Guia Para Garotas Contra Zumbis - 1º Capítulo - Odeio Surpresas

segunda-feira, 3 de junho de 2013




           Bem Vindos ao Meu Diário/Guia para garotas Contra Zumbis  já que sou uma, garota não zumbi.
      O guia vai ser escrito depois de cada experiência e cagadas que eu acabei passando ou vou passar ou que meu amigos passaram e que logo irei passar adiante para que outras garotas possam se proteger contra tais criaturas.
Não sei de onde veio a ideia de criar um guia, mas achei melhor do que filmar ou algo parecido já que se o mundo vier para o fim possivelmente não ira haver energia elétrica ou meios de recarregar uma câmera, então ler é a melhor opção. Ler é silencioso, você pode fazer só ou não , isso depende de sua vontade, você pode fazer escondida já que pode ter um zumbi perto de você agora mesmo e não vai ter aquele barulho irritante como aviso que a bateria esta acabando.

     .... Então vamos pelo começo....

    Em 27/05/2012 aconteceu o primeiro caso de ataque zumbi em Miami, onde a Policia de Miami atirou em um homem nu que comia o rosto de uma outra pessoa.


                         


                     E depois vieram mais e mais noticias :

Homem ameaça devorar dois policiais em Miami.
Ele tentou morder um agente quando estavam medindo sua pressão arterial.
Episódio acontece uma semana após caso do 'canibal de Miami'.

Um jovem sem-teto de Miami (Flórida, sudeste dos EUA) ameaçou no fim de semana passado morder e devorar dois policiais que comiam em um restaurante. O episódio acontece uma semana depois de outro homem comer o rosto de um mendigo, informou a polícia.
Brandon De Léon, um jovem de 21 anos que vive na rua, foi detido no sábado passado quando entrou em um restaurante e insultou dois policiais que estavam no local, que decidiram prendê-lo por má conduta, informou um comunicado da polícia de North MiamiBeach.
"Quando era levado à delegacia de polícia, Brandon começou a bater sua cabeça várias vezes contra o vidro do veículo enquanto gritava 'vou comer vocês'", segundo o comunicado.
De acordo com os oficiais, De León tentou morder outro agente da delegacia quando estavam medindo sua pressão arterial.
O homem estava irado e "grunhia, abria e fechava a boca", às vezes soava como um animal, descreveu o documento policial.
A polícia emitiu nesta quarta-feira (6) um comunicado no qual relaciona este caso com o de Ruby Eugene, o homem que devorou as orelhas, bochecas, nariz e olhos do mendigo Ronald Poppo, na conhecida ponte de McArthur, que conecta o centro de Miami com as praias de Miami Beach.
A polícia achou traços de uma droga sintéticas chamada "Cloud 9" (Mefedrona) no sangue de Brandon, segundo o "Daily Mail".

Na terça-feira (5), os membros da Comissão do Condado Miami-Dade aprovaram de forma preliminar a proibição da maconha sintética, um produto semelhante ao incenso cuja venda a menores é ilegal. “

    E mais alguns casos um deles uma mulher quase matou seu próprio filho de 3 ou 4 anos e foi interrompida pelo marido e por policiais que a deterão com equipamentos e armas de choque. Ela morreu logo depois. O problema não era ela ter morrido e sim não ter ficado morta....

                                      1
   
Depois desses acontecimentos peguei o primeiro caderno e decidi fazer o guia. Hoje parece normal . Um dia perfeito e ensolarado para gastar na escola.
   


   East High School é uma grande escola da região leste de Salt Lake City, Utah, nos Estados Unidos da América. Vocês podem ter a mera impressão de conhecer essa escola e conhecem , mas não vou dizer de onde se não estraga a graça. Talvez eu até conte no final do guia, embora não vá ter muita importância.

