Every Other Day - Capítulo 37

domingo, 24 de fevereiro de 2013

"Das cinzas ás cinzas, pó ao pó".

     O céu estava escuro e cinza em cima, mas quando eu assisti eles abaixando o caixão de Skylar no chão, um pequeno córrego de luz rompeu as nuvens. À minha esquerda, Bethany ficou  imóvel como eu estava. Talvez a gente não tivesse o direito de estar aqui. Talvez os Haydens não nos quisessem aqui.

Talvez, talvez, talvez, e nada disso importava.

   Do outro lado do gramado, Elliot não olhava para Bethany, não olhava para mim. Eu me encontrei tentando combinar muitos irmãos de Skylar para suas descrições e percebi que eu nunca ouviria ela falar sobre eles novamente.
       Eles nunca mais a veriam. Marcas de mãos no concreto, quadros nas paredes, que é o que ela era agora. Havia palavras faladas e hinos cantados e nenhum dos que fizeram os fez menos mortos. Fiquei ali, pensando daqueles últimos momentos, a expressão de pura e autêntica felicidade em seu rosto.
        Eu poderia tê-la salvo. Eu deveria ter. E nada do que Bethany dissesse  poderia mudar isso. Nada do que eu dissesse ou fizesse ou deixasse de fazer durante o tempo que eu vivi a traria de volta.
      
    Ao meu lado, o meu pai estendeu a mão e colocou uma mão no meu ombro e  me puxou para mais perto. Por instinto, eu endureci no contato físico, mas após o momento do primeiro contato passou, inclinei-me em seu ombro e assisti-los enterrar a ela.

Eu disse adeus.

E depois fui para casa, cortei uma parte do meu braço com um serrote, e chorei.

      Uma semana depois de enterrarem Skylar, voltei para a escola e
encontrei-me no centro do radar de boato. A investigação da instalação da Quimera  tinha estado em todas as notícias. Prisões ainda estavam sendo feitas. E embora os federais tivessem mantido meu nome de fora, todo mundo sabia.
Eles sabiam que Skylar tinha morrido. Eles sabiam que eu estava lá. E eles sabiam que Elliot não poderia olhar para mim. Que ele não estava falando com Bethany. Que ela começou a comer sua comida na "mesa freak" no almoço.

   Basta dizer, eu estava tão surpresa quanto qualquer um quando Elliot se aproximou de mim antes da escola um dia e rigidamente me entregou um envelope com o meu nome.

   Ele não disse uma palavra. Ele apenas ficou lá e esperou.
Depois de um momento, eu me forcei a abrir. O papel rosa e as letras dançavam por toda a página. Ela se espalhava pelo i em meu nome com um pequeno coração rosa.

  Querida Kali
   Eu não sei se você conseguirá, mas eu vou. Eu vou dizer oi, e nós vamos ser amigas. Em alguns pontos, eu provavelmente vou te dizer que eu sou um pouco psíquica, e você provavelmente não vai acreditar em mim, e a verdade, Kali, é que você não deve acreditar em mim. Porque, juro por Deus, eu sou muito vidente.
    Eu nem me lembro de quando começou, mas é isso. Então, quando eu digo que tudo o que vai acontecer, que vale a pena - eu preciso que você acredite em mim, porque ele é assim. Talvez  não pareça o caminho agora, mas daqui a cinco anos ou 10 ou 20, tudo funcionará. É assim que deveria ir. É por isso que eu vou fazer o que eu vou fazer, e é por isso que você está lendo isso, e porque eu não estou lá para dizer qualquer coisa sobre mim .
     Não fique com raiva de si mesma, e por favor, não fique com raiva de mim. vamos ser amigas.
    Então faça-me um favor, Kali, e atente para Genevieve, uma vez que eu não esteja lá, as outras meninas (mas não beth, é claro!) vão dar-lhe um momento muito difícil e fazer darryl pedir para a caloura bonita para ir ao baile e dar-se uma pausa de vez em quando, porque você merece uma.
xoxo.
Skylar Hayden
( vagabunda escolar)

OBS: Quando lhe perguntam o que quer que seja que vão lhe perguntar, diga que sim.
OBS2: Diga a Elliot que o amo , e diga para ele parar de ser um instrumento.



