Capa feita para o Fim de Semana Mortal !

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013
Gente !!!!!!! Essa capa eu fiz para um ebook que uma de minhas parceiras/amiga fez. Se chama fim de Semana Mortal feito pela Lizandra Souza. Vocês já devem ter lembrado dela por que fizemos um ebook especial de halloween que está no blog para download nesse link :AQUI!  


Espero que vocês deem uma conferida lá no Loucuras e Devaneios by Liza  e leiam os capítulos. Quem sabe um dia ficamos famosas kkkkkk .

 

Diga NÃO ao Bullying!

domingo, 24 de fevereiro de 2013
   Bem acho que nunca falei isso para ninguém, mas já sofri e muito com Bullying na escola. Nunca contei para minha mãe por vários motivos. Um deles é que ela não tem muita paciência e acabaria irritando mais "aqueles" tipos de pessoas  e outro era por que ela sempre dizia que era ocupada demais sendo dona de casa, que seja, eu não moro com ela. Eu também nunca cheguei a dizer para meu pai, por que ele já não era um jovenzinho e a família tinha históricos de  ter o coração fraco , então nunca quis encher a paciência dele com essas coisas por que eu sabia que ele iria sofrer junto comigo. Eu morava com meu pai e minha avó ( ela tem derrame e não anda ) então meu pai já tinha muito que cuidar para acrescentar algo a mais.

   Quando era mais nova eram pequenas coisas que magoavam mais dava para levar e seguir em frente sabe?! Como brincadeiras sem graça e piadinhas de gente gordo. Mas eu nunca liguei por que eu convivia mais tempo com aquelas pessoas do qualquer outra e isso não me magoava , eu chegava até fazer piadinha de volta. Mas dai veio o ensino médio e meus colegas de sempre foram trocados por desconhecidos. No começo achei legal. Pessoas novas, amigos novos, tudo bem. Ai tudo mudou por que eles já se conheciam de fora pois estudavam na mesma escola e tudo que eu tinha era minha amiga magrelinha Maritissa, minha melhor amiga. E com os dias e meses passando a " panelinha" deles foi ficando mais forte e irritante. Meu pai ficou doente, tinha muitas dores e até chorava pensando que ninguém estava vendo, mas eu estava. Eu o via gemer, chorar só para no outro dia ele mentir para mim que estava tudo nem, não estava. Eu ia para escola só para me distrair um pouco, fugir da realidade e conversar por horas com a minha amiga. Conseguimos até fazer uma nova amizade. Barbara. Esse é o nome da minha outra amiga que mantenho contato até hoje. Nisso ficamos em três .

    Maritissa magra, bonita , de ótimo humor e muitos homens a seus pés. Barbara , pele bronzeada, legal divertida com as unhas mais invejáveis que alguém podia ter ( ela me disse que era um tipo de arma caso precisasse ). E eu cheinha, legal, doida, muito doida e alegre.

     Mas dai começaram a falar pelas nossas costas o quanto eramos isoladas, sozinhas e estranhas. ( vai intender né ! Eu estranha ? magina gente.

   Começaram a falar das unhas da Barbara , da magreza da Maritissa e do quanto eu era gorda ( é exagero , não sou gorda assim ) Eu tipo sou a mais alta do nosso grupo com 1,80 de altura, ai vem a Maritissa e depois a Barbara que é a mais baixa de nós. E o fato de euzinha ser cheinha me dá o ar de desengonçada , sem jeito e o fato de ser timida não ajudava lá essas coisas . Se as pessoas falavam comigo eu respondia e até tentava puxar assunto, mas eles não queriam minha amizade.

   Roubavam nossos lugares na sala de aula, falavam mal de nós pelas costas e quando achamos que não dava para piorar nos metemos numa briga. ( Não foi culpa Nossa ! Juro ) Tinha uma garota lá estranha chamada bruna que dizia ler auras essas coisas , todos tambem falavam mal dela, mas depois que ela se desentendeu conosco o povo se juntou com ela e Há não era só a classe , mas tambem tinha os outros primatas selvagens que era quase metade da escola afff !

   Meu pai doente e a Barbara sem tempo atrasamos um trabalho que era para fazer obrigatoriamente com a bruna , Nós a avisamos e ela disse que tudo bem afinal faltava 2 semanas para entregar o trabalho, mas A BRUNA entregou o trabalho antes pelas nossas costas e disse que não tinhamos feito nada e iamos levar bomba. Minha amiga Barbara a agarrou pelo braço e disse umas verdades na cara dela e em menos de um segundo metade da escola estava contra nós. E logo minha amiga Barbara perdeu a vaga escolar e ficamos nós duas sozinhas. Ninguem queria fazer trabalho conosco ou algo do tipo. Por exemplo: num trabalho que tinha que ter obrigatoriamente 6 ou mais pessoas no nosso só tinha duas. Os professores perguntavam quem é seu grupo Maritissa? e ela respondia: Kathlleen e vice e versa.


    Escreviam recadinhos nada amorosos para nós falando sobre minhas gordurinhas sexy e a magreza sexy de minha colega, ve se pode ! rsrsrs e chegaram a nos chamar de feias ! tudo bem que eu não ia me arrumar toda para ficar numa sala abafada com um bando de babuinos de bumbum roxo, mas feia já é demais ! Chagaram até a zuar uma foto nossa e por na internet. Não, eu não vou postar as fotos.

   Eu sofria muito com isso e depois de madrugadas sem dormir e tentar mascarar minha dor com um sorriso meu pai morreu. Eu ficava pensando no que ia ser de mim sem ele. Sozinha, sem apoio e com uma mulher idosa para cuidar, medico, casa e escola. Confesso que pensei nisso durante a madrugada por que tive um sonho ruim com ele e quando acordei, cansada ´por que tinha trabalho para apresentar naquele dia ( quarta- feira ), ai minha vó me disse que meu pai tinha roncado de um jeito estranho e que ela tocava nele , mas ele não acordava. Todas pensamos que ele tinha desmaiado, mas não.
   Pensei que era uma pegadinha no começo ou algo assim, mas meu pai odiava brincadeiras sem graça e ele não faria isso comigo. Na mesma hora chorei, agarrei ele , chorei e ficava olhando ele sem vida olhando  para o teto. Minha avó pensou que eu estava enganada, que era só nervos e que ele só podia ter desmaiado.Eu liguei para os médicos mesmo sendo tarde demais , tentei ligar para meu tio, mas depois de muitas tentativas percebi que estava ligando para o numero errado .

