A Ceifadora - 11 Capítulo


   



 Sebastian ....



     Mike estava com aquela cara calma e com os olhos inquietos,  me dando a indicação que a merda tinha ido para o ventilador e eu não queria adicionar o nervosismo por ele saber que eu estava puto da vida por ele ter me atrapalhado.  Cruzei os braços sobre o peito e deixei meus olhos  em tom branco, por mais que gostasse da cor não poderia controlar sua aparição. Era só estar irritado que o modo ceifador estava ativado.

      - Desculpe ter atrapalhado. - Disse arrependido,  mas não liguei a mínima. Tudo que eu gostaria de saber era o que porra estava acontecendo e que fosse importante.

      Revirei os olhos e deixei meus lábios numa linha fina. Embora Mike fosse meu irmão eu poderia chutar sua bunda até  Cérberus comer sua carcaça. O único motivo de não tê-lo feito era por que ambos tinham feito uma coisa ruim para ajudar um ao outro e que não gostaríamos de revelar as mulheres da casa.

- Ela fugiu. - Mike disse quase num sussurro e também pois seus olhos em branco ativando seu modo ceifador.

     " Eu não sei como aconteceu.. ela é poderosa demais! " - Ele começou se desculpando novamente, dessa vez mentalmente.  Telepatia era um dos meus poderes preferidos e gostaria mais quando Anita desbloqueasse seus miolos para que eu pudesse ver seus pensamentos. Fechei minhas mãos em punho me contendo para não socar o Mike.

     " Como diabos isso aconteceu?! " Gritei mentalmente de volta. Ela tinha escapado e isso só daria em merda para mim. Eu deveria tê -la matado, mas já estava enfraquecido pela nossa luta e acabei a trancando numa jaula em outra dimensão. Achei que nunca acharia o caminho certo para fugir, mas estava errado. Se ela voltasse a esta casa ... Anita estaria correndo perigo ou eu mesmo. Ela me odiaria o bastante para querer ter uma vingança a altura e usaria minhas fraquezas para isso e ela conhecia cada uma delas.

      " Ela deve ter seduzido um dos guardiões  e pegado uma carona no barco de Caronte "( O Barqueiro da morte , ele é responsável pela travessia das almas dos mortos de uma dimensão a outra) .

       Se eu não estivesse morto,  teria morrido de ódio. Podia sentir a ilusão de meu sangue ferver e a adrenalina tomar conta de mim.

       " Eu cuido disso depois de voltar de viagem. " Estava com a estratégia pronta em minha cabeça e saindo de minha boca quando o chamado da morte veio. " Cuida de Anita por mim, é uma ordem.  " Disse dando meia volta mais puto da vida do que nunca. Primeiro por ela ter fugido e Segundo por não ter tempo de me  despedir de Anita.

       Saí dando as costas ao meu irmão e entrei numa sala secreta que ficava na biblioteca, lá estava todos os meus poderes, segredos e tudo que ninguém,  nunca colocaria as mãos. Entrei através de uma porta atrás de uma estante e fiquei dentro da escuridão até os gritos começarem. Quando a morte chama não tem como escapar, ela pega você sem você perceber e quando o faz,  já é tarde. Não demorou muito para bombas explodirem diante de meus olhos e eu estava dentro da guerra. Homens gritavam , abatiam seus inimigos e tentavam salvar os que podiam. O mundo estava ficando podre e as pessoas incrivelmente burras. Todos tem sua hora certa para morrer. Por que simplesmente não me deixam fazer meu trabalho?  , mas não!!!  Eles tem que matar uns aos outros. Tem que matar a seus semelhantes por motivos fúteis como poder, dinheiro e até drogas. Antigamente era só um duelo ali,  outro lá,  mas atualmente pessoas se matam até por ciúmes ou simplesmente por ódio. Isso me fez lembrar de um grupo de estudantes que tive em minha gadanha....Uma das garotas do grupo mandou o namorado atirar em todos seus colegas, simplesmente por que não gostava deles.

       - Hora de pegar almas. - Disse indo em direção aos fogos. Esperando que seja lá quem morresse ,que fosse rápido ,assim poderia resolver meus problemas.

