Blade Wolfpire - 7 Capitulo

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014
            Photobucket
                                      7 Capítulo :
       Quando cheguei era quase quatro da manhã e não faltava muito para todo mundo acordar. Eu não tinha muito tempo. Peguei o pote e me dirigi ao quarto de hospedes onde agora, era o quarto daquele magrelo. Abri a porta sorrateiramente, mas ele não estava lá. Provavelmente tinha passado a noite fora numa farra. Esse era meu dia- quer dizer madrugada da sorte.


   Entrei em seu quarto e fui direto em seu guarda-roupa e bem na sua gaveta de cuecas eu despejei um pouco do conteúdo do pote sem ao menos olhar para aquilo. Do jeito que meu estomago estava sensível e revirado por causa do cheiro....eu não queria arriscar a olhar para a fonte daquele cheiro. Eu não tinha ideia de onde Jason tinha encontrado aquilo, mas ele havia dito que não era de verdade. Que só tinha o cheiro e a textura de carne morta, mas enfim...Tem coisas que é melhor não saber.

   Fechei a gaveta lentamente e a porta do quarto e me dirigi até a cozinha, onde peguei o lanche que normalmente minha mãe deixa pronto ao Edward e tirei a torta que ela havia separado para ele e comi. Já que não tinha comido nada mesmo, eu realmente precisava daquilo e embora minha mãe fizesse, quando eu chegava já não tinha mais nada.

    Depois do recipiente estar vazio eu despejei o resto do conteúdo naquele pote e deixei tudo como estava antes e fui dormir. Não teríamos aula quando amanhecesse, mas eu teria que ir a escola depois do almoço fantasiada para cuidar da organização e mexer nas luzes. Claro, isso tudo com uma adaga muito verdadeira enfiada em minha bota.

    Quando fui ver... eu só acordei com os gritos de Edward e o som de seu estomago se esvaziando.

  Pelo jeito minha mãe não estava em casa, muito menos Jerry. Caso estivessem minha mãe já estaria socando minha porta.

Eu estava pronta para voltar ao meu sono da beleza quando Edward entrou no meu quarto sabê-la como e vi seu estado deplorável. Sua pele estava esverdeada e suas mãos manchadas de um tom vermelho como se ele tivesse acabado de matar alguém, e tinha um traço de vomito grudado em sua boca. Ele parecia meio louco naquela hora. Muito louco.

Vou você sua vadia ! Ele gritou e pulou em minha cama segurando meus braços. O quê é aquilo? Ele perguntou, mas eu não sabia o que responder exatamente.

Aquilo vai ser você no futuro se você não me soltar.

Eu virei meu corpo e dei um chute em seu estomago e ele caiu da cama, mas ele ainda estava puto da vida.

Não vou contar essa merda para sua mãe , por que você ainda vai sair comigo. Ainda hoje! Ele gritou e bateu a porta do quarto.

Consegui ouvir ele limpando tudo e vomitando de vez em quando. Quando ele finalmente pensou que tinha acabado, ele decidiu comer seu lanche e quando abriu o pote viu minha outra surpresa e pude ouvir seus xingamentos e mais uma dose de vomito.

   Eu não sabia o que Edward tinha na cabeça, mas ele estava realmente obcecado em tentar tirar algo de mim. E isso estava me deixando com calafrios. No começo, pensei que Edward só era mais um daqueles caras chatos e irritantes, mas ele tinha um traço de loucura que eu não tinha identificado até o momento.

Você é pirado Edward. Disse a mim mesma me virando para dormir. Lembrando que tinha que pegar a chave reserva que Edward tinha roubado ou trocar a fechadura. Com esses ataques de loucura dele, eu teria que levar meu colchão ao banheiro.

   Quando deu minha hora eu tentei fugir para a escola, mas minha mãe tinha trancado tudo. Isso era um forte indicio que ela queria ter uma conversa seria.

  A encarei e ela apenas olhou para mim como se fosse minha dona.

Se apronte. Quero que você saia com Edward agora.

  Minha alma quase saiu do meu corpo.