 Passei mais de 9 horas chorando sem parar até meus olhos ficarem como se tivessem areia dentro deles e quase fui para no hospital por uma dor de cabeça que só passou depois de soltar tudo que eu tinha no estomago.

 Ninguém  me ajudou a superar isso , na verdade eles atrapalhavam . Quando o povo da escola ficaram sabendo as Vadias fizeram de tudo e mais um pouco para me deixar triste.
Ficavam falando de seus pais e em como era bom ter um pai e coisas do tipo, fizeram piadinhas e até colocaram o cara que eu gostava na jogada. Mas Acho que deus também sabe o que faz . Até o fim daquele ano maldito 3 delas estavam gravidas e deixaram a escola. Não que ficar gravida fosse ruim , mas qualquer coisa que as deixasse longe de mim era otimo. Mas não escapamos de ficar tomando remédios por que minha amiga e eu ficamos com muito enjoo, dores e passamos metade do ano meio grogues e falando coisas sem sentido por estarmos drogadas de tanto remédio por que estavamos estressadas e com muitas coisas para fazer , inclusive eu. Eu tinha que acordar as 5 da manha , fazer café, separar os remedios da minha avó e deixar ela sozinha por 7 horas de frauda enquanto eu tinha que aguentar aquelas pessoas. Eu tinha pensado em abandonar as aulas e ficar com ela , mas se fizesse isso ia ser muito dificil terminar o 3 ano. Quando eu chegava da escola eu tinha que cozinhar, lavar , ajudar a dar banho nela, estudar, lavar roupa e acabava por dormir as 1 da manha só para repetir meu inferno diario. Eu havia até perdido 14 quilos ,mas não gostei disso pois perdi em semanas e não era normal perder isso em tão pouco tempo. Quando a escola terminou só fiquei triste por não ter minha amiga para conversar 7 horas por dia, na verdade ja nem nos falamos mais, mas mantenho contato com Barbara. Embora seja pouco já vale.

   Durante meu tempo dificil na escola eu so tive  ajuda de quem passou isso comigo. Eu lia e muito livros, ebooks e até deixava de fazer as coisas em sala para ficar lendo,desenhando, isso me ajudou um pouco. Eu nunca vou esquecer do que fizeram para mim por que na minha opinião eu não merecia isso. Eu era quieta, timida e ficava no meu canto lendo, eu não sei até hoje o motivo que os levou a fazer isso , talvez na mente doentia deles isso era legal, mas não para mim. Eu não falava mal deles ou qualquer coisa do tipo , pois sabia que acabaria levando os problemas para minha casa e para meu pai doente. Nunca vou perdoar eles por que eu nunca ia conseguiu fazer isso de coração. Não eram todos os ruins da sala, tinha pessoas boas lá. Realmente boas e fofas que se eu encontrar na rua eu vou dizer oi e parar para dar um abraço. O ultimo dia de escola fizeram o amigo do chocolate que quase virou O Inimigo Maldito do chocolate. Pois você tinha que dizer algo para essa pessoa e dar o chocolate. Quando chagou na vez de minha Não amiga dar seu presente ela fez o discurso mais longo de ódio para aquela pessoa que eu rezava para que não fosse minha pessoa. Por sorte não foi e ganhei uma caixa de bombom de um cara chamado Gabriel do qual eu podia beija-lo por não  fazer do meu dia um inferno . Cara eu te adoro até hoje !

    Eu tenho sonhos com a escola até hoje e não vou sentir falta de nada e agradeço a deus por eu não ter ficado lá por mais tempo; não precisa ter um bom motivo para sofrer Bullying. seja magro, gordinho, até linda demais ou nem tão bonito assim . Maluco não tem cara muito menos motivo, tudo que podemos fazer é aderir a campanha .


Se tivesse uma coisa que eu poderia dizer para esse tipo de gente se é que eles podem ter essa consideração bondosa de minha pessoa, e´que um dia ou menos dia eles vão ter filhos e como diz o ditado os filhos pagam pelos erros dos pais, um dia os filhos deles podem sofrer o dobro que sofri. Eu me considero forte, eu podia ter me auto-mutilado, ter soltado minhas tripas como muitas pessoas fazem , mas não o fiz. Por causa de mim e da minha avó do qual a unica coisa que ela não precisava era uma neta doente que não podia cuidar dela.

Eu queria ter contado isso para alguem , mas nunca contei. Acho que se eu tivesse falado e até pegado provas como eu poderia ter feito , eles poderiam não ter saido impune e até poderiam ser punidos , mas não o fiz e graças a deus eu não me arrependi e espero nunca me encontrar com eles de novo. 
 E espero que um dia o Bullying possa ser considerado um crime grave, pois palavras e ações realmente machucam e podem causar até morte. Tem pessoas que se suicidam por causa de" especies" assim. Eu não desejo mal a eles por que desejar mal a alguem não vai amenizar meus traumas ou me deixar mais feliz. Tudo que eu digo é que maioria das pessoas que me fizeram mal tem filhos agora e um dia como eu sofri os filhos deles tambem podem. Ninguem esta livre disso. Fica a dica.. E ah para vocês verem eu NÃO sou feia como me achavam. Sou gorda, mas feia não.

Olha a foto:

Viu? Sou uma fofura !


                                 

Horoscopo Vampiro ! Vampirignos veja o seu !

Gente eu achei muito legal num site chamado Contos de Vampiros que fizeram uma ideia diferente , eles criaram os Vampirignos,signos vampiros, gostei  tanto que vou por meu Vampirigno Aqui.




Vladvirg 
23 de agosto - 22 de setembro

O vampiro que vive em comunidade. Prático e organizado. Vive bem perto de muitos vampiros. É um ótimo observador e muito critico. É muito perfeccionista e vive em constantes pesquisas por isso, é um vampiro muito instável por estar sempre atento, fica como se fosse uma bomba prestes a explodir. Ele procura vampiros que precisam da sua ajuda pois adora ser útil. 

Personagens vampiros deste signo. 
A Vampira Selena 
Do Filme Underworld - Anjos da Noite 
Nick Night 
Do Seriado – Maldição Eterna
 





kkkkkkkkkk EU sabia que daria uma vampira boa ! rsrsrs se vocês quiserem ver o de vocês eu vou por o link aqui * . Contos de Vampiros . *



          
                      

Every Other Day - Capítulo 37


"Das cinzas ás cinzas, pó ao pó".

