A Ceifadora - 17 Capítulo

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

     A CEIFADORA
Quando acordei Sebastian não estava ao meu lado então eu fui até a biblioteca e fiquei treinando sozinha até me sentir que estava quase partindo dessa – para sei lá onde.  E eu consegui terminar quase todo o livro graças a minha pedra do sol, menos dois em especial. Um deles eu precisava completar meu treinamento, me formar em Ceifar ou ter um enorme poder da noite para o dia para consegui-lo.  Ele me faria lembrar de todas minhas vidas passadas e com isso, obviamente eu seria mais madura e mais experiente. O outro eu poderia usar para me formar, mas eu podia ficar perdida naquele lugar que eu não queria estar, por causa do grande esforço.

“ Só usado em ultimo caso” Estava destacado. Mas eu ia deixar para lá até saber de outras coisas, por exemplo: onde diabos meu corpo está, quem foi que me matou e por que eu fico indo para outro lugar, quando tento fazer algo grandioso como fazer Sebastian ter um sonho erótico só para depois ele acabar na cama com o Johnny. Pelo menos esse era o plano. Sebastian estaria 100 distraído e de repente – SURPRESA !!!! Johnny estaria ao lado dele e não eu e a partir daquele segundo ele evitaria pensar em Johnny com toda certeza. Mas algo deu errado e acabei fazendo de verdade, o que foi Horrível e ao mesmo tempo prazeroso. Eu gostei, mas não sabia que era real e no final era. Tudo estava confuso, mas depois de pensar bem , eu deveria estar aliviada de estar livre de mais uma dor. Da virgindade , digo mas por outro lado isso poderia significar que antes de estar com Sebastian eu já não era mais virgem. Mas uma hora nós teríamos que conversar sobre o assunto e tirar umas duvidas.

       Depois de guardar o livro e tomar um banho( Eu estava ficando boa nisso-não em tomar banho, mas em fazer as coisas aparecerem e funcionarem com meu poderzinho de espirito ) Eu fiz meu caminho para o quarto da Miah e quase atravessei o corpo de Sebastian ( figurativamente) Mas seria menos doloroso.. Sebastian parecia uma parede em minha frente do qual eu tinha acabado de me jogar nela e estava certa que ele tinha ceifado um pouquinho enquanto eu estava forever alone .

   Meu corpo balançou um pouco e pensei que fosse cair, mas os braços dele me seguraram antes que isso acontecesse. Seu rosto ficou preocupado e eu também fiquei. Me esforcei treinando sozinha e agora estava sentindo aquela sensação de perder o chão, a sensação de que o mundo esta desaparecendo abaixo de mim e eu não podia fazer nada sobre isso . Levei minha mão a cabeça quando senti A dor. Uma dor aguda vindo direto dos meus miolos, como se algo estivesse atravessado minha cabeça a partindo ao meio. Meus joelhos cederam e devo ter apago por alguns segundos antes da dor desaparecer, quando acordei eu estava deitada no chão nos braços de Sebastian. E tinha vestígios de lagrimas nele. Lagrimas . Isso realmente era ruim.

   Tentei levantar com cuidado e em nenhum segundo Sebastian tirou as mãos de mim.

─ Acho que isso está ficando pior. ─ Disse a ele, mas ele não respondeu ou perguntou nada. Ele somente me abraçou e ficou dando beijos de leve na minha testa enquanto suas mãos afagavam minhas costas. Eu me sentiria mais confortada se a situação fosse outra. Tudo que Sebastian fez foi me deixar mais nervosa, ele não ia perguntar nada por que nem mesmo ele iria conseguir uma resposta, uma solução. Ele estava tão desesperado quanto eu. E vendo que eu estava certa eu deixei umas lagrimas descerem e tentei ao máximo não chorar.

  ─ Vai ficar tudo bem. ─ Disse ele olhando para o teto numa tentativa inútil de evitar que eu visse seus olhos mudando de cor. Seu corpo estava frio e me senti como se tivesse abraçando uma estatua de mármore.

─ Tudo bem, mas você está me assustando. .. ─ Desabafei. ─ Eu  gostaria mais se tivéssemos uma conversa sobre o que aconteceu ontem a noite do que sobre o que está acontecendo agora.

       Sebastian estava um pouco menos aliviado, com certeza pensando que eu diria algo como “ O que aconteceu ontem foi um erro” mas não. Eu gostei e sabia disso . Mas meu medo antes era ter que falar sobre o assunto, mas agora, esse assunto virou meu salva vidas.