         Outra bomba explodiu fazendo meu cabelo voar e um braço se separar do corpo de um homem próximo á mim.

- A culpa não é sua....nem minha - disse ao homem.  - Nem de Deus. - Continuei. - A primeira coisa que maioria das pessoas diziam à mim quando morriam era " Por que Deus?  " Todos sabiam a resposta, mas negavam para sí mesmos.

- Deus deu uma coisa chamada poder á vocês, poder de livre arbítrio.  - Coisa que eu não tinha, mas dava um jeito de contornar as coisas. - Deus deu isso á vocês e o que fazem?  adiantam suas mortes e deixam o inferno cheio!  - disse olhando o rosto do pobre homem. O sangue jorrava da parte direita de seu corpo e dava para ver sua alma saindo pelos olhos.

        Eu não queria acalmar ninguém.  Eu apenas queria que soubessem a verdade.

- Depois eu que sou ruim! - disse balançando a cabeça. Sabendo que não importava o quanto as pessoas errassem, elas jogariam a culpa em Deus e na Morte. Talvez para amenizar a culpa que tem dentro deles mesmos.

          O homem olhou diretamente em meus olhos e empalideceu, mas não sabia se era por falta de sangue ou pela presença da morte.

     - Não se preocupe...- disse cansado. - Você não fez tantas coisas ruins.
       Estiquei minha mão e minha foice apareceu com a lâmina afiada brilhando entre a desordem.

      - Pra quem sofreu até agora...isso não é nada. É só o começo do fim.

       E o som das ondas cortantes cortaram o ar.


********









Every Other Day - Capítulo 17




"Kali?"

    Devo ter parecido tão boa quanto eu me sentia, porque Skylar disse o meu nome em uma tentativa, falando num tom como um cachorro debaixo de um carro. Eu balancei a cabeça para limpá-la de pensamentos indesejados-fraquezas indesejadas.

"Não é nada," eu disse. Bethany girou o dedo através de seu cabelo, um perigoso brilho nos seus olhos de esmeralda.

"Não é sempre?"Eu não queria tomar o seu significado, mas ela não me deixou outras opções."Quando você falou que um chupacabra fora do meu corpo para o seu, não era nada. E quando você desmaiou na pista de patinação, não era nada. Quando você passou atraves do pára-brisa do meu carro e eu pensei que você morreu, nada. Assim,Venha, Kali . Que tipo de nada que é desta vez? "

      A vontade de responder a sua pergunta plena e honestamente me tomou completamente de surpresa. Eu não era exatamente o salve minha alma, mas tinha acabado de desafiar Betânia e a sórdida história de sua família como se fosse algum tipo de elogio intervalo. Ela me deixaria, e pela primeira vez, eu realmente queria fazer o mesmo, dizer a alguém a verdade. Que eu não era normal. Que eu não era humana. Isso mesmo, eu estava acostumada a ser outra coisa,ao ser mordida por um chupacabra tinha mudado as coisas, me mudou e de alguma forma, sabia que Chimera talvez não soubesse  especificamente sobre mim, mas sobre o fato de que pessoas como eu existiam e que ser mordida por um chupacabra tinha um efeito diferente sobre nós ,do que tinha em pessoas normais. Se Bethany estava certa e a Chimera tinha estado infectando adolescentesde de propósito, então as chances são boas que eles estavam sistematicamente à procura de pessoas como eu ou tentando criá-los.

" Não importa", disse eu por hábito, incapaz de me fazer dizer mais nada. Falando me fez sentir como se eu tivesse vômitos secos, e tudo que eu queria era apenas jogar a verdade e ser feito com ele.

"Eu estou bem."

"Você não está bem." Skylar pegou meu olhar e o segurou, e apesar de seu rosto ainda parecer pequeno, jovem e inocente,houve um peso estranho ao conjunto de suas características, como se  ela tivesse mil anos em vez de 15. "E ele é. Tudo o que aconteceu, tudo o que está acontecendo nas ultimas vinte e quatro horas, isso importa. Você se importa, e se você quiser acreditar ou não, você não pode fazer isso sozinha, Kali ".   Ela fez uma pausa e lançou os olhos para baixo, sua voz se tornando muito tranquila. "Você não deveria."