*****

    Eu não tinha certeza se devia rir ou chorar, então eu só entreguei a carta a Elliot e o deixei ler.

"Ela não era vidente", disse ele. "Ela era apenas uma criança." Ela era, eu pensei, mas eu não discuti o ponto de saída em voz alta. Em vez disso pensei em Bethany, cujo pai tinha sido preso. Bethany, que sabia o que era levar outra pessoa a morte sob seus ombros para o resto de sua vida. Bethany, que perdeu quase tudo em poucos dias.

"Elliot", eu disse, surpresa com a clara e firme que minha voz sentida. "Deixe de ser um instrumento."



*****


Dezoito meses mais tarde ...


      A decisão de levar hellhounds para fora do perigo da lista de espécies foi um longo tempo muito corrido-tudo de bom que fez comigo. Caçá-los ainda era ilegal, a única diferença agora, era que havia mais de caçar.

"Aqui, cachorro, cachorro, cachorro".

    Eu realmente não deveria ter feito isso. Se eu tenho manchas de sangue no meu vestido de formatura, Bethany ia me matar, e Elliot ia rir. Ajustando a tampa sobre a minha cabeça, eu girei a faca preguiçosamente em uma mão.
Perto. Você está ficando mais perto.

    Se alguém tivesse me visto à distância, tudo o que veria era uma menina normal, recém-formada do ensino médio. Uma menina que viveu pouco a pouco e dia a dia.
Fechei os olhos, saboreando enxofre no vento e esperando.

    Aqui, filhote de cachorro, cachorro, cachorro.

    Pegando uma pitada de algo no ar, eu puxei para uma parada. Este era o lugar, mas havia algo ... fora. E foi então que eu percebi que o cão do inferno já estava morto.

"Olá, Kali."

    Eu me virei e me encontrei cara-a-cara com os olhos que eu teria reconhecido em qualquer lugar: olhos de prata, franjas negras.

Dezoito meses. Fazia 18 meses de rádio silêncio na minha cabeça. Dezoito meses sem uma palavra, e agora, ele estava aqui.

"Ei, Zev", eu disse. Eu balancei a cabeça para o hellhound no chão, observando a distância entre seu corpo e sua cabeça. "Só para registro, o próximo é meu."
Zev sorriu.

 "Eu acho que pode ser arranjado." Ele passou seu olhar sobre o meu corpo, e então seus olhos  lentamente foram para o lado. Eu me virei e segui seu olhar para dois homens que estavam na borda do parque.

     Eles estavam usando ternos. Parei girando minha faca e dei um único passo para frente antes de perceber que um dos homens estava muito familiar.

"Reid?"  O irmão de Skylar assentiu. Ele e o outro homem começaram  caminhando em direção a nós, e, tardiamente, eu percebi que os dois e Zev-se moviam como uma equipe.

"Parabéns", disse Reid, apontando para o meu boné e meu vestido. "Tem planos para depois da formatura?"

   Eu estava entretendo a idéia de tomar algumas aulas na universidade que não serão divulgados, mas quando olhei de Zev para Reid, algo estalou dentro de mim, e eu começei a girar a faca em minhas mãos novamente. Zev era um vampiro. Reid era do FBI. E de acordo com algo que eu ouvi uma vez da minha mãe que eu não tinha visto em 18 meses dizendo, Chimera não era exatamente um dos tipo.

PS: Quando lhe perguntam o que quer que seja que vão lhe perguntar, diga que sim.

    Eu trouxe meus olhos para descansar em Zev.

"O que exatamente vocês tem em mente? "


                                                  *******Fim*****

          
                                   

2 comentários :

  1. Amei !!!!!!! Será que tem o livro 2? Sou apaixonada pelos livros dessa autora!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até onde sei não, mas eu bem que queria o livro 2 tambem rsrsrs ^^

      Excluir

* . Comente aqui o que você achou da postagem , se gostar vire seguidor do blog. * sua presença é muito importante.