    Ele franziu o cenho e sua expressão ficou neutra, como se fossemos falar de negócios, o que era injusto, já que eu não tinha essa maldita capacidade. Provavelmente meu rosto estava corado igual pimentões .

─ Eu também queria conversar sobre isso, mas acho que prefiro saber o seu lado primeiro... ─ Disse ele sem terminar por completo sua frase. ─ Assim eu posso saber o que fazer.

   E lá estava a dor de novo. Ele estava magoado e com medo do que eu ia dizer, e o sentimento era reciproco . Eu respirei fundo e simplesmente disse a verdade, isso era o máximo de luxo que eu podia ter no momento.

─ Eu gostei, foi ...importante para mim , mesmo depois daquilo . ─ Disse me referindo ao meu ataque de pânico . ─ Eu pensei que ia ter dor na primeira vez ou algo assim, mas foi... bom.

   Meu rosto estava queimando e quase podia sentir meu coração na garganta. Se ele não dissesse nada eu não ligaria se eu tivesse um desses ataques, na verdade eu estaria agradecida. Qualquer coisa era melhor que silencio . Nesse caso pelo menos.

  Para meu alivio ele relaxou os ombros e colocou as mãos nos bolsos e pude jurar que tinha um sorriso ameaçando sair no canto de sua boca.

─ Seu corpo é intocado, não seu espirito. É isso que você é, um espirito  ─ Eu quase bufei de alivio, por um segundo tinha pensado em bobagens como meu corpo sendo abusado por um qualquer.

─ Ai que bom ! ─ Disse alegre demais da conta . ─ Achei que eu não era... você sabe.

  Sebastian quase deixou escapar um sorriso de satisfação e eu o abracei . Ele não fazia ideia de como ve-lo sorrindo era tranquilizador e o quanto isso me fazia feliz. Era estranho pensar nisso, mas eu não suportava ve-lo triste e preocupado. E dai eu percebi que estava começando a gostar dele de verdade .

─ Eu me sinto como se tivesse abusado de você ! ─ Disse me lembrando de cada detalhe do que nós fizemos. Aquele sorriso finalmente escapou e quase babei um pouco. Sebastian sorrindo parecia um modelo da Calvin Klein e isso me deixava com as pernas gelatinosas  e o rosto quente. E ele sabia disso.

    Ele me abraçou dessa vez emanando calor e pensei que talvez isso fosse uma espécie de estado de humor, pelo menos eu saberia daqui para frente. Seu corpo me diria.

─ Gostou? ─ Perguntou ele. E fiz que sim com a cabeça. Ele sorriu e seus olhos ficaram verdes .  ─ Então não vai ligar se hoje a noite eu deixar você “Abusar”            de mim mais um pouco.

─ Só se você estiver amarrado . ─ Disse eu e seu cenho franziu sem saber o que eu estava pensando, mas já imaginando . E ele gostou da ideia.

─ O que você vai fazer ? ─ Perguntou animado, mas logicamente eu não ia dizer. Por que Sebastian estava merecendo um pouco de castigo. Sem magica reaper dessa vez , só eu e meu corpinho e muito de minhas mãos.

─ Considere isso um presente, Para mim. ─ Falei . ─  Por ser uma boa ceifadora.





                                                      ******

─ Você vai ter que fazer isso rápido . Eles estão se gostando  mais a cada dia e ela esta ficando forte.

  Ludmilla deu um sorriso malicioso como se não acreditasse em minhas palavras .  Ela levantou sua mão e ficou fazendo desenhos invisíveis a sua frente.

─ Parece que você se esqueceu quem eu sou, ou fui. ─ Disse ela num tom de voz que dizia eu sou a rainha da Inglaterra! . Eu bufei e cruzei os braços sobre o peito. ─ Ela é xereta e tem sua duvidas. Sou mulher eu sei das coisas. Quanto mais dizer não, mais ela vai pesquisar e quanto mais eles se apaixonarem, a queda e a decepção será maior. Não haverá salvação para Sebastian e quando isso acontecer, ele estará fraco e triste e eu vou tomar meu lugar e manda-lo para a próxima dimensão.

  Eu queria acreditar nela, mas era difícil de acreditar que ela só usaria Anita para esse fim sem por a vida da própria em risco.