     O céu estava escuro e cinza em cima, mas quando eu assisti eles abaixando o caixão de Skylar no chão, um pequeno córrego de luz rompeu as nuvens. À minha esquerda, Bethany ficou  imóvel como eu estava. Talvez a gente não tivesse o direito de estar aqui. Talvez os Haydens não nos quisessem aqui.

Talvez, talvez, talvez, e nada disso importava.

   Do outro lado do gramado, Elliot não olhava para Bethany, não olhava para mim. Eu me encontrei tentando combinar muitos irmãos de Skylar para suas descrições e percebi que eu nunca ouviria ela falar sobre eles novamente.
       Eles nunca mais a veriam. Marcas de mãos no concreto, quadros nas paredes, que é o que ela era agora. Havia palavras faladas e hinos cantados e nenhum dos que fizeram os fez menos mortos. Fiquei ali, pensando daqueles últimos momentos, a expressão de pura e autêntica felicidade em seu rosto.
        Eu poderia tê-la salvo. Eu deveria ter. E nada do que Bethany dissesse  poderia mudar isso. Nada do que eu dissesse ou fizesse ou deixasse de fazer durante o tempo que eu vivi a traria de volta.
      
    Ao meu lado, o meu pai estendeu a mão e colocou uma mão no meu ombro e  me puxou para mais perto. Por instinto, eu endureci no contato físico, mas após o momento do primeiro contato passou, inclinei-me em seu ombro e assisti-los enterrar a ela.

Eu disse adeus.

E depois fui para casa, cortei uma parte do meu braço com um serrote, e chorei.

      Uma semana depois de enterrarem Skylar, voltei para a escola e
encontrei-me no centro do radar de boato. A investigação da instalação da Quimera  tinha estado em todas as notícias. Prisões ainda estavam sendo feitas. E embora os federais tivessem mantido meu nome de fora, todo mundo sabia.
Eles sabiam que Skylar tinha morrido. Eles sabiam que eu estava lá. E eles sabiam que Elliot não poderia olhar para mim. Que ele não estava falando com Bethany. Que ela começou a comer sua comida na "mesa freak" no almoço.

   Basta dizer, eu estava tão surpresa quanto qualquer um quando Elliot se aproximou de mim antes da escola um dia e rigidamente me entregou um envelope com o meu nome.

   Ele não disse uma palavra. Ele apenas ficou lá e esperou.
Depois de um momento, eu me forcei a abrir. O papel rosa e as letras dançavam por toda a página. Ela se espalhava pelo i em meu nome com um pequeno coração rosa.

  Querida Kali
   Eu não sei se você conseguirá, mas eu vou. Eu vou dizer oi, e nós vamos ser amigas. Em alguns pontos, eu provavelmente vou te dizer que eu sou um pouco psíquica, e você provavelmente não vai acreditar em mim, e a verdade, Kali, é que você não deve acreditar em mim. Porque, juro por Deus, eu sou muito vidente.
    Eu nem me lembro de quando começou, mas é isso. Então, quando eu digo que tudo o que vai acontecer, que vale a pena - eu preciso que você acredite em mim, porque ele é assim. Talvez  não pareça o caminho agora, mas daqui a cinco anos ou 10 ou 20, tudo funcionará. É assim que deveria ir. É por isso que eu vou fazer o que eu vou fazer, e é por isso que você está lendo isso, e porque eu não estou lá para dizer qualquer coisa sobre mim .
     Não fique com raiva de si mesma, e por favor, não fique com raiva de mim. vamos ser amigas.
    Então faça-me um favor, Kali, e atente para Genevieve, uma vez que eu não esteja lá, as outras meninas (mas não beth, é claro!) vão dar-lhe um momento muito difícil e fazer darryl pedir para a caloura bonita para ir ao baile e dar-se uma pausa de vez em quando, porque você merece uma.
xoxo.
Skylar Hayden
( vagabunda escolar)

OBS: Quando lhe perguntam o que quer que seja que vão lhe perguntar, diga que sim.
OBS2: Diga a Elliot que o amo , e diga para ele parar de ser um instrumento.



*****

    Eu não tinha certeza se devia rir ou chorar, então eu só entreguei a carta a Elliot e o deixei ler.

"Ela não era vidente", disse ele. "Ela era apenas uma criança." Ela era, eu pensei, mas eu não discuti o ponto de saída em voz alta. Em vez disso pensei em Bethany, cujo pai tinha sido preso. Bethany, que sabia o que era levar outra pessoa a morte sob seus ombros para o resto de sua vida. Bethany, que perdeu quase tudo em poucos dias.

"Elliot", eu disse, surpresa com a clara e firme que minha voz sentida. "Deixe de ser um instrumento."



*****


Dezoito meses mais tarde ...


      A decisão de levar hellhounds para fora do perigo da lista de espécies foi um longo tempo muito corrido-tudo de bom que fez comigo. Caçá-los ainda era ilegal, a única diferença agora, era que havia mais de caçar.

"Aqui, cachorro, cachorro, cachorro".

    Eu realmente não deveria ter feito isso. Se eu tenho manchas de sangue no meu vestido de formatura, Bethany ia me matar, e Elliot ia rir. Ajustando a tampa sobre a minha cabeça, eu girei a faca preguiçosamente em uma mão.
Perto. Você está ficando mais perto.

    Se alguém tivesse me visto à distância, tudo o que veria era uma menina normal, recém-formada do ensino médio. Uma menina que viveu pouco a pouco e dia a dia.
Fechei os olhos, saboreando enxofre no vento e esperando.

    Aqui, filhote de cachorro, cachorro, cachorro.

    Pegando uma pitada de algo no ar, eu puxei para uma parada. Este era o lugar, mas havia algo ... fora. E foi então que eu percebi que o cão do inferno já estava morto.

"Olá, Kali."

    Eu me virei e me encontrei cara-a-cara com os olhos que eu teria reconhecido em qualquer lugar: olhos de prata, franjas negras.

Dezoito meses. Fazia 18 meses de rádio silêncio na minha cabeça. Dezoito meses sem uma palavra, e agora, ele estava aqui.

