Every Other Day - Capítulo 8

terça-feira, 16 de outubro de 2012

      Eu não podia correr. Tudo que eu podia fazer era ficar ali, com um patins de gelo em cada mão, meu coração batendo forte e um sopro velho preso no fundo da minha garganta.

     Dragão. Gênero: Draco.

    Para a maioria de nossa história evolutiva, os três dos tipos mais perigosos de predadores tinham sido grandes felinos, cobras,e aves de rapina. O cérebro humano era ligado para temê-los,e dragões de garras, balanças, fenda de alunos enviados no sistema na ultrapassagem.           
    Eu sabia o que estava acontecendo, mas isso não me fez manter meu sentimento, e o medo como um pouco da estúpida palavra-que me lembrava que eu era humana.Que eu não era nada.Que eu estava ferrada.Meu poder sobre as lâminas improvisadas ​​nas minhas mãos apertadas,e eu vi os momentos que antecederam a este, abalada e interligada, como cacos de vidro.

     A partir do segundo que eu tinha pisado no gelo, eu soube que algo não estava certo.A coisa dentro de mim havia conhecido, também. Mesmo agora, o parasita chupando o meu sangue estava me dizendo para sair, a sua voz baixa e sedosa, quandk ele pertencia a alguém que era usado para ser obedecido.

        Execute.   Agora.

     Por quê? Eu respondi, dando um único passo em frente e tirando a atenção do dragão de Betânia para mim. Com medo que algo pudesse acontecer com o seu buffet de tudo que puder comer?

      Não tola. NÃO PODE, você deve-agora !

      Sinto muito, pensei, avaliando o dragão e a execução através das minhas opções muito limitadas. Receio que esta é uma má conexão. Eu não consigo fazer o que você está dizendo. Ó bem.
    O monstro na minha frente saltou no ar e caiu recuandk no gelo. Fendas ricochetearam através da superfície, e eu dei outro passo para a frente.Objetivamente, eu sabia que eu era impotente, mas eu não poderia abalar a memória de como era ser uma caçador, não conseguia livrar o meu corpo, meu corpo de frágil, humano a sensação de que ele sabia exatamente o que fazer. Racionalmente, eu sabia, sabia que Eu deveria virar as costas e correr, mas eu nem poderia fazer isso-não com Betânia lutando através do gelo, perto o suficiente para que o dragão pudesse bifurcar-la com uma única fatia de suas garras. Não com Skylar ao meu lado, com a boca congelada em um perfeito, arredondado  O.

    "Quando eu passar", eu disse baixinho, minha voz quase perdeu sob o som dos roncos de eqüinos do dragão - ", recue devagar. Não olhe-o no olho. Não chame a atenção. Você acabou de receber um fora, e então você corre ".

        Skylar acenou com a cabeça quase imperceptivelmente, mas foi o suficiente aquele olhar líquido do dragão mudou de mim para ela.Eu tinha que agir rápido.

"Ei, feio! Olhos em mim. "  - Eu mudei de lado todo no gelo, e o dragão virou-se para seguir, a sua cauda de mamute tirando o lado da pista. Escombros espalhados como se tivessem sido metralhalhados,  e com o canto do meu olho, eu vi Skylar recuando e orou para que Bethany tevivesse o bom senso de fazer o mesmo.

" É isso mesmo, Godzilla. Eu sou a ameaça aqui. Eu. " - O meu objectivo levantando sobre as patas traseiras, e eu me preparei para o tremor quando ele bateu de volta para baixo no gelo. Fumaça saindo de suas narinas, e eu arquivei informações de distância com calma e mais racionalmente que pude. Lá foram várias sub espécies de dragões. Alguns eram inofensivo. Alguns comiam pessoas. Alguns respiravam fogo.Nenhum deles eram nativos da região.Com base na fumaça, eu ia sair em um membro e acho que isso era um respiro de incêndio.
       Não é ideal, mas no lado positivo, pelo menos eu não tinha que se preocupar em ser comida viva.

" Não se preocupe, eu chamei de Controle sobrenatural!" O menino que tinha dado os nossos patins ou era muito corajoso ou muito estúpido. Dado que não parecem ter armado a si mesmo com tanta coisa como um extintor de incêndio, eu estava adivinhando este último. "Eles deveriam estar aqui a qualquer segundo"

      Sem aviso, o dragão voltou sua busca em mim,e seus dentes brilhantes fecharam em torno do meio do menino. Um menino há um segundo estava lá, e no próximo, ele estava em pedaços. Eu vacilei e me odiava por vacilar, quase como tanto quanto eu me odiava por não salvar o menino.

      Parece que estamos lidando com Draco carnus, pensei,desesperadamente agarrada ao frio, fato e tentando assim difícilmente não se importar. A devoradora de homens.  Dully, eu disse a mim mesma que pelo menos eu não tinha que se preocupar sobre ele  cuspir fogo. Dragões eram uma ou a outra não,ambos.Ou então a ciência moderna teria que acreditar. Eu ouvi as chamas antes que eu os visse, e por uma fração de segundo, perdi o controle do meu corpo. Eu não podia sentir meus braços,não conseguia sentir minhas pernas, só podia sentir a mão pequena sobre minhas costas e a borbulhante raiva dentro de mim, como um grande vulcão adormecido preparando-se para vomitar.Não minha mão.Não minha raiva.Mas de alguma forma, meu corpo mergulhou para fora da linha de fogo, assim quando uma parede de uma chama cortada através do gelo que tinha sido directamente debaixo dos meus pés.A sensação durou um segundo, talvez dois, e então eu estava no controle do meu corpo novamente. Subi cambaleando para o meu pés e apertei meu domínio sobre os patins de gelo na minha mão,dobrando as lâminas para fora.
    Aqui vai nada. Mirei e disparei.Eu sabia que não iria fazer uma diferença na armadura do dragão,sabia que eu não tinha a finalidade ou o poder ou Eu precisava de coragem para derrubar um oponente 20vezes maior que o meu tamanho, mas quando o patins voou pelo ar, odragão arrancou seus olhos brilhando de ônix do meu e seguiu a trajetória da lâmina.Dragões gostam  de coisas brilhantes.
  