 Milla andou de um lado para o outro balançando sua foice para desenferrujar um pouco . Eu não gostava dessa dimensão , embora ela se sentisse mais a vontade aqui. Nem todos gostam da zona dos suicidas. Eles gritam , tentam nos atacar ou tocar em nós, mesmo não conseguindo por que somos de níveis superiores , mas era irritante. E eu queria me livrar de todos.

─ Ela poderá ser feliz. Com você ou sei lá quem, eu não ligo. ─ Disse dando um sorriso malévolo com certeza imaginando sua vingança. ─ Sebastian não vai aguentar ficar sem ela. ─ Em seguida ela gargalhou. ─ Vocês são tão estranhos. Ceifadores, humanos e gente como você. ─ Disse ela. ─ Sempre prontos para por sua vida em risco por um amor que nem sequer sabem se vai dar certo.

   Eu olhei para o lado irritado , se ela me irritasse mais eu poderia mata-la e fazer tudo sozinho, mas se eu fosse descoberto... não teria ninguém para por a culpa .

─ Deu certo uma vez , dará novamente.

─ Você é tão seguro de si . Imagine se ela escolhe o humano?!

    Disse ela abaixando ligeiramente para girar sua foice com mais e mais força, e o movimento me deu um deslumbre dos seus seios e tive que desviar o olhar. Pois para mim só existia uma mulher, por toda a eternidade. Anita.


                                                       *****

─ Você quer fazer o quê ! ─ Gritei com Sebastian. Eu não gostava disso, atualmente ela andava no limite.

   Sebastian me deu um olhar severo do tipo “Vou chutar sua bunda até sua próxima encanação” e não dei a mínima , eu já estava acostumado.

─ Não vai ter problema nenhum, ela ficará segura e ligada a mim somente por ...toda a eternidade . ─ Disse ele como se não fosse nada demais. Eu poderia rir da cara dele , mas não podia. Ele infelizmente era meu chefe e meu irmão e isso não tinha nada a ver com ele ter feito uma promessa poderosa do qual, até agora não cumpriu.

 ─ Você sabe o que acontece comigo se alguém descobrir? Seu lunático ! Gritei levando as mãos a cabeça. Ele tinha ideia do poder que isso levava , nem mesmo se ele se juntar a mim não daria para fazer, e ele sabia. ─ Não conseguiremos sozinhos...

─ Eu tenho mais alguém que pode ajudar .
─ Quem? ─ Perguntei e quando ele olhou para mim eu soube quem era, e ele sabia que eu ia gostar menos dessa ideia. ─ Jessica?

  Ele deu de ombros como se não ligasse muito para meus sentimentos ou de minha mulher . E de certo modo ele não ligava. Sebastian continuava egoísta como sempre, só que de bom humor.

─ Você é louco? Você também prometeu algo para a Jessica e não cumpriu. Acha mesmo que ela vai te ajudar ?

─ Vai. ─ Disse ele. ─ Ou ela  vai ficar presa para sempre com seu mestre e ela sabe disso. Ela precisa de mim. ─ Disse ele como se fosse uma espécie de Deus. Eu não sabia onde isso ia dar, mas Miah arrancaria minhas bolas caso descobrisse e ela fará com todo prazer.

   Agarrei um pouco de meus cabelos desmanchando meu penteado .

─ Foda-se. Faremos, mas é bom que você cumpra o seu trato. ─ Disse mesmo sabendo que se Miah chegar a descobrir o que fiz, ela nunca iria me perdoar . Nunca. Muito menos Anita perdoaria Sebastian.


                                                        ******

  ─ Você quer o quê?! ─ Gritou Miah quando disse o que eu queria fazer .

   Ela estava jogada em sua cama um pouco deprimida, mas depois que eu disse que precisava de ajuda para deixar Sebastian ( literalmente) amarrado na cama ela me olhou como se estivesse me chamando de vadia ( de um jeito bom) ou safado.

─ Sua safadinha ! Me conte os planos ! ─ Disse ela se animando e se sentando na cama.

─ Quando cheguei Sebastian me deu uns amassos na forma do meu ex-namorado e agora quero dar um “castigo” nele. ─ Ela riu um pouco e imaginei que ela ia ficar corada, mas não.

Você é forte por que precisa de mim? ─ Perguntou e não sabia se contava para ela que eu estava passando mal por muito esforço.

  Olhei para ela e decidi que era melhor não contar pois já me bastava uma pessoa só se preocupando comigo. E eu não suportava ver ninguém sofrendo.

─ Você é mais experiente e não quero que dê nada de errado, além do mais... se eu amarrar ele pode se soltar ou se teletransportar  e quero ter certeza que ele não vai conseguir usar os braços...