"Ei, Zev", eu disse. Eu balancei a cabeça para o hellhound no chão, observando a distância entre seu corpo e sua cabeça. "Só para registro, o próximo é meu."
Zev sorriu.

 "Eu acho que pode ser arranjado." Ele passou seu olhar sobre o meu corpo, e então seus olhos  lentamente foram para o lado. Eu me virei e segui seu olhar para dois homens que estavam na borda do parque.

     Eles estavam usando ternos. Parei girando minha faca e dei um único passo para frente antes de perceber que um dos homens estava muito familiar.

"Reid?"  O irmão de Skylar assentiu. Ele e o outro homem começaram  caminhando em direção a nós, e, tardiamente, eu percebi que os dois e Zev-se moviam como uma equipe.

"Parabéns", disse Reid, apontando para o meu boné e meu vestido. "Tem planos para depois da formatura?"

   Eu estava entretendo a idéia de tomar algumas aulas na universidade que não serão divulgados, mas quando olhei de Zev para Reid, algo estalou dentro de mim, e eu começei a girar a faca em minhas mãos novamente. Zev era um vampiro. Reid era do FBI. E de acordo com algo que eu ouvi uma vez da minha mãe que eu não tinha visto em 18 meses dizendo, Chimera não era exatamente um dos tipo.

PS: Quando lhe perguntam o que quer que seja que vão lhe perguntar, diga que sim.

    Eu trouxe meus olhos para descansar em Zev.

"O que exatamente vocês tem em mente? "


                                                  *******Fim*****

          
                                   

[ Resenha ] O Viking Fugitivo - Sandra Hill

sábado, 23 de fevereiro de 2013
                               
                   
      Tão alta e atraente como as valkirias das lendas, a doutora Rain Jordan estava orgulhosa de seus antepassados nórdicos apesar de seus costumes bélicos. Mas ela não podia acreditar no que via quando um golpe na cabeça a transportou para um campo de batalha de pesadelo e ela teve que salvar o bárbaro de seus sonhos.

Ele era um desenquadrado de olhar selvagem cuja espada mortal poderia matar uma dúzia de saxões com um só movimento, mas Selik não podia controlar a descarada jovenzinha que vinha do futuro. Ele considerava Rain uma prisioneira e desejava aproveitar-se de suas habilidades médicas... e seu considerável conhecimento da anatomia masculina. Mas a exasperante mulher tinha suas próprias idéias. Se Selik não tomasse cuidado, a impressionante sereia certamente capturaria seu coração e o converteria em um guerreiro do amor em vez de ser... o viking proscrito.

                        
                       Resenha:
     Rain e eu temos algo em comum . Somos altas. rsrsrs ela tem 1,83   de altura e eu 1, 80, herança de seu pai Thork que morreu na idade média quando ainda existia vikings guerreando por ai. Mas ela está no tempo atual, ou seja, no futuro. Como isso é possivel? Pois bem essa é a parte divertida pois não precisa ter explicação, vamos dizer que Deus literalmente quis assim. E que a mãe dela conseguiu ir para aquela época, mas quando Thork morreu ela voltou ao seu tempo gravida de Raine, talvez simplesmente por que seu marido já não estava vivo. Talvez eu tenha sangue viking? kkk não, acho que não. Não sou loira embora ache que se eu fosse ia ficar uma graça.
      Thoraine ou simplesmente Raine. Eu prefiro a primeira opção. Faz ela parecer uma guerreira e tal, mas ela não gosta. Infelizmente. Bem ... Raine é médica e numa visita ao museu viking em sua cidade ela ve uma pintura das guerras vikings onde Selink está nela e ela percebe que ele é O cara de seus sonhos literalmente, raine não consegue explicar, mas ela tem sonhos intensos com esse viking rebelde com um segredo obscuro e horrivel do qual ele não gosta de falar, ( nem eu gosto desse segredo, é muito horrivel e perverso) mas claro ! não se preocupem ele não fez nada, os outros que fizeram e ele quer vingança ! Mas numa outra visita ao museu depois de um sonho muito vivido ela acaba sendo sugada pelo tempo dos vikings e comprova que as coisas estranhas sobre vikings que sua mãe dizia era a mais pura verdade ! Ebahhhhhh , mas dai ela encontra o lindo Selik que na capa do livro não é nada lindo e meio superficial kkkkkk. Ela salva sua vida e ele esta pronto para deixa - la. só . Ai ela tem a ideia grande de dizer que é filha de thork, que já morreu e ele corre atras dela tentando matá-la. Pois lá o tempo é diferente. No tempo atual se passaram 30 anos e lá na idade média 12, então ele não acredita pois como thork teria uma filha de 30 se ele tinha morrido a 12 anos e sua esposa tinha desaparecido? mas ela tem provas e ele decide leva-la com ele e ela acaba curando as pessoas feridas, inclusive ele que é muito sincero, mal educado, grosseiro e no decorrer do livro, sedutor e fofo.


 Ri litros com esse livro pois tem muitas partes engraçadas e vergonhosas. Como a parte que Raine espeta agulhas em seu meio irmão em modo de acupuntura para aliviar a dor e Selik quase tem um treco quando ve e ela diz que adoraria fazer isso com uma parte de seu corpo que ele estima muito. Ou quando ele diz que ela não sabe nada de sexo com seu corpo , só com sua mente e ela diz que adoraria fazer uma vasectomia nele , ele sem saber pergunta o que é e ela explica. Horrorizado Selik decide não seduzi-la aquela noite , mas a faz dormir nua com ele pois diz que é de costume dos nórticos dormirem sem roupas. Fala sério  né?! naquele frio dormir pelado , mas ta valendo né . Valeu a pena cada trecho desse livro e as quase 400 paginas que eu li. Mas vou falando desde já que o cara seduz e me fez rir muito com as coisas que ele faz. Ele é determinado e não liga de comprar metade da cidade só para Raine não conseguir voltar para seu tempo só para seduzi-la. Vou dizer a vocês que eu queria ele  para mim . Sem as partes de matanças e vinganças lógico, mas fica dica. Os nórticos sabem onde fica o ponto S que na opinião deles é muito melhor que o ponto G. A Unica diferença é que o ponto S só se encontra com a lingua kkkkkkkk.


