A Maldição dos Wolf - 16º Capítulo

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014
                                    
                                              
                   16° Capitulo:
Ainda estávamos na banheira quando eu senti. Não era menos que um mal estar, era um pressentimento ruim, ruim o bastante para me fazer revirar os olhos e sentir vontade de desmaiar. Dimitri percebeu e ficou á postos para o quê viesse acontecer a seguir.


─ O quê foi ? ─ Ele perguntou e só consegui fazer que não com a cabeça. Ele não demorou 10 segundos para se vestir e me tirar do banheiro gritando aos berros com Alexander , que entrou assim que terminei de me vestir.

  Eles conversaram e ficavam olhando para mim com cara de quem vai morrer. Mal sabe eles que depois de uns minutos eu não conseguia ver mais seus rostos e uma voz melosa e irritante como aquelas atendente de bancos tinha tomado conta da minha cabeça.

Ainda não terminei” ─ Ela dizia. “ É só o começo. Você vai desejar nunca ter entrado aqui.”

─ Você que pensa. ─ Eu rebati de volta. ─ Onde você se formou querida, eu sou graduada e dou aula. ─ Disse de volta para Melina.

   Não é atoa que Dimitri nunca conseguiu ficar com ela. Uma mulher com a voz enjoada daquelas cansa qualquer um.

E antes do meu mal estar passar pude jurar que ouvi um “ O quê você disse?”

  Quando consegui voltar ao normal os dois estavam bancos como papel , Dimitri estava com o braço esquerdo transformado e Alexander da cintura para baixo tinha se fundido a cama.

─ Me senti um pouco mal.

─ Um pouco?, parecia que você ia morrer! Sabe como você nos deixou? ─ Alexander reclamou como se fosse meu pai e Dimitri ainda parecia em choque. 
  Ele apenas ficou parado me olhando com sua mão segurando seu braço transformado como se não tivesse certeza se podia confiar nele. Então tive que me levantar e colocar minha mão sobre a sua.

─ Está tudo bem querido. Viu? Estou ótima.
Não parecia que ele estava ouvindo.

─ Fui eu? Eu fiz algo errado? ─ Disse ele chocado como se estivesse pronto para saltar em frente a um caminhão a qualquer momento.

─ Não querido. ─ Disse e olhei para Alexander para ver se ele me dava alguma ajuda. ─ Eu tive um mal pressentimento e passei mal, foi isso.

─ Tem certeza? Você não precisa me polpar de nada.

─ Não. Ouvi a voz de Melina na minha cabeça, não foi você . ─ Disse e me arrependi. Pois Dimitri mudou seus olhos de cor e parecia pronto para uma caçada.

─ Vou matar aquela desgraçada !

─ Se acalme pelo amor de Deus! ─ Disse eu já exausta. Eu não queria dizer!  Mas Dimitri tem uma mania feia de me obrigar a falar a verdade ou ele fica triste por que acha que a culpa é dele.

Dimitri ficou andando em volta do quarto para acalmar os nervos e Alexander o fitou, caso Dimitri se transformasse ele estaria pronto para qualquer coisa.

─ Olha.. ─ Comecei levando a mão aos olhos. Não acreditando que eu ia colocar mais lenha na fogueira. ─ Acho que ela fez algo... ─ Ninguém esperou eu terminar a frase e me interromperam.

─ Com você?

─ Você está bem ?

 Mesmo sem ter certeza o quê eu ia responder, respondi:

─ Não, estou bem. Acho que ela aprontou alguma coisa, ela disse que ia ser só o começo.

  Alexander e Dimitri se entreolharam e a resposta veio silenciosa. Por mim.

─ Acho que você deveria dar uma olhada nos cavalos Dimitri. ─ Disse eu. ─ Normalmente em situações assim, os animais são os primeiros que sofrem...

  Dimitri correu pela floresta na frente e Alexander e eu seguimos atrás já que eu não tinha pique para correr tudo aquilo sem ter um ataque do coração e Alexander não ia me deixar sozinha no meio do mato com sabe-lá-o-quê.

