A Maldição dos Wolf - 23º Capítulo

sexta-feira, 14 de março de 2014
                          
                                 
                 23 Capitulo
                       Dimitri...
  A  Noite parecia mais escura e sombria naquele dia. Destiny havia tingido o céu de todas as cores naquela noite, como uma aurora boreal. Como se tudo que havia de bonito, estivesse focado em sua magia.


  Meu pais gritaram num canto, mas a voz deles pareciam distantes demais para ser ouvidos por mim, somente quando ela foi embora que percebi que estava transformado há um tempo. E meus pais tinham visto tudo. Minha mãe gritava num canto enquanto Alexander , irritado, tentava acalmar a todos que me olhavam como se eu fosse come-los.

─ Faz parte da maldição, ela ainda não terminou completamente. ─ Disse ele passando a mão em seu cabelo tentando tirar uns fios de seus olhos.

  Ninguém dizia nada. Somente olhavam com cautela.

Quando cansei daquela situação, voltei ao normal, fazendo meu corpo voltar perfeitamente ao estado humano e nu sem sequer me importar em quem estava vendo minhas coisas.

─ Eu vou atrás dela. ─ Disse partindo em direção ao meu quarto. Quando cheguei lá, as roupas dela, acessórios e outras bugigangas que ela havia tirado de seu carro, haviam desaparecido.

  Se ela havia voltado no tempo mesmo, quer dizer que era como se ela nunca estivesse aqui. Somente em nossas memorias. Me vesti rapidamente e desci ao porão com Alexander em meu encalço. Quando entramos não tinha nenhuma moça lá.

─ Não deveria ter umas moças ai? ─ Disse ele confuso. ─ Se ela fez a cidade voltar no tempo... elas deveriam estar ai.

Fiz que sim com a cabeça, mas tentei não dizer minhas conclusões em voz alta. E se tinha dado alguma coisa errada? Destiny nunca tinha feito magia antes, nem sequer sabia que tinha poderes a pouco tempo atrás.

Alexander se moveu desconfortável e nervoso ao meu lado.

─ Algo está errado cara. ─ Disse ele colocando a mão no meu ombro.

Dei meia volta e gritei no caminho , quando cheguei ao portão.

─  Vou atrás dela.

─ Eu também. ─ Disse meu irmão, mas dei a ele um olhar raivoso. Eu não estava com nenhuma paciência de aguentar as suas chatices e seu amor pela minha mulher.

─ Preciso que fique aqui caso ela apareça e.. eu sou mais rápido que você. ─ Disse triunfante, sabendo que uma besta demoníaca corre mais rápido que um homem aparentemente normal que somente se funde as coisas. Há não ser que ele se fundisse com um carro ou outra coisa mais rápida, eu não via futuro para ele me alcançar.

   Desci até a cidade de The Wolf’s Hell com minha forma bestial prestes a atacar qualquer coisa que estivesse em meu caminho. Tentei seguir o cheiro de Destiny, mas não tinha encontrado. Talvez por que ela tivesse se teletransportado com sua magia, então sem rastro...eu não poderia encontrar a casa dela.

  Vaguei pela cidade toda a sua procura, mas não tinha encontrado nada. A cidade parecia uma cidade fantasma, abandonada sem nenhuma alma viva . Isso se dava ao fato de Destiny tentar fazer com que todos voltassem no tempo, para nos proteger.

  Uivei encarando o breu da noite e o caminho de volta que teria fazer até minha casa. Sozinho.

Nos próximos dias, eu virei um robô. Descia até a cidade três vezes ao dia para ver se tinha algum tipo de mudança, mas a cidade continuava vazia. Destiny também não tinha aparecido e minha mãe tentava nos manter ocupadas fazendo serviços da casa. Nós plantamos, cavamos , limpamos e fizemos tudo que tínhamos que fazer naquele terreno, até que a casa parecesse 100% nova. 
Depois de uma semana eu quebrei e acabei tomando qualquer tipo de bebida alcoólica que estivesse em minha frente e Alexander tentava ao máximo me animar.

─ Ela é esperta cara, vai dar tudo certo. ─ Disse ele , mas não estava ouvindo . Eu só conseguia imaginar o que ela diria se me visse naquele estado.

─ Ela pediria o divorcio se me visse assim. ─ Choraminguei ao meu irmão. ─ Ela odeia bêbados, ela acha homens que bebem demais dignos de pena.
Ele riu, mas era um sorriso triste, pois ele sabia que ela não estava mais lá. Era agora, apenas uma lembrança.

─ Melhor parar então. ─ Me respondeu. ─ Se o ver assim, ela pedira o divorcio e eu vou ter que conforta-la. ─ Disse mexendo a cabeça e se fingindo de ofendido. ─ Eu me sacrificarei para mantê-la satisfeita .

  Eu sabia que ele estava fazendo de proposito, mas mesmo assim me irritei e acabei saindo nos socos com ele. Quebramos a sala e minha mãe nos repreendeu como se fossemos crianças. Quando anoiteceu, fiquei quieto olhando para o teto em meio a escuridão sem conseguir dormir. Pensando em um milhão de coisas ao mesmo tempo. Onde Destiny poderia estar, onde estava, o que estaria fazendo, se ela estava com saudades , ou se algo ruim havia acontecido. Era estranho pensar naquilo, eu nunca tinha sentido tanta falta de alguém daquele jeito. Quando meus pais ficaram daquele jeito, presos por magia. Eu sentia  vários tipos de sentimentos e o maior deles era culpa, mas se eu fosse ser sincero, por mais que eu os amasse eu sempre saberia que eles estavam ali, á espera de algum milagre que pudesse os fazer voltar ao normal. Não era o caso de Destiny. Eu estava me afundando numa poça sem fim, onde Destiny estava em todos os lados.

  Durante a madrugada ouvi passos, mas não dei importância. Só dai que consegui raciocinar direito... Se Destiny tinha voltado no tempo, tinha chances dela voltar para cá, mesmo que a situação fosse confusa em minha cabeça, talvez por causa da ressaca.

  Me levantei e fiquei na janela e mal percebi quando Alexander se aproximou como uma entidade demoníaca e ficou fungando no meu cangote .

─ Nunca mais chegue de fininho assim por trás. ─ resmunguei para ele e ele riu no escuro.

─ Medo de alguma coisa? ─ Disse ele erguendo uma de suas sobrancelhas . Revirei os olhos e me foquei no lado de fora. Se ela aparecesse,... eu ia ve-la.

─ Você não precisa ser mais estranho do que você já é.

Houve um movimento atrás de umas moitas e depois de um tempo um grito. Nossos corações dispararam e pude ouvir meus pais se levantando e acendendo a luz. Quando ouvi aquela voz dizendo...

“ O que você está fazendo aqui? “  Eu corri pela casa com Alexander tentando correr mais rápido que eu , ele só chegou na porta primeiro, pois havia cortado caminho pelo escritório . Minha animação era tanta que deixei os pedaços da minha roupa na escada quando me transformei de tanta felicidade, como um cachorro que não ve seu dono há muito tempo. Assim que Alexander abriu a porta para ver de quem era os gritos eu me lancei sobre Destiny sem dar nenhuma atenção para a garota irritante que estava com ela, Helena. E comecei a lamber seu rosto, mesmo que minhas intenções fossem outras...



                
                           

Nenhum comentário :

Postar um comentário

* . Comente aqui o que você achou da postagem , se gostar vire seguidor do blog. * sua presença é muito importante.