                 
  Brigada Kátia maninha por ter me indicado esse livro que me fez ficar com um sorriso de orelha a orelha. Você sempre salva minhas leituras ! E esse viking ?! Meu deus ! onde encontro um desses ? kkkkkk brigada ! Quem quiser ver o blog da minha maninha entra aqui Romances Históricos Inesqueciveis 

logo Skoob

               

O fim do mundo Foi adiado para 2060?

Every Other Day - Capítulo 36

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

    Os médicos me corrigiram. O FBI fez  suas perguntas e eu fiz o meu melhor para respondê-las de forma rápida e eficiente e mais importante, antes de o sol nascer da próxima manhã.

Não, eu não sabia os detalhes da quimera operações.

Não, eu não poderia dizer-lhes que, se qualquer coisa escapou antes da instalação tinha ido para baixo.

Não, eu não estava sobre este plano desde o início.

Sim, eu era apenas uma garota.

Não, eu não deveria ter estado lá.

Sim, eles mataram a minha amiga.

    Foi só depois que eu disse aos agentes que a mulher cujo tinham encontrado no porão era a causadora dos que eles me deixaram sozinha por umas benditas poucas horas. Quando voltaram, eles tinham mais perguntas.

Não, essas não eram ouroboros reais em meu estômago.

Não, eu não tinha idéia de quem a mulher em questão era, ou por que de seus restos não passaram no teste para o DNA humano.

Claro, eles poderiam ter uma amostra do meu sangue.

    Todos, mas Reid deve ter  coçado cabeças quando os resultados voltaram humana.
Três horas e 14 minutos.
    Eu podia sentir o amanhecer vindo com mais força do que nunca. Em breve, os médicos iriam entrar e assinar os meus documentos de liberação. Como os agentes federais, eles devem ter suspeitado de que eu estava escondendo alguma coisa, mas tanto quanto a moderna ciência estava preocupada, era impossível jogar o anfitrião para chupacabras múltiplos ao mesmo tempo, eles não têm qualquer razão para acreditar que eu precisava  ser colocada em quarentena.
   Eles só pensaram que eu tinha um gosto realmente duvidoso em tatuagens.
Três horas e 12 minutos.
    Os pontos em meu couro cabeludo coçavam. Meu pulso latejava por dentro. Cada respiração que eu dava me enviava a uma dor aguda e dissonante direto para a minha caixa torácica, e eu estava morrendo de fome.

"Isso é um corte de cabelo realmente lamentável."

    Eles tiveram de raspar um pedaço de cabelo para tratar as feridas da minha cabeça. Ele imaginou que seria Bethany a  comentar sobre ele. O que não descobrir era que ela estava aqui. Pálida, com os cabelos puxados em um rabo de cavalo bagunçado, ela estava na porta de meu quarto de hospital. Suas mãos estavam juntas e o polegar da mão direita preocupado com a palma da mão à sua esquerda.
   Eu não conseguia me encontrar em seus olhos. Eu não queria, sabia o que iria encontrar lá.

"Eu poderia ser capaz de corrigir isso", disse Bethany e eu olhei para cima tempo suficiente para ver que ela estava olhando para os pés também. "Seu cabelo".

    Isso não soava como o tipo de coisa que você poderia oferecer a uma assassina, mas a última vez que ela me viu, ela e Elliot tinham acordado de um transe para encontrar Skylar morta. A última vez ela tinha me visto, meu rosto estava coberto do sangue de um guarda.

"Bethany “

    Ela me interrompeu antes que eu pudesse dizer qualquer outra coisa.

"Não me faça dizer que eu estou feliz que você não está morta."

"Mas eu..."

     Bethany levantou uma mão.

"Não quero ouvir isso", disse ela. "E eu realmente não preciso saber."   

   Sem outra palavra, ela levantou as chaves e levantou uma sobrancelha em convite.
Pensei nos médicos, que deveriam assinar a minha liberação esta manhã. Pensei nas três horas que faltam até o amanhecer.

"Vamos."

    Nós dirigimos em silêncio por um longo tempo. Ocorreu-me que meu pai pode retornar ao meu quarto de hospital e saber onde Eu tinha ido, mas eu perdi meu celular no shuffle, e os velhos hábitos morrem dificilmente.

"O FBI veio falar para mim", Betânia disse finalmente. "Eu tenho certeza que eles vão prender o meu pai. "

   Dois dias atrás, eu teria perguntado a ela o que ela disse a  eles, sobre mim, sobre o que eu poderia fazer. Mas não o fiz.

Não faria.

"Se isso faz você se sentir melhor," eu respondi, "eles provavelmente vão prender minha mãe. "Eu parei e deixei a imagem de Rena enfrentar  minha mente. "Se eles puderem encontrá-la."

"Eles vão te prender?" Nunca foi de Bethany bater em torno do arbusto.

"Eu não matei Skylar." Isso não era o que ela pediu, mas eu tinha que dizer. Ouvindo as palavras feridas. O Significado delas ferindo mais.

"Kali. Você não matou Skylar. "Bethany tirou os olhos da estrada e olhou para mim. "Você não fez."

     Isso não era como eu esperava que a conversa fosse. Parecia que ela estava tentando me convencer, em vez do inverso.

"Eu a trouxe aqui", eu disse, olhando para as minhas mãos, para o meu estômago.

Duas horas e vinte minutos.

"Ela trouxe você lá."

"Se ela não tivesse me conhecido," eu disse, minha voz difícil ", ela ainda estaria viva. "

"E se eu não tivesse deixado o meu irmão mais novo jogando na casa de um amigo no quintal, ele não estaria com morte cerebral. " A voz de Bethany era superficial de facto, mas eu sabia que as palavras lhe custavam. "O inferno Kali, se Tyler estavam vivo e bem, o meu pai nunca teria ido ao fundo do poço, eu não teria sido infectada em primeiro lugar, e nenhum de nós teria sequer ouvido falar de Quimera. "

   Se Bethany não tivesse sido mordida pelo chupacabra ... Se eu não tivesse salvado ... Se eu nunca tivesse conhecido Zev ... Se, se, se, e no final do dia, nada importava.

"Quanto tempo até o amanhecer?"A Mudança abrupta de assunto não passou despercebido por Beth. Eu não questioná-la, ou ela, ou o fato de que nós duas estavam no carro juntas. Eu apenas respondi a pergunta.

 "Duas horas e 14 minutos. "

Duas horas e 14 minutos, tal como humanos, tal como o seguinte menina.
Bethany sorriu.