     Enquanto ele estava distraído, eu meu cérebro degastado procurava por uma saída.A menos que eu pudesse chegar perto o suficiente para atingir o ponto fraco em seu peitoral, eu não tinha a menor chance de causar qualquer tipo de danos permanentes, e Bethany ainda estava lá, de costas pressionadas contra a lateral da pista, com os olhos em cada movimento do dragão .
      Eu empurrei minha cabeça para o lado, fazendo sinal para ela ir. Ela sacudiu a cabeça, fazendo sinal para eu fazer o mesmo.

      Se saímos desta vida, eu ia matá-la.Pense, Kali, eu disse a mim mesma. Tinha que haver uma saída.Tinha que ter. Eu não quero morrer assim, com medo ,fraca e incapaz de se lembrar o que ela sentia ao ser qualquer outra coisa.Quinze horas e vinte e quatro minutos.   Como se isso tornasse o inferno um lugar bom.

      Eu lhe disse para correr. Não me faça dizer-lhe novamente.A voz era implacável e feroz, e o fato de que meu-inimigo que não deve mesmo ter sido capaz de falar-estava me ordenando ao redor balançando o pêndulo da minhas emoções de medo e raiva e da raiva para chateada.Antes que eu pudesse fazer uso do que, no entanto, Bethany fez bruscamente. Um segundo ela estava agachada atrás do dragão, e o seguinte, ela estava de pé, equilibrada em cima da parede exterior restante da pista. Ela não disse qualquer coisa. Ela quase não mudou. Ela apenas balançou de primeira os quadris, depois os braços.Tentei processar. Os dois de nós estavam à beira da morte, e ela estava dançando a dança do ventre?Vá. Agora. Mais luzes. Eu vi quando dragão voltou sua cabeça para o lado,absorvendo todo o movimento de Betâny. Eu poderia terriscar o gelo, cantar o hino nacional, e não teria importância.A besta tinha marcado a sua presa. Para o momento,parecia contente apenas observando-a, mas eu sabia que não seria por muito tempo. Eu tinha um minuto a mais, talvez menos, e eu fiz a única coisa que eu poderia pensar-Eu corri.   Não longe.  Não para a segurança.Para a cabine de controle, onde eu encontrei um par de funcionários amontoados no chão.

    "Apague as luzes," Eu lhes disse, sem fôlego e ficando sem tempo, minha mente ecoando com o partido instruções que Zev tentava transmitir.  Mais luz. Nenhum dos funcionários mudou. Olhei para fora no rinque. O dragão, os olhos ainda fechados em Betânia, começou a atravessar o gelo. Em breve, ele estaria perto o suficiente para que ela fosse capaz de cheirar o sangue e do fumo na sua respiração, perto o suficiente para que eu não tivesse nem um segundo a perder.

    "Desligue as luzes. Agora! E se você tiver qualquer tipo de efeitos de um show de luzes especiais, discoteca bola, o que for use- os , também. "

      Um dos funcionários apontou um dedo, único instável para o painel de controle, e eu fiz a varredura, procurando o interruptor.No gelo, Betânia continuou a dança , improvisada com sua barriga. Ela balançava. O dragão balançava. Ela piscou. Ele piscou. Qualquer momento, qualquer segundo, que poderia sair dessa, daria em morte. Eu virei o interruptor. A pista ficou escura. E, em seguida, um segundo depois, um punhado de luzes apareceram no teto,rodopiando constantemente.
      Isso mesmo, eu disse ao dragão silenciosamente. Swirly, luzes brilhantes. Lentamente, o animal parou de balançar. Ele arrancou os olhos deBethany, e deitou-se as patas dianteiras no meio da pista devastada. Suas escamas-a cor exata do gelo brilhavam na iluminação desigual. Mesmo à distância, eu poderia fazer a textura cristalina de sua pele. Lentamente, dolorosamente, a respiração do dragão tornou-se ainda,seu peito mamute subindo e descendo, seus olhos fixos no teto. Então, tão repentinamente quanto tinha aparecido,a criatura se foi, seu corpo fundindo no gelo por baixo , uma voz sobrenatural chegou em minha cabeça sussurrando, perturbadoramente clara. Mesmo que eu acordasse com o sentimento, eu tentei tirar para fora a voz e fez tudo em meu poder para não pensar sobre o fato de que, se não tivesse sido por sua sugestão, eu não poderia ter pensado em ir para as luzes. Bethany teria sido isca de dragão.E eu provavelmente teria sido morta.










Nenhum comentário :

Postar um comentário

* . Comente aqui o que você achou da postagem , se gostar vire seguidor do blog. * sua presença é muito importante.