     O dia está levemente nublado e chuvoso. Eu sou uma garota que adora tempos assim, pois fica frio e é mais fácil para correr não tendo um sol dos infernos em suas costas. Pena que meu cabelo não concorda comigo e insiste ficar rebelde. Eu não tive escolha a não ser chegar na escola alguns minutos mais cedo antes que a chuva começasse a me açoitar. Entrei correndo pelas portas de entrada e fui para a quadra localizada na parte dos fundos da escola onde todos iam presenciar o magnifico treino de Travis Aleksandro , meu ex- melhor amigo e o cara que tirou minha virgindade no ano passado e nem me ligou no dia seguinte, e ele ERA meu melhor amigo desde que eu nem sabia para que servia um sutiã. Travis é o melhor jogador de futebol da escola e todos( mais o diretor ) acreditava que ele levaria a escola para a glória e levar o time visitante para lama. Ele nem chega a ser tãaaaaaao bonito assim, Com seus cabelos cor de areia, olhos de um azul tão profundo que uma garota se sentia apaixonada só de olhar para ele, menos eu. Seu corpo de musculatura forte e perfeita com um leve bronzeado e seus 1,85 de altura.... e aquele sorriso... que me fez dar minha virgindade e meu coração só para ele jogar no  lixo.

   Nada atraente.... Foda-se . Travis é um gostoso. Não vale nada, mais ainda sim um gostoso.

    Fui até as arquibancadas e me sentei perto de um grupo de nerds e peguei meu guia e meu notebook e comecei a olhar para ver se tinha mais noticias sobre zumbis. Caso tivesse alguma coisa acontecendo por perto da escola eu teria que ter um plano infalível e arranjar umas armas mortíferas. Mesmo não sabendo usar nenhuma delas, nada mesmo , nem um canivete que eu guardava na mochila. Mas não me culpem ! Vocês não podem achar que uma garota que morre de medo de uma barata miserável de repente pode sair por ai matando zumbis . Ainda mais saber usar armas. Mais um motivo para fazer o Guia para garotas contra zumbis e esse não era o único problema. De acordo com minhas fontes de pesquisa, era algum tipo de droga contida em alguns alimentos que fazia as pessoas/zumbis se comportarem assim de um modo agressivo, canibal e com uma certa alergia a roupas... isso por que todos os casos de ataque “zumbi” as pessoas estavam nuas. Isso quer dizer que se Travis virar um zumbi, terei que enfrenta-lo nu diante de mim sem usar uma arma mortífera que vemos em filmes e isso seria muito difícil, para mim e qualquer outra garota. Fiz minhas anotações e logo senti um bafo quente em meu pescoço e pelo hálito de acordei-assim-e-vim do Ian, o reconheci imediatamente.

− Você gosta de sofrer ou o quê?! – Ian perguntou sabendo que eu ainda tinha uma queda de penhasco pelo irmão dele. Isso mesmo ! Irmão de Travis!.

   Olhei para ele vendo seus olhos castanhos e não azuis e seu cabelo marrom da mesma cor do meu. Eu não gostava de olhos escuros... eu queria ter olhos claros, pois achava isso um diferencial a mais. Pesquisas dizem que se a pessoa ter olhos claros elas se tornam automaticamente mais interessantes que pessoas de olhos escuros, mas também, são muito menos confiáveis. Pessoas de olhos escuros são mais confiáveis. Talvez por que pessoas de olhos claros e azuis usassem de seu “poder” para o mal para tirar nossa virgindade, mas eu não estou falando isso por causa do Travis. Nunca. Imagina. Mas o fato de Ian não ser quase gêmeo do Travis não quer dizer que ele não fosse bonito, ele era tão irresistível quanto Travis, mas era mais na dele. Não ficava pegando qualquer coisa que aparecesse a sua frente. Eu queria ter perdido a virgindade com ele, talvez ele tivesse me ligado no outro dia.

− Não quer dizer que estou apaixonada pelo seu irmão só por que vim ver o treino dele... ou por que não quis ir para a parte traseira de sua picape. – Ele fez um som estrangulado com a boca , fingiu levar um soco e logo, fez um sonoro “Aut! Essa doeu!”.

    Revirei meus olhos e dei um soco de leve em seu ombro para depois abraçá-lo. Travis viu e ficou de olho em nós dois, mas fingi que não tinha percebido nada.

