.

Queria que fosse legal para você .

 Ela balançou a cabeça e se acalmou.

Não é culpa sua. Disse o abraçando. Achei que o amor deveria ser maior e mais importante do que tudo.

E é. Lucius respondeu. Alguém que não ama, não pode dizer que vive de verdade.

Eles chegaram no enorme portão de metal com figuras fortes o guardando e fizeram reverencia quando Lucius e Mila passaram.

Lucius parecia sem graça pela sua ideia. Ele poderia apenas ter feito um jantar romântico e tentar seduzi-la , ou irrita-la, ou os dois ao mesmo tempo e terminar a noite nisso. Ao invés, ele havia tido aquela ideia idiota...

Mila puxou Lucius pelo colarinho de sua camisa cara, do qual ela tinha certeza que ele havia se vestido como menino rico para impressionar seus pais, e o beijou enquanto não conseguia conter o riso.

Esse dia foi um desastre, por favor. Não vamos repetir um dia desses com meus pais. Eles me deserdaram há muito tempo com certeza.

Você não esta brava?

Não. Respondeu o puxando para os fundos.

Se eles andassem mais um pouco, Mila poderia ir até aquele lago para nadar e se livrar naquele dia.

Onde estamos indo? Perguntou ele e ela deu um sorriso malévolo.

Você deveria aproveitar enquanto estou tão má que posso ser imprudente.

 Lucius ergueu suas sobrancelhas em surpresa pensando nas possibilidades....

  Eles andaram mais para frente e caminharam até a borda do lago onde Mila começou a tirar seu vestido, o deixando deslizar para baixo de suas pernas. Em seguida ela retirou suas sandálias e Lucius viu que obviamente ela não usava nada por debaixo daquele vestido, pois ela estava nua diante dele e a ideia de que ela havia jantado com seus pais praticamente nua o deixava excitado.

É lua cheia. Você não vai ficar com medo do lobo mal? Chapeuzinho vermelho.  Sua voz estava cheia de desejos e segundas intenções e Mila gostou. Ela queria ve-lo assim. A desejando. Deixando ela tomar o controle, o primeiro passo.

Por que você acha que a chapeuzinho tinha medo do lobo?  perguntou testando a água molhando a ponta de seu pé.

Ela estava fria, mas Mila preferia assim. Ela deu um pulo na água do modo mais gracioso humanamente o possível e foi nadando lentamente para longe de Lucius.

   Mila o encarou e ergueu uma sobrancelha.

O lobo pode muito bem ter sido a vitima da historia...

Ela viu os olhos de Lucius brilhando num tom Azul Gelo á sua frente. Ela virou as costas para ele e ouviu barulho de roupas sendo tiradas e sapados sendo jogados atrás de si e ela sorriu com sigo mesma sem acreditar que ela havia tido coragem de fazer aquilo.

Você está entrando num terreno muito perigoso. Disse com a voz entre cortada.

  Lucius entrou na água e nadou até ela a envolvendo em seus braços.

Não fui eu que entrei. Disse ela se virando em sua direção. Ela encarou seu olhos e mordiscou o lábio inferior de Lucius. Foi você que me trouxe.

              
                               

11 comentários :

  1. AAAHHHHH perfeito! kkkkkk que homem é esse senhor??!! quero um Lucius pra uso privado :9

    ResponderExcluir
  2. Também quero um Lucius para uso privado!!!!!!!! kkkkkkkkkkk
    Esperando mega-ansiosa os próximos capítulos!!!!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  3. SEM PALAVRAS.
    CADE O PROXIMOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!!!
    Ficado cada vez mais louca.

    ResponderExcluir
  4. comecei a seguir o blog e ja estou amando tudo Lucius é demaissssss!!!!!!!
    ansiosa esperando o próximo capítulo!

    ResponderExcluir
  5. uau! que delicia! quero o próximo capítulo logo.

    ResponderExcluir
  6. Uau! Que delicia! Eu quero ver o próximo logo, é bom d++++.

    ResponderExcluir
  7. estou amando este conto!! quando sai o próximo capítulo?? estou muito ansiosa pra ler o que vai acontecer!!!! *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Grasi que bom que gostou! vou postar essa semana

      Excluir
  8. Quero muito ler o próximo capitulo!!Por favor posta!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vou postar amanha ^^ saio as 14:00 horas do trabalho amanha ai da tempo de terminar

      Excluir

* . Comente aqui o que você achou da postagem , se gostar vire seguidor do blog. * sua presença é muito importante.