 "Bom", disse ela. "Isso pode realmente ser tempo suficiente para fazer algo a respeito do seu cabelo. "


              

                                   

[ Resenha ] Amor Por Acaso - Betina Krahn

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013
                                Amor Por Acaso
                              
Inglaterra, 1810.

Um encontro e tudo mudaria...

Charity Standing é loira...linda...e a mulher mais desejável de Devonshire. O único problema é que ela é pé frio. Não uma pé frio qualquer, ela é capaz de deixar o mundo de pernas para o ar. Como um gato preto, os problemas a seguem para onde quer que vá....

Douglas Austen é um homem de gosto impecável, mas de criação pouco satisfatória na ilha de Barbados. Ele não consegue arranjar uma esposa na poderosa alta sociedade de Londres. Muito rude, muito atrevido e excessivamente escandaloso, perdeu três mulheres para homens mais respeitáveis. Seu destino, porém, está prestes a mudar....Num piscar de olhos Charity cruza seu caminho - e a vida deles vira do avesso!




                     
                                                     Resenha:



 Eu ri litros com esse livro ! Não posso deixar de agradecer a Kátia pela indicação , você não sabe de como eu precisava ler um livro como esse para tirar o do Pirata Sedutor da cabeça.

   Charity é bela e encantadora, porem em todo lugar que passa é uma catástrofe nova assim é com Douglas Auten que sempre acaba machucando seu próprio corpo ( um corpo forte demais, grande demais, bronzeado e lindo demais para a sociedade daquela época  ) ainda bem que não sou normal e tudo isso é maravilhoso para mim. rsrsrs

 A partir do momento que  Charity cruza o caminho de Douglas eles estão destinados a sofrerem , passar vergonhas, se amarem e viverem juntos. E logico com uma dosagem irracional daquela sorte.

Douglas chega a perder cargas, sofrer acidentes de carruagem, levar um tiro no traseiro e as mais diversas coisas. Ele é escandaloso e boca suja e Charity é atenciosa e amavel . Depois de um tiro no traseiro ele acaba tendo que ficar na casa da avó doida e supersticiosa que é meio cigana e sempre faz um amuleto com partes mortas de animais e faz o cara usar ,e lá  conhece Charity  e não consegue tirar seus olhos dela, de pensar nela, mas sempre que tem uma chance de tirar uma casquinha sua vó ou se não seu cachorro doidinho e fofo que também é um personagem , entra no meio e estraga tudo . rsrsrs O livro é muito engraçado e hot.hot e hot rsrsr

      Depois de muita teimosia, encrenca e uns amassos no escuro Charity descobre seu pé frio e decide evitar Douglas a todo custo para que nada de ruim aconteça. E o cara como não é bobo nem nada faz de tudo para ficar junto de sua amada e até chega a criar superstições que ele alega que dão sorte como: tirar as roupas sozinho da má sorte e que ela tinha que fazer.... hummm Safadento kkkkkkkk

   Como fazer amor abaixo de um visgo ... kkkkk O livro é  uma maravilha ! Tem tudo que eu e tenho certeza que você gosta. Vale a pena ler que não vão se arrepender.


                                                     logo Skoob

              
                              

Achei ! Minha amiga com o Jensen Ackles ( montagem)

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013
Aqui achei !  
      Esse aqui eu fiz para minha amiga Barbara que fez aniversario e mandei para ela pelo face . A montagem não ficou lá essas coisas , mas ela amou por causa do ator que também é o favorito dela.







 Esse é o Jason Blade do livro Blade Wolfpire.
Esse é Shawn Roberts meu ator preferido também e para quem não sabe ele é o Wesker do resident evil. Eu coloquei um fantasma nele rsrsrs ficou até bom né. Eu tenho o aplicativo aqui até agora.

Esse eu fiz para um de meus infinitos contos rsrsrs, mas deixei de lado por que quero continuar e acabar o livro 1 de A Ceifadora, A próxima capa do livro 2 ,acho que vai ter o Sebastian , o que vocês acham ?                                                       Ah ... Eu queria fazer algo hot nesse conto ai, mas não sei como fazer isso e sou péssima em escrever esse tipo de coisa , então vou pedir umas dicas dai eu posto para download.


Nova Capa !

  Eu fiz essa capa para o livro The Wolf's Hell - A Maldição dos Wolf por que aquela estava ... bem, nada profissional, não que essa seja também mas esta bem melhor garanto. rsrsrs é vivendo e aprendendo e eu fico melhor nas montagens.


Isso me Lembra de uma montagem que fiz da minha amiga com Jensen Ackles kkkkk, mas deixa para o próximo post por que eu não sei onde coloquei agora.


A Ceifadora - 13 Capítulo

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013


                      13 Capitulo:
   A adaga até que era bonitinha, tinha pedra antigas em sua base e até mesmo uma pedra negra maior localizada no meio da lamina, porem ficava assustadora cada vez que Miah mexia ela para cima e para baixo para ver onde ela ia cortar.

− Não precisa ter pressa. – Eu disse com a bílis subindo.

    Talvez eu devesse fazer a pergunta que qualquer um faria em meu lugar... – Mortos tem sangue...? quer dizer... você é só espirito então não tem circulação ou...outras coisas.

    Miah deu de ombros.

− Na verdade desde lado somos normais, mesmo mortas. Por que aqui é nosso...como posso te explicar... – Ela fez uma pausa e depois suspirou. – Foda-se, Bem é assim. Espíritos embora pareça impossível podem ser mais humanos (vivo) do que um vivo de verdade. Vivemos sem medo por que sabemos que não vamos morrer e você deve saber bem que Sebastian não ia tentar algo com você se a coisa dentro de sua calça não funcionasse, então, sim. Eu tenho corrente sanguínea, por que desde lado é como se estivesse viva.

     A explicação podia ser boa, ótima, mas não faria meu corpo se acalmar pois aquilo para mim não era normal.