   Ian sempre foi meu amigo, mas não erámos grudados. Ele gostava mais de suas coisas secretas do que os treinos e dias de videogame e coisas gordurosas. Não sei como tudo mudou de repente assim, ele virando meu melhor amigo e Travis virando um simples estranho. Tinha vezes que eu não ligava para isso.

    Ele encostou seus lábios em minha orelha e começou a sussurrar que ele queria me mostrar umas coisas secretas que ele aprendeu... Tentei não levar na malicia, mas era infernalmente difícil. Milhares de imagens corriam pela minha mente, ele podia ser um praticante de BDSM e queria me levar para sua masmorra . Ele poderia me levar para um motel, para ver um filme louco ou qualquer outra coisa que parecesse digno de ser mantido em segredo. E eu...- Que Deus me ajude- aceitei.

− Tudo bem. – Disse e ele me deu aquele olhar de que ele tinha ouvido errado. E por duvida eu repeti novamente o ok.

− Sério? Tipo... NOSSA! Achei que ia ser mais difícil algo assim, mas ­– Ele pegou minhas mãos e tornou seu tom de voz mais sério. – Eu sei que você vai gostar  muito de hoje...

***
     Tentei não ficar muito impressionada com aquilo, mas fiquei e passei meu dia com aquilo na cabeça e tive que desabafar com minhas amigas.

− Você acha que ele vai tentar... você sabe. – Balancei minha cabeça confusa.
− Eu não sei. Mas ele disse que eu ia gostar e ele disse isso muito sério. – Ela deu um gritinho afeminado e me abraçou quase orgulhosa.

− Finalmente um cara que você sim pode confiar ! Vai nessa amiga, aproveita, se joga e me conta tudo amanhã!

 Revirei meus olhos e concordei. O assunto de Ian estava terminado por agoa e eu já sentia nos olhos da minha amiga que ela tinha uma fofoca nova prontinha para ser espalhada.

− O que foi dessa vez? – Perguntei e ela sorriu e apontou para uma sala que estava em reforma. Eu não entendi então a deixei explicar.

− Ali. Foi encontrada uma garota nua muito agressiva que atacou um dos homens que estava trabalhando na reforma. Ela foi presa e simplesmente... bem.. a maluca desapareceu, mas até onde eu sei ela ... – Vendo que ela não queria dizer eu a balancei um pouco.

− O quê?! Diga logo!.

 Ela tomou um longo suspiro e soltou a bomba.

− Ela estava saindo com o Travis antes de ficar assim. – Eu fiquei chocada por um instante, irritada e triste, depois consegui captar a linha de raciocínio de minha amiga. Ela estava pensando que Travis magoou a maluca e ela pirou, e agora minha amiga tinha medo que eu surtasse também e aparecesse nua atacando funcionários públicos.

− Não vou ficar assim. Além do mais, eu vou sair com o Ian e descobrir o tal “segredo” e aproveitar a coisa que eu vou “gostar”. – Disse isso com o máximo de certeza, mais para acalmar a mim mesma do que ela.

   Fomos para nossa ultima aula onde ela ficou me dando dicas de como me vestir para sair com Ian sem parecer que eu estava esperando demais dele. Optamos por uma calça jeans justa ( não apertada) tem uma diferença, uma blusinha branca de alças e bota sem salto. Sem salto por causa da chuva, seria difícil não levar um escorregão e por causa da minha cisma pelos prováveis zumbis. A estória que minha amiga havia contado só tinha me dado certeza que estávamos á beira de um apocalipse zumbi e eu não queria ter que correr de um zumbi com um salto quebra pé. Teríamos falado mais, mas o professor nos ameaçou de nos colocar para fora da sala de aula, então prometi que diria a ela tudo o que aconteceu no tal encontro amanhã. Quando a aula acabou Ian estava me esperando encostado em sua picape com um sorriso malicioso.

− Pois não?! – Perguntei parando em sua frente só para ele me esnobar e abrir a porta do passageiro para mim.