Você não pode estar falando serio! Eu tenho coisas da escola para resolver ! Estou cuidando do baile de dia das bruxas!

Minha mãe apenas deu de ombros e tomou uma xicara de chá.

Ano que vem tem mais. Disse como se eu fosse viver eternamente naquela escola.

Eu vou me formar esse ano! Depois dessa bosta tem faculdade, não tem festas desse tipo lá. Disse começando a me estressar e sentir uma agulhada em meus miolos. Isso costumava acontecer quando eu estava nervosa. Isso e um conjunto de flash e imagens que eu não sabia de onde vinha.

  Minha mãe apenas balançou a cabeça e resmungou alguma coisa que eu não consegui ouvir.

Você vai e pronto. E quero um sorriso aqui. Disse agarrando em meu maxilar e aquilo doeu. Tanto no corpo como na alma.

Papai vai adorar saber disso, ainda mais se deixar marcas. Com isso ela me soltou e bufou de raiva.

Você acha que seu pai vai resolver todos os seus problemas.

Meu problema começa com uma porcaria de mãe. Respondi irritada. E ela me deu aquele olhar de vou te dar uma surra. Mas isso não vai durar muito tempo. Disse sorrindo. Com satisfação saindo de todos os meus poros. A casa vai estar pronta no fim do ano, justo quando eu me formar. 
E eu vou embora e você pode seguir sua vida , posso me esquecer de você e dos meus “problemas”.

 Pensei que ela ia me bater, mas ela disse um “ ótimo” e mandou eu me arrumar. E o fiz, apenas para sair de casa, pois se não eu passaria o dia todo trancada em casa. Mas eu não fiquei toda arrumadinha como Edward gostaria. Eu me vesti de pirata e até que estava bonita demais para alguém como ele e guardei a adaga que meu pai costumava usar quando ia viajar. 
    Meu pai gostava muito de ar livre, então ele sempre levava algo para se proteger e quando ele se separou da minha mãe, ele havia me deixado aquela adaga.
  
Eu sai do quarto e Edward estava me esperando com uma cara vitoriosa e me fez sentar no carro de jerry, que tinha emprestado ao inútil de seu filho aquela tarde. Antes mesmo de Ed sentar seu traseiro no banco eu já tinha enviado uma mensagem para Megan e uma para Darla, alertando que Edward estava me sequestrando. Não que fosse uma verdade, mas não era mentira uma vez que eu não queria estar ali. Com ele. Naquele carro. Nesse planeta.

  Ed ligou o carro e foi dirigindo eternamente numa viagem estranha que levou 2 horas e a cada minuto eu sentia meu fim. Eu não sabia o por que dele estar me levando tão longe, mas aquilo não era bom. Tentei enviar outra mensagem, mas Ed tentou pegar meu celular e lutamos dentro do carro em movimento para saber quem venceria. Apertamos um monte de botões e meu celular acabou ligando para uma de minhas amigas e eu gritei.

Edward você vai me matar !

Quando terminei de dizer aquilo meu celular já tinha sido tirado da minha mão e ele o arremessou pela janela .

Enfim sós. Disse ele com um sorriso no rosto.

Magrelo maldito. Pensei o amaldiçoando, mas minha raiva se transformou em medo quando vi meu destino. Parque Wolfpire. O parque muito conhecido por ter uma lenda de um guerreiro rude que ameaçava a cidade, onde as pessoas daquele vilarejo desapareciam em meio a neblina e seus corpos eram encontrado sem sangue e as vezes faltando lhe os pedaços.

    Eu havia me perdido naquele parque quando era mais nova. Tive uma forte febre e depois que acordei no hospital meu pai havia dito que eu fiquei fora por 1 semana e perguntou onde eu estava, como sobrevivi, mas eu não lembrava direito. Lembro somente de ter escorregado e caído de um lugar alto, por causa daquela febre eu mal enxergava o que via e eu era uns 7 anos mais nova do que sou agora. Eu tinha uns 10 anos. Mas sabia que tinha alguma coisa daquela floresta.