─ Por quê? ?? ─ Disse interessada na minha sem-vergonhice e eu sorri para ela.

─ Por que somente eu quero usar as mãos. ─ E com isso viramos duas mulheres doidas falando e dando dicas do que fazer para “castigar” Sebastian La’Muerte.

─ Você é das minhas . ─ Disse ela depois que tramamos tudo. A dica que ela deu era fazer ele pensar que ia conseguir e depois tirar... e voltar bem devagar , fazendo com bastante vontade e depois, parar novamente. Ela disse que Mike pediu ela em casamento com isso e eu ri. Mesmo não querendo casar , ainda.

  Nós duas rimos do nosso plano diabólico e ela me deu um lenço negro para amarrar o Sebastian.

─ É do Mike. Ele morreu com isso então não dá para Sebastian fazer sua magica e sair dai a não ser que ele tenha um objeto que ele também tenha morrido. ─ Eu fiquei sem entender a explicação até ela perceber e me explicar .

─ Foi abençoado no dia da morte, então eles não podem fazer nada , nenhuma magica ou truque reaper com algo que Deus abençoou. Mas isso só vale com um único objeto.

─ É útil ─ Disse ela feliz em ajudar. ─ Talvez ele fique humilde. É bom ter esperanças.

  Disse quase com fé e tive que revirar os olhos.

─ Obrigada. Foi o único jeito que achei para castiga-lo e faze-lo implorar. ─ Falei mas Miah parecia distraída no momento, quase triste.

─ Acho que eles estão aprontando algo. ─ Disse ela. ─ Peguei eles cochichando um monte de vezes e Mike não esta me contando nada.

Eu dei de ombros achando tudo normal. Sebastian podia estar fazendo o mesmo que eu, não contando para Miah para ela não ficar preocupa por eu estar tendo trecos por ai e só colocou Mike nisso para me ajudar. E pensando nisso eu me senti automaticamente culpada.

─ Eles devem estar falando de nós como nós estamos falando deles. Talvez queiram nos “castigar”. ─ Disse tentando acalmá-la. ─ Depois de hoje a noite com certeza Sebastian vai querer me dar o troco. ─ Falei fazendo uma carinha de mal posso esperar e ela se acalmou.

─ Sim. Estou me preocupando por nada, além do mais... Sebastian está há séculos sozinho e tudo isso é novidade sabe, homens fofocando.

   Eu concordei com a cabeça mesmo não tendo certeza demais nada. Até onde sei, Sebastian poderia estar falando para Mike agora mesmo que eu não tenho mais salvação, que eu vou acabar indo para aquele lugar onde não controlo a dor. E eu estaria longe de qualquer pessoa que pudesse me ajudar.

─ Sim. É tudo novo. ─ Disse meio que murchando . ─ Novo as vezes é bom. ─ Menti.

 Miah pegou minha mão e seus olhos brilhavam.

─ É ótimo. ─ Disse ela com tanta certeza que me doeu. ─ É ótimo , ninguém esta mais sozinho. Nem Sebastian , nem eu. É bom ter uma amiga par desabafar e fofocar.

   Eu retribui o apoio, mas meus pensamentos estavam em outro lugar. Meu coração de repente parecia pequeno, frágil e pronto para se romper a qualquer momento. Eu estava triste e isso não significava algo bom. Era um mal pressagio. Algo ruim ia acontecer, mais provável que fosse comigo.





5 comentários :

  1. Huuum Safadinha essa Anita hein Kkkkkkkkkkkkkkk
    gostei muito Kathy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela tem que ser um pouco, pra ser feliz kkk Eu não queria que ela sofresse demais ou ficasse pensando demais. Se não ela ia ser reclusa, desconfiada e meio chata. kkk E além do mais quem resistiria ao Sebastian?! Sou suspeita. Tenho uma queda por homens loiros de olhos claros

      Excluir
  2. ai amei o capitulo...posta mais... amo o sebastian... ei eu gostaria de saber se as coisas vao esquentar no proximo capitulo,entre sebastian e anita?..bjosssss linda..continuaaaaa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada ^^ O Sebastian causa isso nas mulheres haha. Vou dar meu melhor no próximo capitulo mesmo não estando acostumada a escrever coisas hot rsrs.

      Excluir

* . Comente aqui o que você achou da postagem , se gostar vire seguidor do blog. * sua presença é muito importante.