− Vamos agora. – Olhei para ele desacreditada ! Sair assim sem nada?! De surpresa?! Oh cara... odeio surpresas. Surpresas tem 99% de serem desagradáveis.
     Fiz careta para ele e coloquei minha mão na cintura esperando uma explicação.

− Olha. – Ele começou. – Sei que você odeia surpresas... mas ESSA você vai gostar! – Quando ele viu que eu não estava convencida ele disse em auto e bom tom. – Para alguém que trabalha num sexy shop da sua tia, você está difícil de deixar-se surpreender!

     Eu parei por um momento com meu rosto branco como um papel. Todos estavam olhando para mim e agora quem não sabia, sabia agora que eu trabalha (só nos fim de semana) no sexy shop da minha tia. Meu Deus! Eu tinha que ganhar uma graninha para sair de vez em quando ! E só por que eu trabalho lá, não quer dizer que faço... outras coisas.
     Levei minhas mãos para o céu e entrei no carro bufando. Ian entrou logo depois com um sorriso no rosto e me beijou na bochecha rapidamente. Quando o carro deu partida vi o rosto de minha amiga chocada sorrindo para mim e Travis agarrado com uma garota olhando para mim com uma cara de que comeu algo que não gostou.


Tentei não ligar para isso e evitei de ter esperanças que Travis gostasse de mim mesmo como amiga, pois ele não gostava, nem sequer tinha um pingo de consideração comigo. Para evitar o silencio constrangedor Ian ligou o mp3 no ultimo e começou a cantar uma das musicas do Bom Jovi , enquanto de vez em quando olhava para mim. Com olhos brilhantes e cheios de promessas. Olhando para aqueles olhos ele quase parecia totalmente ingênuo e inocente, mas provavelmente (dependendo da surpresa dele) poderia ser verdade, ou eu que seria a única ingênua dali.

    Chegamos na garagem da casa dele. Se é que pode chamar aquilo de casa! Na verdade aquilo era a mansão dos sonhos gótico. Eu tenho que dizer que mesmo passando lá mais tempo que em minha casa ( antigamente dizendo) eu sempre sentia aquele frio na barriga ao passar pelo portão. A casa era do tempo colonial, mas passou por muitas mudanças e a parede foi revestida com enormes pedras. Era bonito de se ver e dava uma certa segurança, fora o fato de ter muitas câmeras e modos de segurança que até o capiroto não sabe que existe.

   Ian saiu da picape depois de estacionar, abriu a porta para mim e depois digitou rapidamente alguns comandos no alarme de segurança. Se alguém invadisse a casa nesse momento, o sistema seria ativado e trancaria todas as entradas e manteria tudo que é  para ficar fora, fora. Entramos na casa e passamos pela sala de jantar que pelo percebi, a mãe de Ian e Travis Aleksander  tinha redecorado a casa. A culpa pela mudança não era culpa dela, afinal ela é a melhor estilista do estado da américa e o pai dele um grande cirurgião plástico, ou seja, o pai deles não fica muito tempo e ela faz o que quiser no tempo livre só para os meninos fazerem a festa. A mudança de estilo passa pelas veias daquela mulher. É algo como a família perfeita daquele comercial de margarina. Todo mundo feliz.

  Ele abriu uma outra porta que dava para o porão e fomos descendo por uma escada sem fim. Estava quase pronta para perguntar o que infernos íamos fazer no porão até ele parar bruscamente e ficou olhando um ponto fixo. Não consegui enxergar direito, mas logo que minha visão se acostumou com a má iluminação, eu vi. Quando vi o que ele tinha no porão, arregalei os olhos.

− Bem. – Ele começou – Não pode ter um guia de zumbis, sem alguém que mata zumbis... Então, vou te ensinar meu hobby preferido. – Ele disse pegando uma arma que eu não sabia o nome e colocou um par de fones para depois dar um par para mim.

− Ponha isso. Leva um tempo para se acostumar ao som.