    Quando chegamos lá encontramos Dimitri agachado ao chão segurando um tufo de crina e a cena foi mais chocante do que poderíamos imaginar. Havia sangue por todo lado combinado com um cheiro forte de enxofre. Tinha corpos espalhados através do estabulo e suas cabeças estavam separadas de seus corpos. Alexander não aguentou olhar e acabou virando para o lado para vomitar e me ajoelhei ao lado de Dimitri e coloquei a mão sobre seu ombro. Sem conter as lagrimas nos olhos eu chorei e o abracei .

─ Sinto muito querido. ─ Disse prometendo a mim mesma e á ele que Melina ia ter exatamente o que merecia.

  Dimitri não teve outra reação há não ser se levantar e caminhar direto para a mansão deixando Alexander e eu para trás.

Meu coração estava apertado, mas eu tinha que dar espaço para ele já que ele estava a ponto de explodir e ele tinha todo o direito. Caminhei ao lado de Alexander e ele me usou como apoio para voltar para casa já que não estava se sentindo bem e peguei uma folhas no caminho para fazer um chá para acalmar os nervos. Antes de chegarmos podíamos ouvir o barulho de Dimitri destruído alguma coisa dentro da casa e Alexander me fez ficar com ele do lado de fora por segurança.

  ─ Depois de um tempo passa. ─ Disse ele. ─ Já me acostumei com isso, o duro é ter que consertar depois.

Alexander e eu nos sentamos no meio do molhado e ficamos ouvindo o barulho de vidro e madeira se transformando em migalhas e pedaços de nada. Quando o barulho de dentro terminou , somente o barulho de um diluvio próximo ficou e entramos antes de pegar a maior tempestade dos tempos.

  Ao entrar, Dimitri estava com cara de poucos amigos e não quis saber de conversa, Apenas me olhou feio e se dirigiu a Alexander.

─ Preciso falar com você na biblioteca agora. ─ Disse antes de partir.
 Alexander tirou seu braço de cima de meus ombro e me deixou sozinha para conversar com seu irmão e fui deixada para trás sem participar da conversa privada.

   Esperei até que Dimitri viesse ao quarto para que eu pudesse acalmá-lo, mas acabei sozinha lá somente eu e os trovões e a chuva que ameaçava açoitar a janela.

  Acabei dormindo e quando acordei ele ainda não tinha voltado. Então esperei o que pareceu ser o resto da noite por ele, mas ele não veio. Quando amanheceu levantei e me arrumei para ve-lo, mas ele já tinha tomado café e estava na sala de jantar sentado com Alexander.

─  Você está bem? ─ Perguntei levando minha mão de encontro com a sua, mas antes que conseguisse toca-lo ele tirou sua mão de vista, se levantou e foi embora.

─ Quero ficar sozinho. ─ Disse com frieza e desprezo. Eu não sabia da onde tinha vindo aquilo, mas tinha certeza que não tinha haver com Melina. Aquilo era para mim. E não gostei do que senti quando olhei para Alexander a procura de respostas. Ele me olhou com pena. Ele sabia de algo e não ia me contar.

Eu me retirei e fiquei trancada no quarto chorando como uma pobre menina esperando alguém importante entrar pela porta, mas ele não veio. Acabei ficando o dia todo sem comer e dormindo sozinha no que pareceu ser a noite mais fria de toda a minha existência .


                                                             *******

Dimitri...

 Quando corri para ver meus animais, não imaginei que fosse encontrar aquilo. 

Na verdade, quando os encontrei pensei que estivesse vivendo um pesadelo, um pesadelo horrível o bastante para não pensar mais em nada e apenas ficar agachado olhando, para ver se de repente eles começassem a se levantar e var que tudo não passou de uma brincadeira sem graça. Então eu fiquei lá, mas nada aconteceu. Foi quando eu vi que as cabeças estavam separadas e peguei o cheiro de sangue misturado com o cheiro de Melina.

─ Sinto muito querido. ─ Ouço a voz de Destiny mas parece muito distante no momento ou talvez seja apenas eu que esteja longe da realidade.

  Quando cai na realidade eu me levantei e fui para casa sozinho antes que me transformasse e fizesse algo do qual ia me arrepender amargamente pelo resto de minha vida. Mal tinha entrado direito e já tinha me transformado. Arremessei e quebrei coisas que nem sei sequer identificar no momento. Tudo que eu via eu destruía vendo a imagem de Melina rindo neles. Quebrei tudo da ala leste da casa. Onde Destiny não iria por que era escuro demais para damas irem sozinhas. Quebrei muitas coisas lá e só parei quando um pedaço de jornal velho caiu sobre meu rosto. E li as palavras que pareciam agulhas furando meus olhos.