    Eu queria acreditar nela. Eu queria contar-lhe tudo, dizer-lhes tudo. Eu abri minha boca, e nada. Eu tinha mantido segredos por tanto tempo que eu não estava inteiramente certa se eu sabia como deixá-los ir.

     - Não faça isso. Os seres humanos não vão entender.Eles nunca o fazem.

     De alguma forma, eu não estava surpresa que Zev estava pesando,dizendo-me que todos os instintos que eu já tinha que manter , tinha que manter as outras pessoas na baía, estava certo sobre a marca. Então, novamente, ele também me disse para deixar Chimera Biomedical Corp sozinho.Isso não iria acontecer.Os últimos vinte e quatro horas tinham aguçado o meu apetite por respostas, e eu precisava saber-o que eu era, o que era Zev,o que os homens de terno e do casal Paul Davis do mundo sabia que eu não .

     - Deixe-o, Kali. Você é melhor fora , se pensam que você está morta.

    Gostaria de saber brevemente se Zev era velho, porque ele estava falando comigo como se eu fosse uma criança. Que, tanto quanto as reclamações de  Skylar, que eu não tivesse que fazer isso sozinha, me empurrou para tomar um pequeno passo terrível para contar aos outros a verdade.

"Eu acho que sei o que Chimera está tentando fazer. "Admitindo-se que minha voz soou alta e engraçada, até mesmo para meus próprios ouvidos. Dentro de mim, Zev estava amaldiçoado em um idioma que eu não tinha reconhecido nem entendido. Eu ignorei ele ."Eu acho que sei por que os cientistas da Quimera estão brincando com  chupacabras, por que eles matam para manter esse tipo de experiência para si mesmos. "  Os olhos de Bethany brilharam, ela enxugou o rosto completamente o deixando limpo, e tinha ido embora.

 "E nós estamos apenas supondo tomar a sua palavra porque você é a Toda-Poderosa Kali D'Angelo não pode ser incomodada para lidar conosco? "

"Eu vou te dizer," eu disse, empurrando contra as objeções de Zev. "Uma vez que eu tiver certeza." Fazendo essa promessa, o que significa que, machucada, como se eu tivesse mantido segredos por tanto tempo que retirá-los requer a destruição de minha carne.

   "O que você precisa ter certeza ?" Skylar perguntou. A questão me colocou a perguntar de Bethany, para algo que eu estava 90 por cento certa de que ela não gostaria de dar, por isso eu cruzei meus dedos e levei a mergulhar.

  "Eu preciso de acesso aos arquivos do seu pai."Por um momento, Beth ficou muito quieta, como se houvesse uma cobra no chão na frente dela e qualquer movimento pudesse tentá-lo a atacar.

  "Kali, alguém  já tentou matá-la uma vez", disse ela finalmente."As pessoas que meu pai está trabalhando para não criar caso, eu já estou em sua lista de observação. Eles provavelmente sabem que você está aqui, falando comigo. Se eu deixar você entrar no laboratório, eles saberão também ".

"Isso é um não?" Skylar perguntou, de olhos arregalados e muito inocente.Bethany não deu resposta a essa pergunta.

    Após alguns segundos de silêncio, eu decidi que teria que dar a Bethany  um pedacinho de mim, olho por olho pelos segredos que ela já tinha me dado. Lentamente, dolorosamente, eu trouxe as minhas mãos para o fundo da minha parte superior do top roubado. Puxei o tecido para cima, centímetro por centímetro e pouco a pouco, até que eu estava em pé no Foyer de Bethany descoberta da cintura para cima, para salvar meu peito.
    Ouvi a respiração de Skylar, vi Betânia piscar uma, duas, três vezes enquanto ela tomava aos olhos do meu estômago, minhas costelas, minha cintura. Não olhei para baixo, mas arrastei meus dedos em minha carne. Através dos ouroboros e do padrão-ouro, intrincados,esmagador, com tinta na superfície da minha pele.

"O que é isso?" Bethany perguntou. De alguma forma, ela soou impressionada, apesar de seu rosto demonstrar horror, seu fascínio, sua admiração.