    Ela se pôs em minha frente e disse um seja rápida e cortou seu braço, sim , o braço não o pulso como eu estava pensando. Eu tomei as gotas que caiam e sim, foi nojento. O gosto era horrível e terrivelmente forte e expeço, eu sabia que sangue de uma pessoa normal não podia ser assim já que mesmo que eu não gostasse de admitir, eu havia visto sangue demais e maioria das vezes o sangue era o meu. Eu nunca sofri um atentado ou algo do tipo , mas por ter pernas longas e ser meio desajeitada eu sempre caía ou tropeçava em algo, ou simplesmente um de meus amigos chatos me fazia cair por achar minha fraqueza engraçada. Depois de tomar e o sangue parar e o corte se fechar( eu tinha que aprender a fazer isso) foi a minha vez. Para tomar mais coragem eu cortei rapidamente e dei para ela , no começo não deu para sentir dor, mas quando sua língua tocou o braço a ferida ardeu como o inferno e tive que morder o lábio.

    Miah parou depois de um tempo mas o meu sangue continuava a cair e cair até formar uma poça de sangue.

−  Eu vou morrer ! −  Eu disse quase num sussurro pelo choque. Ela balançou a cabeça e tentou me acalmar.

−  Você já morreu !  Aqui ó – Ela disse pegando meu braço e tirando um pano de seu bolso traseiro e o enrolando em volta do meu braço e depois deu um nó. – Você precisa se acalmar para parar o fluxo, ok?!

   Eu fiz o que ela disse e comecei a prestar atenção na minha respiração enquanto ela dizia umas palavras estranhas. Miah e eu fomos cercadas por uma névoa vermelha, uma brisa vinha dela e se transformou num vento violento fazendo a porta e as janelas baterem violentamente. Se eu não tivesse controlando minha respiração e sentindo vontade de desmaiar eu poderia ter gritado, mas não o fiz para o bem do meu futuro status de ceifadora. ( Caso conseguisse virar uma ).

   E depois uma marca de uma arvore seca de coloração roxa apareceu em seu pescoço. Com seu galhos formando um circulo perfeito e com um tronco fino quase em sua nuca.

− Cresceu uma coisa bem ai no pescoço – Disse apontando em sua direção. – Isso é normal? Faz alguma coisa?. – Perguntei inquieta me mexendo no assento, logo depois percebi que com minha distração o ferimento em meu braço já estava totalmente curado.

    Miah abriu a boca para responder ,mas a interrompi com meus devaneios.

− Olha aqui ! Esta limpinho !.

    Miah sorriu para  mim como se eu fosse sua irmãzinha irritante a enchendo de perguntas.

− Sim. É  Ceifadores são frios e fortes, então é suposto que deixem outros com medo e não se machuquem ... – Ela esboçou um sorriso e imaginei que talvez todos os Ceifadores fossem assim , pareciam saber demais e achar isso normal. Eu esperava ser assim um dia... – E respondendo sua pergunta essa arvore cresce com poder... então se fizermos um feitiço juntas ela vai crescer nas duas e literalmente brilhar.

     Dei de ombros e tentei parecer na minha e fiquei pensando por um tempo nas perguntas certas que eu precisava fazer sem parecer suspeita, então nada do tipo: Lembra quando morri? Então... eu fui morta e acho que foi um ceifador... não foi você né ?! Ou Mike...ou Sebastian... , Tentei afastar esses pensamentos. Ia ser castigo demais não poder confiar em alguém sequer, não conversar ... e ser normal, mas por enquanto eu ia fazer igual meu pai sempre me dizia: − Eu confio desconfiando . – Aquelas palavras eram contraditórias antes, mas agora era um mantra que eu precisava seguir sem meter minha sanidade mental. E eu precisava achar meu corpo para ninguém pegá-lo ou tentar coisas...

− Miah eu quero perguntar se dá para ir ao mundo dos vivos...

    No começo ela já foi balanço a cabeça sabendo que aquilo provavelmente daria em encrenca entre ela e Sebastian,

− Não acho que o... bem ele não vai gostar se eu ficar te levando por ai, eu sei que você tem um ex, e ele vai me matar. De Novo.

 − Eu não vou ver meu ex. – Garanti, a não ser que ele soubesse onde meu corpo estava... – Eu quero ... – Precisava de desculpas rápidas, − Fazer compras , hmmm para... você sabe , um dia especial a dois.

   Ela sorriu e apontou para mim.

− Há ! Eu sabia, garota você não perde tempo.

  Miah me pegou pela mão e saímos correndo até a sala do espelho.

− Vamos ficar lá por duas horas que é o máximo que Mike me deixa ficar lá e voltamos. – Ela olhou seriamente para mim. – Isso é segredo de mulher. – Concordei com a cabeça e entramos na luz ofuscante do portal.

    A cegueira pela luz não me afetava igual a antes e fiquei feliz por isso. Eu não sabia onde estava , mas havia muitas pessoas e barracas em meio a lojas e sentia cheiro de uvas e massa assada no ar.

− Festa italiana da sua cidade, achei que ia ser mais fácil achar alguma coisa num lugar que você conhece.

    Agradeci e seguimos entre as barracas onde Miah comprou algumas coisas para comer do qual eu não sabia o nome, mas mesmo assim comi feliz em meio a tantas pessoas. Fazia muito tempo que eu não via tantas pessoas, cheiros e rostos e nunca me senti tão feliz na minha vida em ver desconhecidos como naquele dia. Mas minha cabeça me lembrou que eu não estava ali para passear e sim achar meu corpo ! 
    Puxei Miah pelo braço seguindo em frente e depois virei a esquerda onde tinha lojas de roupas intimas. Por sorte reconheci o lugar e sabia que o cemitério onde meus entes queridos estavam enterrados e com certeza onde meu corpo estava , estava perto e se eu a despistasse  poderia correr direto para lá e em quinze minutos estaria de volta e ninguém perceberia minha ausência.
     Entrei na loja sorrindo para a atendente e pedi algumas dicas e ela foi entregando montes e montes de roupas para Miah que parecia uma estilista de moda muito rica . Miah pegou um conjunto de renda com um corpete e meia da mesma cor, vermelha.

− Olha só ele vai revirar os olhos quando vir esse aqui. – Ela disse rindo achando o pensamento divertido. Mas provavelmente ele fosse chegar cansado, se é que dava para cansá-lo. Na verdade a única que parecia se cansar na verdade era eu.

   Revirei meus olhos e sorri.

− Eu vou ver se acho um chicote então. – Eu disse brincando para sair de fininho. Sai pelo outro lado da loja e corri como se a morte estivesse em meu encalço e quase me choquei com uma idosa, mas felizmente não aconteceu , porém fui chamada de algumas coisas que não eram legais.