  Venham conhecer a nova casa de lazer onde encontrará vossa nova companhia . Melina D Dlakhos. Você não vai conseguir se afastar.

Foi dai que lembrei da conversa que tive com Destiny...

– Dlakhos? – Perguntei surpreso e ela confirmou.

– Sei que é feio, mas é.

– Acho que já ouvi falar, mas não lembro onde ou quando... – Disse tentando me lembrar, mas não tive sucesso .

– Deve ter ouvido na cidade, minha família é velha por aqui.

– Deve ser isso. – Respondi , mas não imaginei... nunca poderia...

 Aquilo foi como colocar fogo em meus olhos. Melina e Destiny. Não consegui pensar em nada. Apenas fiquei pensando um milhão de coisas ao mesmo tempo.

  Elas eram parentes ? Melina podia ser ancestral de Destiny, mas Destiny podia ser também algo feito por Melina para me fazer sentir esperança para depois ser arrancado de mim e me deixar louco e sozinho novamente.

Não importava naquele momento. Quando Destiny chegou com seu rosto vermelho de lagrimas eu não consegui olhar para ela do mesmo modo. Apenas a olhei com repulsa, que era o que sentia por qualquer coisa no momento e disse olhei para meu irmão. Ele seria a única pessoa confiável no momento.

Preciso falar com você na biblioteca agora.  Disse e parti sem saber se ele viria.

Quando entramos lá parecia que ele queria socar meu rosto até minha cor mudar de tom.

Que merda foi aquela? Disse ele se sentando provavelmente por não estar muito bem do estomago.

  Eu apenas peguei o pedaço do anuncio e dei a ele. No começo pensei que ele ia dizer ‘ O que tem essa merda?’ mas antes dele conseguir pronunciar , ele se calou e depois de perceber o que tinha haver , ele arregalou ligeiramente os olhos.

Vai conversar com ela? Perguntou ele, mas eu não sabia o que dizer.

Não confio em mim o bastante para estar perto dela no momento. Disse me sentando ao seu lado percebendo que tínhamos voltado ao ponto de partida. Sozinhos, sem poder contar com mais ninguém, todos eram suspeitos.

Você sabe que se Elas forem parentes de longa distancia, Destiny não tem culpa nenhuma.

  Eu sabia, mas não ia conseguir separar uma coisa da outra. Depois desse tempo amaldiçoado e sem confiar em alguém... eu me sentia traído de repente. 
Como se tivessem arrancado meu coração e ainda rido da minha cara.

Eu não sei se é seguro confiar nela.

Alexander me encarou e esfregou os olhos como se não acreditasse no que estava acontecendo.

Ela é boa demais.

Para ser verdade. Completei.

Vai ficar assim então? Perguntou ele irritado. Vai ficar com essa cara para ela depois de ter se casado , enquanto ela passa o resto de seus dias numa mansão amaldiçoada, infeliz e trancada num quarto sozinha?!
 Parecia injusto, mas eu não ia conseguir tocá-la e não pensar que estou sendo traído de alguma forma.

Vai ser assim até que eu tenha certeza.

Alexander levantou irritado e saiu batendo a porta e me mandou ir ao inferno.
Passei a noite na biblioteca até amanhecer e tomei café sozinho e fiquei lá sentado esperando que a mansão me engolisse ou que eu morresse logo de uma vez. Nenhum dos dois aconteceu. Depois de um tempo Alexander se juntou e Destiny acordou e veio até mim. Pude ouvir ela se arrumando e vindo em nossa direção com seus passos cautelosos.

Você esta bem? Disse ela se juntando a mesa e prestes a colocar sua mão sobre a minha para me dar apoio. Mas antes que pudéssemos nos tocar eu tirei a mão e sai. Me isolando novamente e a deixando mais uma noite sozinha.

   Ela chorou a noite toda e eu não teria vinho o suficiente para essa semana. Tomei cinco garrafas ao som dos choramingos dela. Meu coração estava sangrando e não tinha data certa para parar. A única certeza que eu tinha era que Melina deveria estar se contorcendo de tanto rir de nossa desgraça....