"Isso", eu disse, "É por isso que eu acho que sei qual é o jogo. É por isso que eu preciso que você me deixe entrar em seu laboratório. "

    Isso não era exatamente a verdade, e não era a divulgação completa,mas era alguma coisa. Skylar estendeu a mão e passou o dedo levemente sobre a superfície da minha pele. Ela fechou os olhos e inclinou a cabeça para trás, oferecendo o rosto para o teto. Quando ela abriu os olhos novamente, ela parecia mais leve, com mais certeza, como qualquer coisa que ela estava carregando uma vez que ela me encontrou na frente do gramado do casal Davis, tinha sido de alguma forma, levantado suspeitas.

"Eu sabia", disse ela simplesmente. "Este é ele." A moda tipica de Skylar, ela não esperava por qualquer uma de nós para processar essa declaração, ela só tomou o direito, falando em comutação de indivíduos sem aviso algum.

 "O laboratório fica no porão? "ela perguntou a Bethany, que ainda não tinha conseguido tirar os olhos longe das marcas na minha pele.

"Porque eu meio que sinto como se o laboratório pudesse estar no porão? . "

"Será que você acabou de parar com os sentimentos?" Bethany disse bruscamente. Skylar recuou, mas se recuperou rapidamente, e eu me perguntei quantas vezes ela não podia magoar-se com a fachada de se recuperar muito rapidamente para o mundo exterior para perceber que ela não era tão à prova de balas como parecia.

"Eu não me importo com seus sentimentos, Skylar, e eu não me importo sobre Kali ter um gosto duvidoso na arte do corpo. "Bethany era uma mentirosa, mas não era suficiente. Sentindo que eu não estava me despedimento de imediato da situação, ela continuou, sua voz suave, com o rosto tão protegido como tinha estado um momento antes.

 "Eu não posso mais fazer isso. Mesmo que eu queira, eu não posso. "Bethany piscou os olhos em direção à cozinha, e eu pensei em sua mãe, vestida com um conjunto duplo e falando ao ar.

"O que exatamente o seu pai disse sobre não chamar a polícia? "Eu perguntei, avaliando a reação dela a minha pergunta e vendo o momento em que bateu a sua marca.

"Será que isso importa?" Bethany perguntou amargamente. "De qualquer maneira, eu não posso ajudá-la. Você deve sair daqui antes que ele volte para casa. "

     Eu pensei sobre o meu pai, sobre as silênciosas e  dolorosas mentiras bem ensaiadas, o fato de que ele sabia menos sobre mim que as pessoas nesta sala, nem de quem eu já conhecia demais do que um dia.

"Seu pai não faria mal a sua mãe ... ou faria ?" Skylar soou dolorosamente jovem, e eu me perguntava como alguém com qualquer habilidade psíquica em tudo ainda podia acreditar no melhor sobre o mundo.
      Em resposta à pergunta de Skylar, Bethany endireitou  os ombros e olhou para a parede atrás da jovem cabeça da menina quando ela respondeu. "Meu pai não teria atingido minha mãe. Ele não iria colocar uma arma em sua cabeça. Mas se ele levasse ela para ver Tyler, forçá-la a olhar para ele até que ela entre em estado de choque ? "Bethany encolheu os ombros.

"É difícil dizer, realmente."A idéia de que o pai de Bethany pensasse mesmo em segurar algo assim sobre a cabeça dela foi nojento. Tanto quanto eu queria ter acesso ao laboratório no porão, eu não estava prestes a pressioná-la a tomar esse tipo de risco por mim.Ela tinha alguém para pensar, alguém para tomar cuidados. Eu, de todas as pessoas poderia entender isso.
        Se eu tivesse uma mãe, eu teria feito qualquer coisa para protege-la.

"Está tudo bem, Bethany." Eu peguei seus olhos, ela desviou o olhar."Você faz o que você precisa fazer. Nós vamos ".

- Não pense que isso significa que eu vou desistir. - eu disse a Zev silenciosamente quando cutuquei Skylar em direção à porta. Há mais de um maneira de decapitar um hellhound, e quando acontece, eu conheço todas elas.