     Quando cheguei no cemitério da “ Paz” fui para o lado norte bem ao fundo onde uma cripta era destinada somente aos meus parentes e comecei a olhar os nomes, um tio , um avo , meu pai ...Olhar somente o nome dele me dava um aperto no peito. Desviei o olhar e procurei mais e olhei novamente, e de novo e de novo e nada. Eu não estava ali.

− Mas que? – Eu disse sabendo que não tinha outro lugar que meu corpo pudesse estar. Ao menos... Desviei meu pensamentos , mas já era tarde. O pensamento que eu poderia estar viva estava entalhado no meu ser e só tinha uma pessoa que de certo – fora minha mãe ( já que não dava para ir atrás dela, pois minha casa ficava longe) que saberia onde me encontrar.

 Johnny!

     Voltei correndo e Miah já tinha separado uma montanha de roupas intimas para mim e só queria saber quem ia pagar por tudo aquilo ? Agora pensando nisso eu não sabia o que fazer. Estava morta e logicamente sem dinheiro.

   Miah e a moça que estava com ela olharam para mim.

− Não temos chicotes. – Ela disse e quase perguntei do que ela estava falando até me lembrar do por que do assunto.

− Que pena, eu preciso de um.

    A mulher olhou para Miah e ela sorriu.

− Vou levar esses de presente já que quero por favor que o relacionamento deles de certo ! Afff Sebastian era muito mais ruim e sem paciência antes de você chegar.

   A mulher levou as coisas e depois de um tempo voltou cheias de sacolas delicadas com lacinhos no topo.

− Voltem sempre e boa sorte com seu relacionamento. – Ela disse me surpreendendo e a parte ruim era que eu realmente estava precisando.

    Saímos da loja e Miah estava  mais animada com minha noite romântica do eu.

− Você vai ter que me contar tudo e me dizer se ele é muito dominador, pois ele é muito mandão. Manda em Mike o tempo todo e essa é uma duvida que quero tirar.

 − Eu também quero saber isso. – Menti. Na verdade eu sentia um frio na barriga só de pensar em ficar nua perto dele. Eu não sabia fazer nada e era tímida demais... e a sacola de roupas intimas era como chumbo em minhas mãos. Só Deus sabe o que ia acontecer caso Sebastian chegasse e me visse com essas coisas, mal sabe ele que minha intenção era só e unicamente encontrar meu corpo e não dá-lo de presente para ele.

    Estávamos quase no lugar exato onde tínhamos chegado e me distrai um instante com uma cabeça. Uma cabeça que eu reconheceria em qualquer lugar. Johnny! Deus atendeu minhas preses !

    Peguei Miah pelo braço quase desmaiando de felicidade e sem ela saber acabamos seguindo Johnny até uma barraca de pastel.

− Tudo isso é vontade? ! – Ela disse não se queixando e sim rindo. Ela comprou dois pasteis sem mesmo eu ter dito uma palavra e silenciosamente pensei que seria amiga dela para o resto da minha existência, pois Miah não tinha ideia de como era importante para mim ela ser exatamente do jeito que ela é. E quanto menos ela souber, melhor.

   Johnny começou a comer, mas sem vontade. Ele estava com olheiras e parecia como se não dormisse a dias se não mais tempo e parecia abatido. Marcus um de nossos colegas da escola e amigo dele apareceu por trás e fiquei tentando ouvir a conversa dos dois enquanto Miah e eu comíamos .

− Eu estava com saudades disso, − Miah disse se referindo ao nosso passeio.

− Eu também . – Respondi. – Estava com saudades de ter amigos.

  Fiquei olhando para meus dois conhecidos de longe e ouvi um pedaço da conversa deles.

− Você tem que parar de dormir no hospital cara, tem chances dela nunca acordar., você sabe...

  Arregalei levemente os olhos e dei mais uma mordiscada no pastel indesejado.

−  Eu gosto de ficar lá, é como se ela fosse acordar a qualquer momento e sorrir para mim...

  Marcus colocou a mão em seu ombro o confortando.

−  Tente dormir na sua casa pelo menos. O hospital Santa Lucia não vai sair de la´.
  Santa Lucia pensei. Eu conhecia o hospital e sabia onde ficava. Se eu soubesse quem Johnny iria ver, possivelmente uma hora ele iria atrás de mim e eu podia desvendar esse mistério !

−  Vamos indo que Mike deve estar de volta em breve e isso é nosso segredo ! Ele não pode saber das nossas técnicas de sedução. −  Ela disse sorrindo e me puxando.

  Seja lá quem estava no hospital. Hoje Johnny tinha escapado de mim, mas não da próxima, afinal, já sei onde ele se encontra agora . No hospital Santa Lucia!

     Miah me levou para um parque que ficava no final da festa italiana onde estava cheio de crianças e pais e me perguntei se um deles via o brilho fantasmagórico bem no meio de uma arvore, um brilho parecido como o sol sendo refletido no espelho, só que no tamanho sobrenatural.

−  Isso é...

−  O portal.

   Fechei um pouco os olhos e pude entrar nele, logo quando senti a luz diminuir eu pude abri-los e ver que estávamos na sala escura de novo com um espelho atrás de nós.

 −  Isso foi legal −  Eu disse aliviada e Miah seguiu para a porta.

−  Guarde as coisas e faça uma surpresa para aquele maluco, quem sabe ele não melhora mais o humor e deixa Mike um pouquinho para mim também . −  Ela disse me dando uma piscadela e eu sorri indo ao quarto de Sebastian e escondendo os pacotes debaixo da cama, já que duvidava muito que Sebastian ia ficar de bunda para cima procurando coisas lá embaixo. Me senti renovada e cheia de expectativas . Eu só precisava esperar mais uns dias e dizer a Miah que precisava de alguma coisa e ir para o hospital e chegar até Johnny e tudo daria certo. Tudo daria certo e eu poderia escolher depois de achar meu corpo ( que estava perto de ser encontrado) e descobrir que me matou , o que devia estar longe de ser descoberto já que ceifadores sempre estão repletos de sombras.

    Suspirei para me acalmar e não senti que já não estava sozinha.

− Você estava no mundo dos vivos. −  Rafael disse. Meu anjo da guarda.   – isso não é bom. Eu deveria ser quem cuidaria de você .

− Cara. – Eu comecei – Você faz um péssimo trabalho .