                     *****
Melina....

 Meu estomago doía de tanto rir. Embora tenha sido uma surpresa descobrir que sou Ancestral da irritante garota que adora estragar meus planos, isso tinha vindo bem a calhar . Nem sequer precisei plantar a semente da discórdia e desconfiança como eu tinha planejado.

 E tudo isso veio de Dimitri ! Ele mesmo estragou a própria vida por um sobrenome! Dlakhos foi apenas um nome perdido em minha poderosa família. Que foi herdado ao meu filho que me livrei quando dei a luz. Naquele tempo eu precisava de coisas demais, coisas que eu não ganharia com um filho no colo. Mas enfim... Quem diria que a linhagem chegaria nesse nível?! Se eles continuassem com tanto amor e bla-bla-bla, Destiny acabaria com a maldição e eu não poderia fazer nada! Afinal. Seria como se eu tivesse desfeito! Já que compartilhamos uma linhagem sanguínea fortificada por magia correndo nas veias.
  
A sorte ainda estaria do meu lado enquanto isso ficasse somente entre Dimitri e seu irmão mais novo. Se ela descobrir sobre isso e chegar a sonhar que pode ser como eu.... terei problemas se ela descobrir o quê realmente ela pode fazer e o quanto de poder aquela garota realmente tem em mãos.

  Eu me sentei para ver a famila Wolf se despedaçar num posso de tristeza pelos próximos dias. Eu ia aproveitar ao máximo cada lagrima, cada olhar de desprezo, e cada batida de coração com um rancor e magoa profundo.

   Dimitri pode estar sofrendo, mas nada é melhor para fortificar uma maldição quanto um coração de uma mulher cheio de amor se transforma em pura tristeza e solidão.




8 comentários :

  1. OMG! Quanta angustia e desespero pra saber o q vai acontecer.
    Eu entendo o lado do Dimitre,mas acho q ele esta sendo muito cabeça dura.
    Estou morrendo de dó dela, mas ela tem q descobrir seus podere pra botar mais lenha na fogueira. Tbm estou torcendo o Alexander n acabar sozinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tambem acho o Dimitri um cabeça dura ! kkk Mas isso e até bom, assim Destiny pode provar a ele que realmente o ama e pode descobrir umas coisas sobre si mesma. Além do mais, ela é uma milhão de vezes mais cabeça dura que Dimitri. Ela as vezes pode ser mais surpreendendte do que um Dimitri transformado kkk .
      Não quero que Alexander fique sozinho tambem, acho ele muito fofo, mas não sei se ele vai achar alguém no livro 1 ...

      Excluir
    2. Que dó do Alexander ficar sozinho e ter que "aguentar " o irmão e a Destiny sozinho, mas aposto que se ele encontrasse alguém seria tão brincalhona e provocativa quanto ele. Kkkkkkkkkkk

      Excluir
    3. Tbm queria pedir pro proximo capitulo não demorar, pois já estou morrendo de ansiedade.
      E trocando totalmente de assunto, vc vai continuar a Ceifadora ???

      Excluir
    4. Quando comecei a escrever até pensei em por um triangulo amoroso kkk, mas fiquei com dó dos personagens . Mas ele vai achar alguém sim. É que no primeiro livro eu quero só acabar com a maldição. Eu quero ver o lado deles quando a maldição acabar e como Dimitri vai agir. Se ele vai ou não ser um novo Dimitri ou o velho Dimitri de antes. Acho que se tudo terminar num final feliz agora, eu não vou ter o suficiente para ter uma trilogia kkk

      Excluir
    5. vou continuar A Ceifadora sim. Parei por que queria revisar umas coisas e acrescentar mais uns capitulos para deixar mais longo, por que faltava uns 6 capitulos para terminar o Primeiro Livro. Acho que A Ceifadora pode virar uma série ou algo do tipo

      Excluir
  2. Devo dizer q eu n sou uma grande fã de triangulos amorosos, acho muito melhor o puxa-e-empurra de um romance, mas se vc esta fazendo tudo isso para ter mais livros, então tem meu total apoio. Kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk O proximo Capitulo não vai demorar não. Amanhã eu vou postar. Hoje eu vou escrever mais do meu vizinho lobo kkk

      Excluir

* . Comente aqui o que você achou da postagem , se gostar vire seguidor do blog. * sua presença é muito importante.