      Zev não respondeu, e algo sobre o silêncio se sentiu antinatural.

- Errado.

   Um segundo ele estava lá, e no próximo,minha mente sentia ... vazia. Se os nossos chupacabras serviam como um rádio de dois caminhos entre minha mente e sua, ele sentia como se tivesse acabado ou desligado.  Um pedaço pequeno de pânico cresceu dentro de mim, e pela segunda vez, fui à procura dele.  Eu comecei do jeito que eu tinha antes, pensando no parasita que havia se refugiado dentro de mim. Eu senti, e um segundo mais tarde, senti Zev . Senti -Zev E então eu estava dentro Eu vi o mundo através de seus olhos. Vi homens com máscaras.Jogos  de agulhas mortais, bisturis, paredes de concreto. Vi sangue. Voltei para o meu próprio corpo um segundo depois, minha pele era algo  estranho para a minha alma, como um sapato errados de pé amontoados ou uma blusa dois tamanhos grandes. Era isso o que Zev sentia  depois de ter tomado conta de meu corpo no carro de Eddie?

"Kali? Estamos indo? "  Skylar ainda estava de pé ao lado de Bethany, que tinha abraçado seu torso, como se ela estivesse segurando suas próprias entranhas dentro.
 "Você  disse que deveríamos ir. Mas então você não veio. "

"Nós devemos ir", eu disse mais ou menos, virando as costas para ambas. Não importa onde eu olhava, tudo que eu podia ver era os homens com máscaras, a célula de betão. Ficou claro agora muito claro-Como a  Chimera Biomédica sabia que havia pessoas lá fora, como eu, por que Zev me pediu para ficar de fora.  Eles tinham ele.  Eu poderia falar com ele e ele podia falar comigo. Eu poderia entrar em sua mente, e ele passou um tempo na minha, mas fisicamente, ele era  um aprisionado. Seu corpo estava trancado em algum lugar em algum tipo de célula. Algum tipo de gaiola.

      Cada pesadelo que eu já tinha de ser pega, cortada em pedaços, estudada como um rato em um labirinto, era a realidade de Zev. De repente, o fato de que Bethany não poderia me ajudar não parecia ser tanto um obstáculo, pois, vir do inferno ou do alto mar, eu estava indo encontrar uma maneira de entrar , Eu tinha que fazer.  Havia uma pessoa neste mundo que eu conhecia com certeza, que era como eu. Uma. Uma pessoa que tinha assombrado o meus sonhos, tomado o meu corpo, me protegido, mesmo quando eu não queria proteção.
     E essa pessoa, era de alguém , uma espécime. Antes, eu queria saber o que sabia a Chimera. Agora, eu queria que eles partissem.

"Kali?" Desta vez, Bethany foi quem disse o meu nome, e o tom de sua voz me fez lembrar do jeito que ela parecia falar com sua mãe.Ela pensa que eu me perdi. Talvez ela esteja certa. Minhas mãos estavam tremulas, minhas unhas cavando na carne da palmas das minhas mãos. Não doeu. Eu nem mesmo sinti isso, mas eu podia sentir o cheiro domas gotas de sangue que escorria no interior da minha mão.

"Estou bem", eu disse, porque era exatamente o que você diz, quando você realmente não esta. "Eu deveria ir."

    Eu estava na metade ,passando por Bethany e me dirigido para a porta da frente quando ela agarrou meu braço. Eu desviei de sua mão resistindo ao reflexo de enviar a palma da minha mão sobre sua garganta.

Garganta. Sangue.

   Chimera tinha Zev, Bethany queria me ajudar, mas não podia, e tudo que eu conseguia pensar era o quanto eu queria que tudo isso  acabasse e como muito, muito sedenta eu estava.

"Eu vou", eu disse, mais para o benefício  de Skylar do que da Beth.

"Não se preocupe comigo. Não me siga. "Eu não daria uma oportunidade para reagir. Eu só me atirei pela porta da frente, correndo pelo gramado.

    Vinte horas e quarenta e dois minutos.

Eu gostaria de encontrar uma maneira de derrubar a Chimera. Mas, primeiro, eu precisava caçar.