   As arvores pareciam não acabar mais e havia uma leve neblina saindo entre elas. E mesmo sento depois do almoço. Aqui deste lado era como se estivesse prestes a anoitecer.

Por que você me trouxe aqui? Perguntei tentando parecer valente , mas ele não estava prestando atenção em nada o que eu fazia.

 Edward trancou as portas com um botão e tentou uma aproximação, mas eu me encolhi e gritei.

Me leve para casa agora!

Mas mesmo assim ele não se sentiu nada intimidado, ele se sentia como se eu fosse uma criança indefesa.

Só de pensar que você deve estar sem nada por baixo disso tudo... torna tudo tão sexy.

Você é louco! Gritei e tentei socar o vidro com minha mão , mas Edward me agarrou e tentou me beijar a força e eu gritei mais forte e desesperadamente ainda.

   Ed sorriu se divertindo do meu desespero e me encolhi no meu canto, quando ele tentou se aproximar novamente, a porta do carro foi arrancada para longe e Edward foi puxado por uma força sobrenatural para fora. Eu não sabia se ficava mais desesperada ou se me sentia aliviada. Mas decidi entrar em desespero quando vi um enorme lobo negro atacando Edward e apenas parando para olhar pra mim.

Como apenas só tinha uma saída daquele carro eu sai por ela e entrei na floresta correndo e ofegante. Pois no meu caso se eu ficasse o bicho come e se correr o bicho pega. Pelo menos se eu corresse eu teria alguma chance de sobrevivência, mas se continuasse lá... Provavelmente eu teria o mesmo destino que Edward e com certeza se fosse para mim morrer, não ia ser ao lado dele.

   Eu tropecei e cai algumas vezes e quando estava prestes a morrer de tanta falta de ar, esperei um pouco para voltar a correr, mas eu acabei esbarrando em algo, ou melhor, alguém. Jason Blade estava na minha frente com uma cara nada amigável.

Ele tentou... com você.   Disse ele com suas roupas negras desalinhadas como se tivesse se vestido enquanto corria. Mas eu não estava ligando para mais nada.

Eu não dava a mínima pelo fato dele saber onde eu estava e o que Edward havia tentado e nem como ele tinha chegado aqui tão rápido. Tudo que eu precisava era um lugar ou alguém que eu me sentisse segura no momento e esse alguém era ele.

  Lagrimas juntaram em meus olhos e tudo que consegui fazer foi responder com um sim com a cabeça e chorar enquanto o abraçava.

Eu pensei que ninguém... e eu ficaria aqui... e ele...

 Jason alisou minhas costas e pude sentir a onde enérgica saindo de seu corpo, mas não era mais fria era quente como raios de sol. E me concentrei naquilo para acalmar meus nervos.

Está segura agora.

Eu o abracei mais forte sentindo o cheiro dele e não sabia mais o que fazer.

Como você chegou aqui ? Perguntei imaginando como ele tinha sido tão rápido, sendo que eu estava quase aqui quando consegui ligar ( mesmo que fosse por acidente do destino) para minhas amigas.

Ele deu de ombros e colocou sua jaqueta sobre meus ombros.

Eu moro aqui.     

 Aquilo eu não esperava. Como ele podia ir para a escola com duas horas de viajem ?

Você me achou por acidente então. Minha voz saiu quase triste. Seria mais emocionante se ele fosse meu cavaleiro de armadura brilhante, voando a sei la quantos quilômetros por hora para salvar minha virgindade de um tarado.

Ele hesitou um pouco pensando no que ia me responder e quando o fez, eu fiquei sem palavras.

Eu senti seu medo e ouvi seus gritos.

Gritei tão forte assim? Perguntei assombrada. Eu nunca tinha conseguido gritar muito forte, já tinha tentado, mas minha voz ia sumindo quando chegava a um certo nível.

Jason colocou suas mãos nos bolsos de sua calça e me encarou.

Não foi isso . Disse ele se aproximando novamente. Te encontrei por que sou um vampiro. E você tem meu sangue em seu sistema. 
 
                        

Um comentário :

* . Comente aqui o que você achou da postagem , se gostar vire seguidor do blog. * sua presença é muito importante.