Fiz o que ele pediu e fiquei olhando para arma como se fosse algum órgão vivo do qual eu não queria tocar. Ele mirou e fixou o olhar em um ponto fixo e atirou em meio a iluminação tosca. Depois ele abaixou a arma e apertou um controle remoto que trouxe um alvo para perto.

  Ele tinha acertado bem no meio da cabeça.

− Sua vez. – Ele disse e eu quase disse “ Eu passo”. Mas quem está num apocalipse não tem muita escolha e tem mais que se ferrar mesmo , então eu disse um foda-se mental e peguei a arma tendo cuidado para não mirar nele ou em minha própria cabeça. Ele apertou o botão e o alvo trocou para um mais corpulento e foi para longe. Eu nunca tive a visão ruim e sempre tive uma boa mira, mas duvidava que pudesse sequer acertar o braço daquela coisa. Tentei mirar e devo ter segurado a arma errado, pois ele segurou as minhas mãos com a sua e cochichou no meu ouvido mandando arrepios pela minha espinha.
− Segure assim. – Disse me fazendo segurar a arma com as duas mãos. – Coloque um pouco de força nos braços, as vezes ela da um tranco e você pode errar.

   Me concentrei e fiz como ele ordenou e logo que ele disse.
− Agora. – Eu atirei e... errei. Quer dizer, acertei algo, mas não foi na cabeça e sim na região entre o ombro e o pescoço.

Olhei para ele envergonhada e ele sorriu para mim tirando o fone.
− Para sua primeira vez, foi bem. – Disse com uma piscadela e eu corei.

   Tentamos mais algumas vezes e consegui acertar a cabeça na décima vez e comemorei com direito a gritinhos afeminados e um beijo em Ian. Estávamos tão felizes que não sabia se tinha o beijado no rosto ou na boca e eu não dava a mínima. Depois de tudo subimos e comemos uma pizza e bebemos coca-cola. Ian parecia feliz e eu me sentia feliz como dias que não me sentia assim. Eu me sentia a Lara Croft ou a Buffy.

  − Eu achei que seu segredo fosse algo obscuro e medonho e que tivesse corpos em seu armário ! – Ele riu e balançou a cabeça.

− Bem. Não contei para ninguém e nem mesmo meu pai sabe que modifiquei o porão dele, mas fiz isso só para me proteger caso alguém assalte a casa ou queira me sequestrar , algo assim. – Disse tomando em seguida o resto de sua coca.

Revirei meus olhos e sorri.
− Não estou julgando! Meu pai ficava dias caçando animais com uma espingarda no mato com meu padrinho.

 Ele fez uma careta e se aproximou de mim causando um *felling, aquela impressão que nos dá quando vai acontecer algo que parece que vai acontecer, como um beijo ou algo mais e eu estava me deixando levar até começarmos  a ouvir gritos.

   Levantamos corremos e enfiamos nossas cabeças pela janela. Através dela vimos uma mulher trepada no portão tentando entrar violentamente, ela estava nua. Depois de um tempo levando choques que Ian tinha ativado ela desistiu e atacou um cara na rua , os dois ficaram gritando, um de dor e outro de raiva até que acabaram debaixo de um carro e a ambulância chegou.

   Fiquei um minuto em silencio para tentar absorver o que tinha visto sem me impressionar demais e acabar distorcendo a realidade, mas não consegui me enganar e até mesmo Ian já estava certo do futuro.

− Parece que já temos os zumbis...

 E com estas palavras e um sorriso nos lábios dele, eu estava certa como o inferno de que ele estava tramando algo maligno.

− Vamos lá ver? – Ele perguntou . Levantei minha cabeça com toda uma certeza e disse de volta.

− Pegue as armas, tranque bem a casa e vamos nessa !


                
                                  

3 comentários :

  1. Nossa eu ameeeeeei *-*
    Olha eu vou ficar muito feliz em fazer uma parceria com você, se quiser me add no face pra gente conversar //www.facebook.com/profile.php?id=100000449503353&fref=ts
    bjoos

    ResponderExcluir

* . Comente aqui o que você achou da postagem , se gostar vire seguidor do blog. * sua presença é muito importante.